segunda-feira, 31 de março de 2014

Andebol: FC Porto 20 - 25 ABC

#Andebol #FCPorto #ABC #Portugal

Má segunda parte retira liderança isolada






O FC Porto recebeu ontem a equipa do ABC em jogo a contar para a 4ª jornada da fase final do campeonato nacional. Após este resultado o ABC igualou-nos na classificação. Ambos contam com 40 pontos. 







O nosso treinador entrou com o 7 esperado. Foi um bom início da nossa equipa. Como sempre a nossa equipa defendia em 6*0. O ABC começou num 5*1 a tentar retirar espaço de criação à nossa 1ª linha. 

João Ferraz inaugurou o marcador nos instantes iniciais. Na jogada seguinte Laurentino efectua uma brilhante defesa aos 6 metros e Gilberto aumentoou o marcador.

A equipa estava bem. Laurentino entrou muito bem. Parou remates aos 6 e aos 9 metros. Além disso foi assertivo a lançar os contra-ataques fundamentais no nosso jogo. Assim, sem surpresa chegamos ao fim dos primeiros 5 minutos a vencer por 3 - 1.

A juntar a isso algo que não é muito vulgar com algumas duplas. Felizmente esta dupla estava atento à forma demasiado agressiva que Pesqueira costuma colocar nas acções defensivas. Beneficiamos de 2 livres de 7 metros quase seguidos por isso. Ambos bem marcados. Ricardo Moreira marcou ambos e deu-nos uma vantagem de 5 - 2 bem cedo.

Aos 10 minutos mantínhamo-nos na frente por 3 golos (5 - 2).

Tudo estava a correr bem. Contudo a equipa começa a descer de produção. Acumulamos algumas falhas técnicas na saída para o contra-golpe. Honrosa excepção para Gilberto. Era talvez o único que mantinha o nível. Continuava a marcar assiduamente e coleccionava algumas boas assistências. A assistência para Schubert no 8 - 6 foi um exemplo de uma assistência sublime. 

O ABC ia paulatinamente recuperando e aos 20 minutos o marcador mostrava já um empate a 8 golos. 

O jogo entrou então num enorme equilibrio. Bastantes empates no marcador.

Ao intervalo vencíamos por 12 - 11. Estava tudo em aberto mas a nossa entrada em jogo devia ter resultado numa vantagem maior.

Depois do intervalo esperávamos confirmar a vantagem que tínhamos. Nada mais errado! A reentrada em jogo foi catastrófica, surreal até. É dificil explicar o que se passou, talvez nem os nossos jogadores consigam. Mas vamos tentar.

O ABC mudou a sua defesa para um 6*0. Tivemos mais dificuldades é certo. mas não foi por aí.

Aos 2 minutos já perdíamos. Nos primeiros 2 ataques falhamos, duas defesas de Humberto Gomes que começava o jogo da sua vida. No outro lado do campo sofríamos. Assim, aos 2 minutos perdíamos.

Tudo se desmoronou de forma inexplivcavel. Acumulamos falhas técnicas. Quando rematamos paramos sempre em Humberto Gomes. As defesas sucediam-se. Parava remates aos 6 metros, aos 9 metros, das pontas ou em zona frontal. Nem de livre de 7 metros João Ferraz o bateu.

E continuamos sem marcar uns longos, enormes 13 minutos. 13 minutos sem marcar! Quase meia parte!!! Inédito na nossa equipa. Explicações para isso são praticamente impossiveis.

No meio de tanta contrariedade um elogio. Este tem de ser dado aos nossos adeptos. Nunca faltou apoio. Nas piores alturas foi até redobrado. 

Mas voltemoas ao minuto 13, o tal em que marcamos. Quem o fez foi o jogador mais inexperiente em campo, Hugo Santos. Teve de ser o míudo a quebrar a malapata... Depois deste golo o resultado era já de 13 - 18. Eles fizeram um parcial de 7 - 0 até marcarmos.

O golo empolgou o público. Já assistimos a recuperações desta equipa. Sabemos que são uns lutadores. Sabemos que dignificam o emblema que envergam. Têm orgulho nele.

Então surge uma parvoíce. Wilson sofre falta dura de David Tavares. Um árbitro exclui bem o jogador da equipa bracarense. O outro exclui também Wilson. A justificação dada foi que reclamou. Palhaçada...

A equipa foi à luta. Começamos a recuperar, embora Humberto continuasse a fazer o jogo da sua vida... Schubert falhou outro 7 metros por exemplo.

Começamos a encostar. Aos 20 minutos desta etapa complementar o resultado mostrava 17 - 20. Ainda era possivel!

Tiago Rocha, assistido por Gilberto faz de forma magnifica o 18 - 20 logo a seguir. Recebe a bola e de costa marca. Bravo! 2 golos de diferença.

Aos 25 minutos a desvantagem continuava nos 2 golos (19 - 21). Estávamos em vantagem numérica e com a bola. Podíamos ficar a 1 único golo. Depois de tudo ainda era possivel... Infelizmente falhamos. Faltou sorte e alguma maturidade. Nessa jogada mais uma vez a nossa "besta negra" voltou. Tiago Rocha ganha posição aos 6 metros. Quase nunca falha. Nesta jogada permitiu nova defesa de Humberto Gomes.

Pior que não ter marcado foi ter voltado a sofrer. Já não havia tempo...

No final 20 - 25. Uma derrota que tem de ser recuperada já no próximo jogo em casa daqueles seres que mais detestamos. Joga-se muito neste jogo. Vamos lá para ganhar! O jogo é apenas a 18 Abril. Falta muito tempo. Pode ser bem preparado.

Uma palavra para o guarda-redes do ABC. Fez uma excelente exibição. Fez bem mais de uma dezena de defesas na 2ª parte (só sofreu 8 golos). Parabéns a ele. Não terá outra noite assim... Também uma referência para o treinador bracarense. Ganhou. Não precisou de faltar ao respeito a ninguém para o fazer. Um exemplo para muitos... 

 


FICHA DE JOGO:

FC Porto Vitalis-ABC, 20-25
Andebol 1, fase final, 4.ª jornada
30 de Março de 2014
Dragão Caixa, no Porto
Assistência: 1.423 espectadores

Árbitros: Eurico Nicolau e Ivan Caçador

FC PORTO VITALIS: Hugo Laurentino (g.r.), João Ferraz (2), Wilson Davyes (3), Gilberto Duarte (7), Ricardo Moreira (3), Tiago Rocha (1) e Mick Schubert (1)
Jogaram ainda: Pedro Spínola (2), Hugo Santos (1), Alfredo Quintana (g.r.), Hugo Rosário e Miguel Sarmento
Treinador: Ljubomir Obradovic

ABC: Humberto Gomes (g.r.), João Pinto, Pedro Seabra (5), Nuno Grilo (8), Carlos Martins, Ricardo Pesqueira (3) e Fábio Vidrago (3)
Jogaram ainda: Nuno Rebelo (4), Hugo Rocha, Carlos Siqueira (1) e David Tavares (1)
Treinador: Carlos Resende

Ao intervalo: 12-11







Enviar um comentário
>