segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

O Campeão D’inverno

Soares "Eusébio" Dias


Depois d’esta enxurrada
De chuva e carpideiras
Fechadas são as torneiras
Para enxugar a enseada

Deste mar de vermelho
Que tudo transbordou
Até ao panteão chegou…
Passando pelo “concelho”!

Uma festa de despedida
Ao seu ícone reservado
Foi o momento ousado
Pr’a levar o Porto de vencida!

A este Porto sem ousadia
Sem chama e sem coragem!
Passando pr’a outra margem
Apenas a letargia!

E agora passamos a ponte
C’o as calças na mão!
Deixando-nos a sensação
Do vazio no horizonte

E até os outros se permitem
Encher de novo o peito!
Ganhando, “levam tud’a eito”!
E já campeões se definem!

E mais, até o mestre da táctica
Ousa afirmar nesse “apogeu”:
Seria campeão europeu!!!
Se não vendesse por política!

É que ganhando um em quatro
Faria melhor lá por fora!
S’os mantivesse na hora!
E jogasse c’os vinte e quatro!

É assim o benfica!
Nestes momentos de glória!
São campeões da memória
E a fanfarronice é que fica!

Daí a minha esperança
D’os ver perder de novo!
Pois noto nisso o seu logro
Querendo com tanta ânsia!

E nestas pequenas conquistas
Sobre o seu eterno rival
Largam a festa, o arraial!
E alargam-se nas suas vistas!

São campeões d’inverno!
Título não oficial…
Não o contabilizem, por tal
Qu’o pecúlio ainda é pequeno!

Pois, muita água vai correr
Na força desses estreitos
Que lá pr’a Maio, os leitos
Se vão por certo, encher!

E vendidas essas searas
Pelo preço das cláusulas!?
Daí virão as causas
Par’as próximas enxurradas!

E depois vistas à mingua
O valor das sementeiras
Vão justificar-se das eiras
Na sua pródiga má-lingua!

Pois já s’adivinhav’o lucro
Exponencial no pasquim!
Fazendo alarde e festim!
Por tal negócio chorudo!

Afinal vai por metade
A pérola do vale da Luz!
O qu’a sementeira produz
Não val’a finalidade!

E s’e depois lá pr’a primavera
Recolherem o habitual
Não venham falar-nos mal
Do tempo qu’era uma quimera!

Ai, se não fossem vendidos…
O Matic e o Daviz Luiz!
O Witsel e o Ramirez!
Quantos campeonatos perdidos!

É o jeito de contabilizar
O que se vende, não o que s’investe
E nisso o qu’o passivo cresce!!!
No “campeão” que tarda em chegar!

Por isso que ganhem esse ceptro
E façam essa festa antecipada!
Que lá pr’a trigésima jornada
O governo aprovará novo decreto:

Qu’os jogos acabem aos noventa
E o campeonato à primeira volta!
O campeão, no inverno s’ostenta!
Proibindo-se a reviravolta!?






Por: Joker
Enviar um comentário
>