quinta-feira, 6 de março de 2014

Hóquei em Patins: Turquel 1 - 5 FC Porto

Prova superada com mérito

  O FC Porto visitou esta noite o sempre difícil pavilhão do Turquel. Não se esperava um jogo fácil mas acabou por ser menos complicado que o previsto. Com esta vitória estamos isolados no 2º lugar a apenas 3 pontos da liderança.

 Tal como tínhamos previsto na crónica do último jogo a situação de Pedro Moreira ainda não estaria resolvida. Às entidades competentes não interessa resolver, logo nada de licença desportiva para o nosso jogador. É o 2º jogo que está impedido sem ninguém perceber bem o porquê desta situação.

Assim, Tó Neves repetiu o 5 da jornada passada.


 Logo a abrir os comandados de Tó Neves mostraram ao que iam, duas boas oportunidades. A 1ª por Jorge Silva logo nos segundos iniciais e pouco depois Hélder Nunes a ficar isolado depois de uma saída rápida para o ataque.

 Uma boa entrada que viria a dar frutos logo ao 3º minuto. Ainda de muito longe, Ricardo Barreiros atira forte e a meia altura. Golo! Estava aberto o marcador...

 Assistíamos a um hóquei rápido da nossa equipa. Sempre que tal se proporcionava contra-ataques rápidos que iam criando perigo para a baliza dos visitados. Se não dava para ensaiar uma jogada rápida, maturidade da nossa equipa a parar o jogo e a rodar a bola para o ataque planeado. Defensivamente estávamos igualmente superiores. Uma pressão mais alta, defesa mais subida a contrastar coma do Turquel, quase sempre a defender perto da sua área. Assim, o domínio era nosso, chegávamos com mais frequência a zonas de concretização e em situação mais vantajosa que o adversário.

 O Turquel, empurrado pelo seu fervoroso público, não baixava a guarda e aos poucos começou a colocar Edo Bosch à prova. O nosso guardião respondia com a mestria de sempre, um muro autêntico...

 Já diz o ditado que quem não marca arrisca-se a sofrer e felizmente verificou-se isso. Jorge Silva a marcar o 2º aos 14 minutos.

 No minuto seguinte nova ocasião soberana. Azul para Tiago Rafael após falta dura sobre Caio. Livre directo para nós que o próprio caio ia tentar converter. Não marcou, a bola saiu ligeiramente por cima. Mas estávamos em situação de power play e nos 2 minutos correspondentes ao azul atacamos em força a baliza do Turquel. Os visitados com alguma sorte conseguiram voltar a estar em igualdade de jogadores sem sofrer golo...

 Com a ausência de Pedro Moreira e o regresso de Reinaldo ainda à procura da sua melhor forma após paragem longa, a rotação de Tó Neves foi mais tardia do que habitual. Faltavam apenas 5 minutos para o intervalo quando vimos as primeiras (e únicas) substituições do primeiro tempo. Entraram Vitor Hugo e Reinaldo para o lugar de Caio e Jorge Silva.

 Ao intervalo 2 - 0 com vantagem parao nosso emblema. Um bom resultado mas ainda longe de estar resolvido.

O nosso mister manteve em ringue os mesmos jogadores que terminaram a primeira parte.

O Turquel não desistia e logo no recomeço a 3ª bola aos nossos postes.

Foi apenas um susto. Em campo estava um Porto maduro, sem se expor defensivamente com o habitual esquema mas a defender mais recuado que no principio do jogo. Sem correr perigo, o jogo estava dominado. Procurávamos igualmente ataques mais pausados, com o habitual carrossel a funcionar de forma quase perfeita.

Aos 8 minutos a estratégia deu frutos. Jogada de Reinaldo, a passar por trás da baliza e a assistir primorosamente Vitor Hugo. Este, com a baliza escancarada após o movimento do nosso camisola 66 a fazer o mais fácil. Golo! 0 - 3.

Vitor Hugo gostou e quis repetir, não é o 2º melhor marcador da equipa por acaso. No minuto a seguir bisou. Desta vez na conclusão de uma saída mais rápida para o ataque. 0 - 4. Grande resultado!

O Turquel estava sem ideias para combater o domínio azul e branco. Nem o desconto de tempo pedido pelo seu treinador mudou o cariz do jogo. Era uma questão de manter o nível e deixar o relógio correr. Fizémo-lo sem sobressaltos de maior.

O jogo estava a correr de feição e melhor ficou quando a 4 minutos do fim Jorge Silva marcou. nos últimos jogos tínhamos mostrado ineficácia nos lances de bola parada. O nosso atacante quis mostrar que já passou. Sofreu falta para penalti e na cobrança atirou sem hipóteses para o guardião adversário. 0 - 5. Muito bem!

O Tuarquel ainda conseguiu reduzir a 2 minutos do fim. Foi um lance fortuito mas a equipa visitada até que merecia o seu tento de honra. Mas só um golo que Edo ainda fez questão de defender um livre directo (azul para Reinaldo) no minuto final.


Apito final. Mais um obstáculo ultrapassado. Com todo o mérito. Estamos na luta...




Equipa e marcadores:

Equipa inicial: Edo Bosch (gr), Hélder Nunes, Caio, Ricardo Barreiros (1) e Jorge Silva (2).
Jogaram ainda: Tiago Losna , Vítor Hugo (2) e Reinaldo Ventura


Por: Paulinho Santos
Enviar um comentário
>