sábado, 8 de fevereiro de 2014

FC Porto 30 - 35 Kielce - Para o ano queremos mais!

 #Andebol #Handeball #EHFChanpionsLeague #FCPorto




Ainda faltam dois jogos para disputar, dois jogos em que o emblema é para defender, dois jogos em que o objectivo de melhorar continua. No entanto já nada mudará, não passaremos esta fase. Esse nunca foi sequer um objectivo (assumido, no fundo todos pensamos ser possivel).






Hoje à noite o nosso Dragãozinho recebeu o último jogo desta época da Champions do Andebol. O adversário era de luxo, o campeão da Polónia, o poderoso Kielce. Nós, novatos nesta competição, eles todos os anos uns sérios candidatos. Basta referir que no último Europeu o Kielce teve 12 jogadores na competição. Eles eram claros favoritos.

Esperava-se uma enchente esta noite. Não aconteceu, o topo Norte estava quase deserto. Foi pena...Fica o aplauso para os cerca de 10 adeptos nesse topo que cantaram o tempo inteiro. Parabéns, grande mentalidade. 

Obradovic escolheu o 7 mais habitual nos últimos jogos. A defesa começou a tentar ser profunda, em 3*2*1.

Entramos ansiosos. Falhamos os 4 primeiros ataques, 2 remates aos 9 metros de João Ferraz e um aos 6 metros de Alexis e uma falha técnica. O Kielce ia fazendo o seu trabalho. Assim, no final dos primeiros 5 minutos 0 - 3.  O nosso técnico não hesitou, pediu logo um desconto de tempo.

Com um jogador a mais, reduzimos para 1 - 3. O marcador foi um jogador em destaque nesta noite, Gilberto Duarte. Esteve imparavel. O 2º golo foi igualmente dele. Teve uma ajuda do outro destaque, Mick Schubert. O seu rol de gestos técnicos continua a encantar os nossos adeptos. Marcou do seu posto especifico com uma bela rosca e logo a seguir de 7 metros.

Ao fim dos 10 minutos 4 - 5. Uma boa recuperação depois do desconto de tempo. Schubert até igualaria a 5. 

Nunca estivemos à frente no marcador, este empate foi o máximo que conseguimos. Se ofensivamente conseguíamos encontrar os caminhos para bater o excelente Szmal, defensivamente nunca conseguimos lidar com o maior poderio fisico e experiência da equipa polaca. Tentamos de tudo, mudamos para 5*1. Até o habitual 6*0.

O Kielce voltou a disparar. Depois de mais um erro de João Ferraz (tantas vezes herói, hoje nada lhe saiu bem) a desvantagem disparou para 4 golos (6 -10). Tínhamos de correr atrás novamente. reduzimos novamente. Durante muitos minutos a diferença esteve nos 2/3 golos (aos 20 minutos 10 - 13). E nestas alturas, a diferença entra as equipas vinha ao de cima. Por mais que uma vez tivemos ataque para reduzir para 1 golo apenas de diferença. Só perto do intervalo o conseguimos e por breves momentos (14 - 15).

Ao intervalo 14 - 16. Ainda podíamos lá chegar.

Os primeiros minutos foram novamente abaixo do que podemos fazer. Logo a abrir dois golos sofridos. Quando nos podíamos aproximar, até isolados falhamos. defensivamente passava tudo. O parcial nos primeiros 10 minutos foi de 2 - 8. A diferença de 2 golos ao intervalo era agora de 8 (16 - 24).

Nunca desistimos, não baixamos os braços. Nem o público nem a equipa. A cada aproximação o apoio redobrava. Gilberto continuava a marcar a cada tentativa. Era dar-lhe a bola... Ele correspondeu com 3 golos de rajada a levar para 5 de diferença (19 - 24). 

A 10 minutos do fim 24 - 27. Ainda podíamos lá chegar. Quase de certeza que a equipa polaca não esperaria ainda ter de suar a esta altura...

Mas sejamos honestos. Eles (ainda) são melhores. Controlaram e venceram justamente. No final 30 - 35.

Este resultado não é de ter vergonha. Estávamos sem 2 pivots, um deles absolutamente decisivo no nosso jogo. Esta Champions só nos orgulha. Queremos lá estar para o ano. Gostamos de jogar contra os melhores, queremos estar entre eles. Queremos mais jogos a este nível, a este elevado ritmo. Sofremos muito até agora, não temos as armas dos outros e tivemos inúmeras lesões. Mas queremos lá estar de novo, vamos lá estar de novo!

Para isso, só temos uma solução. O HEXA TEM DE SER NOSSO. Somos capazes disso. A 2ª fase aproxima-se e tudo está em aberto. Esta é a nossa meta, esta é a nossa obcessão. Vamos a eles...



FICHA DE JOGO

FC Porto Vitalis-Vive Targi Kielce, 30-35
EHF Champions League, grupo B, oitava jornada
7 de Fevereiro de 2014
Dragão Caixa, no Porto
Árbitros: Nenad Krstic e Peter Ljubic (Eslovénia)

FC PORTO VITALIS: Alfredo Quintana (g.r.), Gilberto Duarte (9), João Ferraz (1), Ricardo Moreira (cap., 1), Alexis Hernandez (4), Wilson Davyes (4) e Mick Schubert (6)
Jogaram ainda: Pedro Spínola (5), Nuno Carvalhais e Hugo Laurentino (g.r.) 
Treinador: Ljubomir Obradovic

VIVE TARGI KIELCE: Slawomir Szmal (g.r.), Grzegorz Tkaczyk (1), Piotr Chrapkowski (7), Mateusz Jachlewski (2), Denis Buntic, Zeljko Musa (1) e Ivan Cupic (2)
Jogaram ainda: Piotr Grabarczyk, Karol Bielecki (8), Tomasz Rosinski (4), Michal Jurecki (2), Thorir Olafsson (2), Manuel Strlek (1), Krzysztof Lijewski (4), Venio Losert (g.r.) e Uros Zorman (1)
Treinador: Talant Duyshebaev

Ao intervalo: 14-16



 Por: Paulinho Santos


Enviar um comentário
>