quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Hóquei em Patins: FC Porto 2 - 2 AD Valongo

Ainda estamos a meio do campeonato...

Hoje o nosso Dragãozinho encheu. Não só de adeptos mas de ambição, garra, vontade de lutar pelo nosso emblema. Tínhamos a oportunidade de nos sagrarmos líderes isolados do campeonato. Não o conseguimos mas nada está perdido embora a equipa visitante tenha festejado como tal. Iniciamos agora a 2ª volta do campeonato, falta quase meia época. E nós estamos a 1 ponto, um mísero ponto. Muitos quilómetros ainda se patinará este ano...

foto1



O FC Porto entrou em campo como esperado. A grande novidade estava no banco. Reinaldo estava lá. Certamente ainda não na melhor forma, mas clinicamente recuperado.






Foi um jogo alucinante. Um ritmo intenso, forte desde o início. Viril também, disputava-se cada lance no máximo, lutava-se por cada metro de campo. Para termos uma ideia de como efoi viril, basta referir que no primeiro minuto e meio foram marcadas 4 faltas.

Aos poucos a superioridade portista ia aparecendo. Girão estava numa noite sim e ia parando remate atrás de remate.

Aos 3 minutos o primeiro suster da respiração para os nossos adeptos. Penalti para o Valongo. Não duvido que tenha sido falta, até me parece uma decisão acertada, mas parece fora da área. Na cobrança do penalti, o jogador visitante atira ao lado.

foto1



Nós também beneficiamos de um penalti logo depois. Entra Reinaldo para o cobrar. Um especialista nestes lances. Regressou e ia logo cobrar um penalti. Seria Reinaldo contra Girão. O nosso capitão olha para a baliza, atira e bola forte e colocada junto ao poste direito do guardião do Valongo. GOOOOLO! 1 - 0...






O hóquei continuava a ser jogado de uma forma fantástica, intenso como raramente se vê. A nossa equipa jogava a 100 à hora com saídas para o ataque a uma velocidade alucinante. Melhor que isso, fazia-o sem perder a consistência defensiva. O Valongo nesta altura sentia dificuldades em parar o nosso jogo e ia acumulando faltas. Eles, que procuravam acima de tudo garantir eficácia na sua defesa, mais profunda que o habitual.

Tó Neves começa a habitual rotação sensivelmente a meio da primeira parte. Sai Caio, entra Hélder Nunes.

Aos 14 minutos o jogo entra numa fase de grande emoção. Começa com um azul para Tiago Losna (entretanto tinha entrado). Uma palhaçada de João Souto...

Livre directo para o Valongo. Edo, esse montro das balizas tapou todos os caminhos e defendeu. O público sentiu a importância e festejou, redobrou esforços, lutávamos com a equipa. Jogávamos com menos 1 mas nem se parecia. O perigo acontecia na baliza do Valongo. Barreiros, por exemplo, já com o guarda-redes fora do lance atirou ao poste.

Ainda com 15 segundos em inferioridade numérica eles cometem falta para azul. Agora íamos nós ter quase 2 minutos com mais um. E teríamos o livre directo correspondente. Reinaldo volta a entrar mas desta vez não conseguiu marcar.

Com mais um em campo, subimos no campo, começamos a defender junto à baliza adversária. Nesse período o Valongo comete a 10ª falta. Estavam decorridos 16 minutos e eles já tinham atingido as 10 faltas... Desta vez é Hélder Nunes que bate. Atirou ao poste (mais uma aos ferros!).

Já depois da entrada de Vitor Hugo, o Valongo alterou por uns momentos a sua estratégia. De inicio estavam a apostar em trocas de bola longas. Agora estavam num estilo mais directo, 2 atrás e passe imediato para os 2 da frente. Os comandados de Tó Neves mantinham-se como até ali, a circular sem nunca abdicar da velocidade...

A 1 minuto do intervalo o visitante atingia a 15ª falta. Depois de Reinaldo e Hélder Nunes agora ia ser Caio a tentar marcar. Girão defendeu novamente.

Chega o intervalo e 1 - 0 no marcador. Não tivéssemos nós falhado tanto em livres directos/penaltis e o resultado seria bem diferente. A rever.

A segunda parte inicia-se e ainda nem toda a gente tinha voltado ao seu lugar e Edo já fazia uma das suas defesas. Excelente.

O jogo continuava a sustentar-se no ritmo e na luta. Aí começa a brilhar Ricardo Barreiros. Só podia, um atleta no sentido literal da palavra sente-se como peixe na água perante um jogo mais fisico. Não está tudo a sair bem, mas fica a nota para este aspecto.

Aos 7 minutos uma má notícia. Cometemos a 10ª falta. Losna estava no ataque, entra na área e pressionado escorrega e vai contra o guarda redes. Livre directo para eles e o empate.

A superioridade portista do 1º tempo não se verificava nestes últimos 25 minutos. estava um jogo equilibrado, tenso, estávamos presos na teia defensiva dos forasteiros. A juntar a isso, a atracção pelos postes estava no auge. Em jogadas consecutivas Pedro Moreira conseguiu atirar ao poste em ambas...

Chegava novamente a altura de começar a mexer na equipa. Sai Hélder e Losna logo a seguir e entram Caio e Jorge Silva respectivamente. Nesta altura o 5 quye iniciou estava em campo para os últimos 10/11 minutos. Estava a resultar, subimos de rendimento...

No entanto, a 9 minutos do fim, nuvens negras sobre o Dragãozinho. Pedro Moreira recebe o azul. Não contesto o rigor da admoestação, mas contesto que tivemos lances destes ao contrário antes e nada foi marcado. No livre directo o 1 - 2.

Era altura dos adeptos darem um pouco mais. Apoio, incentivo, as claques a cantarem mais alto. Não íamos perder.

Tó Neves arrisca. Entra Reinaldo e sai Barreiros, já fatigado pela intensa luta que travou (era o único que se mantinha na 2ª parte). Logo na jogada inicial depois da troca Reinaldo atira ao poste... Já tinha perdido a conta às bolas no ferro, seriam 5 ou 6? Reinaldo tentava pegar no jogo e teve nova hipótese aos 19 minutos. Era a 20ª falta adversária. Mas infelizmente voltou a não marcar, Girão defendeu novamente.

Era o ensaio para o que se seguiria. Faltavam 4 minutos para o fim. Penalti (claro, por muito que o treinador adversário grite e ralhe). Novamente Reinaldo contra Girão. Reinaldo está concentrado, o público do Valongo ia insultando o nosso capitão e os nossos apoiavam-no... Reinaldo remate e GOLO! Golo, Golo! Careca ohoh..!

Tínhamos ainda uns minutos para ir atrás da vitória. Atirámo-nos a essa função. No minuto seguinte azul para o Valongo (igual ao de Pedro Moreira). Na marcação do livre directo Barreiros falhou. Ainda acertamos mais uma bola ao poste.

Final do jogo. 2 - 2. Ainda não foi hoje que subimos a líderes. É pena, mas ainda falta quase metade do campeonato.

foto1



Sim, não me enganei, quase metade do campeonato. Eu sei que quem visse a festa que o adversário fez pensava que eram campeões. Não são. Fizeram-me lembrar uns tipos que andaram a festejar na Madeira e acabaram ajoelhados... Ao menos esses festejaram a poucas jornadas do fim. Hoje festejou-se quando ainda faltam 14 jogos e há 1 ponto de diferença entre as equipas.




Entendo a euforia, são um clube a fazer uma grande época e não estão habituados a lutar pelo título. Estão eufóricos e é compreensivel. Todavia, festejar assim a meio da época é algo que nunca vi...

Quanto à nossa equipa, calma. fizemos por ganhar, esbarramos nos postes e falhamos nas bolas paradas. Ainda temos tudo para ganhar e sabemos que podemos ser os melhores. Vamos à luta com um breve interregno no próximo fim de semana em que visitamos o Barcelona. Um empate ou uma derrotapor menos de 4 golos e garantimos o 1º lugar do grupo. Se o conseguirmos um dos adversários poderá ser este mesmo Valongo (Liceo é a outra opção)...



FICHA DE JOGO

FC Porto Fidelidade-Valongo, 2-2
Campeonato Nacional, 15.ª jornada
19 de Fevereiro de 2014
Dragão Caixa, no Porto

Árbitros: Rui Torres e Paulo Rainha (Minho)

FC PORTO FIDELIDADE: Edo Bosch (g.r.), Pedro Moreira, Caio, Ricardo Barreiros e Jorge Silva
Jogaram ainda: Reinaldo Ventura (cap.), Hélder Nunes, Tiago Losna, Vítor Hugo
Treinador: Tó Neves

VALONGO: Ângelo Girão (g.r.), Nuno Araújo, Telmo Pinto, Rafa e João Souto
Jogaram ainda: Hugo Azevedo, Miguel Viterbo (cap.), Henrique Magalhães, Nuno Rodrigues
Treinador: Paulo Pereira

Ao intervalo: 1-0

Marcadores: Reinaldo Ventura (6m e 46m), Rafa (32m e 42m)


Por: Paulinho Santos
Enviar um comentário
>