quinta-feira, 13 de março de 2014

Andebol: Sporting 28 - 33 FC Porto - Superioridade do Dragão

#andebol #FCPorto #Gilberto

 O FC Porto deslocou-se esta 4ª feira A Mafra para defrontar o rival Sporting em jogo a contar para a 2ª jornada da fase final do campeonato de andebol. Sabíamos que uma vitória em casa deles era um importante tónico para iniciar esta fase (ainda não jogamos a 1ª jornada). Com este resultado estamos a 2 pontos do rival de hoje e temos o jogo com o Sp. Horta em atraso. Faltam 9 finais...






O presidente do rival deslocou-se ao pavilhão para assistir ao jogo. Ainda pensei que o fosse ele o árbitro, acho que anda a propor ser ele... Mas não, foi só para a bancada.





Na 1ª fase deslocámo-nos à casa do rival massacrados com lesões e empatamos. Desta vez não havia lesões e Obradovic fez entrar o 7 mais esperado.


 Foi um grande inicio dos nosso atletas. Logo a abrir Gilberto marcou 2 golos e Tiago um. Um parcial de 3 - 0 a abrir. Excelente.



 Como habitualmente o Porto defendia em 6*0 neste inicio de jogo. Estava a funcionar e quando eles rematavam Laurentino começava a brilhar. Logo nos primeiros ataques 2 defesas a remates da 2ª linha adversária. Um aviso para o que jogadores visitados iriam enfrentar durante este jogo... Ofensivamente tudo perfeito, bem a circular, as trocas posicionais constantes entre Wilson, Ferraz e Gilberto iam confundindo as marcações. E Tiago começava a sua luta, não dava um segundo de descanso.

Assim ao fim dos 5 minutos já vencíamos. 1 - 4 mostrava o placar.

 O jogo entrou então numa toada de parada/resposta. Enorme equilíbrio. A nossa vantagem andou durante largos minutos em 1 ou 2 golos de diferença. Nunca permitimos que a equipa adversária chegasse mais longe. Nem as exclusões de Schubert e a de Gilberto mudou isso. Os nossos guarda-redes estiveram sempre a um nível tremendo e não o permitiram. Se falhávamos no ataque, eles defendiam o seguinte.

 Laurentino coleccionava defesas espetaculares. Defesas aos 9 metros, aos 6 metros, após contra-ataques... E se havia um 7 metros entrava Quintana, que os defendia. No ataque Gilberto, Ferraz e Tiago Rocha estavam acertados.

 A meio da 1ª parte o marcador mostrava um 6 - 7, favorável ao nosso emblema. A vantagem mantinha-se aos 20 minutos. Aos 25 minutos a vantagem era de 2 golos (10 - 12).

 Os minutos imediatamente a seguir ao 25º foi um período complicado. Ricardo Moreira falhou um livre de 7 metros e a conclusão de um contra-ataque. Acontece e o nosso capitão iria redimir-se pouco depois... Em ambos os casos podíamos ter ficado a ganhar por 3. Não aproveitamos e eles acabaram por empatar a 2 minutos do intervalo pela 1ª vez (13 - 13).

Injusto, somos melhores e estávamos melhores.


 Mas, como em tantas ocasiões no passado, a equipa foi à luta. Em 2 minutos, 3 golos marcados e nenhum sofrido. Ricardo Moreira a marcar o 13  - 16 com que chegamos ao intervalo já nos segundos finais.

 Obradovic optou por não mudar o guarda-redes ao intervalo como o faz em grande maioria das vezes. Era quase um crime se o fizesse, Laurentino estava intransponível. Mantinha a defender (quase) tudo... Só não se opunha aos livres de 7 metros. É que no banco estava Quintana que defendeu mais um neste recomeço.

 Entramos a todo o gás e nem a segunda exclusão de Gilberto nos impediu de aumentar a vantagem. Os 3 golos de diferença ao intervalo eram já de 5 no final dos primeiros 5 minutos deste segundo tempo (15- 20). Brilhante reentrada!

 Tal como no primeiro tempo o desenrolar do jogo foi igual. Uns primeiros minutos avassaladores a cavar um fosso e depois um aparente equilíbrio. Digo aparente porque se sentia uma equipa confortável e preparada para qualquer eventualidade. Aproximações no marcador escassas e sempre com 3 golos de diferença no mínimo.

Aos 10 minutos ganhávamos por 18 - 21. Aos 15 minutos por 20 - 24.

 Nesta altura entra Quintana. Laurentino que tudo tinha defendido a grande nível até então, não conseguiu parar 2 ataques com azar. Não há problema, entra Quintana. Entrou e no 1º ataque mais um livre de 7 metros. Mais uma defesa!!! A 3ª em 4 tentativas...

 Estar a realçar apenas os nossos keepers é redutor. E injusto. Hoje todos estiveram bem. Schubert marcou 3 golos de ângulo dificílimo. Nem o tradicional golo em rosca faltou. Nunca falhou. Ferraz marcava que se fartava, alguns já a entrar em jogo passivo e com opositores próximos. Era cada míssil! E por falar em míssil, que dizer de Gilberto? A eficácia habitual naqueles remates que nem dão tempo para o guardião contrário reagir quanto mais esboçar uma defesa... Enfim, uma verdadeira equipa e todos a bom nível.

A 10 minutos do fim a vantagem de 4 golos mantinha-se (20-24).

 Estava na altura de mais um esticão no encontro. A vantagem continuava a crescer. A 5 minutos do fim tínhamos 6 golos de vantagem (24 - 30). Chegou até a ser de 8.

Contudo, duas exclusões nos últimos minutos permitiram uma ligeira recuperação. Jogamos o último minuto e meio com apenas 5 jogadores.

Chega o final do jogo. Vitória clara. 28 - 33. A liderança está a um passo.

 Arbitragem razoável. Apenas um ou outro erro mas sem "tendências". Quando assim é, a qualidade vem ao de cima... E por muito que o clube derrotado goste, não há um único lance que se possam queixar...

Esta saborosa vitória sobre este rival foi uma enorme demonstração de qualidade. Esperemos que no próximo fim de semana tenhamos outra. Uns provaram que não são penta por acaso. Também não somos tricampeões por acaso... O que interessa é que o nosso emblema ganhe! Força Porto!




FICHA DE JOGO

SPORTING-FC PORTO VITALIS, 28-33
2.ª jornada da fase final do Andebol 1
12 de Março de 2014
Pavilhão Municipal de Mafra

Árbitros: Daniel Martins e Roberto Martins (Leiria)

SPORTING: Ricardo Candeias (g.r.), Rui Silva (4), João Antunes, Pedro Portela (7), Frankis Carol (2), Pedro Solha (6) e Fábio Magalhães (6)
Também jogaram: Ângelo Monteiro (g.r.), Benedito Donge, Bruno Cunha (1), Vladimiro Bonaparte (2), Diogo Lopes (2) e Bruno Magalhães (1)
Treinador: Frederico Santos

FC PORTO VITALIS: Hugo Laurentino (g.r.), Gilberto Duarte (7), Wilson Davyes (2), João Ferraz (7), Tiago Rocha (5), Mick Schubert (5) e Ricardo Moreira (4)
Também jogaram: Alfredo Quintana (g.r.), Pedro Spínola (3), Alexis Hernández
Treinador: Ljubomir Obradovic


Ao intervalo: 13-16


 Por: Paulinho Santos



Enviar um comentário
>