sábado, 11 de janeiro de 2014

Liga Zon Sagres, 15ª Jornada: Benfica - FC Porto (Antevisão)






Depois de um ligeiro interregno, a Liga está de regresso e logo com um clássico! No próximo domingo, Benfica e FC Porto medirão forças no Estádio da Luz, numa partida referente à 15ª e última jornada da primeira volta do campeonato. Decorridas 14 jogos, ambas as formações contam com 33 pontos - juntando-se a esta dupla a equipa do Sporting - fruto de 10 vitórias, três empates e uma derrota.




Nos jogos efectuados como visitado, o Benfica regista quatro triunfos e dois empates (Belenenses e Arouca), cedendo pontos no seu reduto precisamente frente às duas equipas que militavam no ano anterior na Segunda Liga.  A irregularidade exibicional da equipa encarnada vem sendo uma imagem de marca até ao momento, fazendo com que cedesse pontos, em jogos que certamente ninguém contaria. Para o jogo contra o FC Porto, existem algumas incógnitas.

A primeira dúvida prende-se quem irá defender a baliza. O brasileiro Artur Moraes está totalmente recuperado - saiu lesionado no encontro frente ao Olhanense - mas por outro lado, o jovem Oblak apesar de não ter sido verdadeiramente posto à prova, cumpriu na íntegra enquanto esteve dentro das quatro linhas, não sofrendo inclusive qualquer golo. Se a lógica imperar, o Artur deverá ser o eleito, se bem, que tem falhado nos momentos decisivos, o que vem abrir uma réstia de esperança ao guardião esloveno na luta por um lugar entre os postes.

Defensivamente, com a recuperação total do Siqueira, o quarteto utilizado será o habitual, isto é, Maxi Pereira e Siqueira sobre as laterais, estando o Garay e o Luisão no centro da defesa. No meio-campo, reside dúvidas na sua estrutura. Tacticamente, Jorge Jesus por norma opta pela utilização de dois jogadores na zona central (Matic e Enzo). Atendendo às dificuldades do jogo em si, e o FC Porto, jogar com três jogadores no sector intermédio, o mais provável será juntar a esta dupla, um terceiro elemento, que possa ser importante sobretudo nos momentos da perca de bola e possa dar equilíbrio na organização defensiva e garantir as respectivas coberturas. Com base no que tem sido feito, os principais candidatos serão o Fejsa e o Rúben Amorim.

Se a aposta recair no jogador sérvio, aí o técnico do Benfica vai procurar estagnar todas as acções que possam ser desenvolvidas pelo FC Porto no momento da sua organização na zona central do terreno, dando ênfase ao primeiro princípio da defesa (contenção). E lá está, com o Fejsa em campo, o Matic poderá dispor de outro tipo de liberdade no momento com bola, uma vez que o ex-Olympiacos dará o equilíbrio no momento da subida deste. Jogando o internacional português, este dará cobertura essencialmente através das movimentações que possam ser feitas pelo Enzo, que é um jogador bastante inteligente no plano táctico, sabendo-se movimentar nas zonas onde costuma percorrer ao longo de um encontro.

Sendo assim, apresentando três homens no meio-campo, ofensivamente, a equipa é distribuída da seguinte maneira: dois alas e um ponta de lança. Com o argentino Salvio ainda a recuperar da lesão grave ocorrida na terceira jornada em Alvalade, os principais candidatos a ocuparem as faixas, serão precisamente o argentino Gaitan e o sérvio Markovic. Atenção: o ex-Partizan, procura fazer a diferença através de movimentos interiores e defensivamente, não apoia convenientemente o seu lateral, algo a ser explorado pelos dragões.

Uma baixa de vulto no ataque encarnado será o paraguaio Cardozo, que ainda recupera de lesão. Sendo assim, existem algumas dúvidas na composição da linha ofensiva a ser apresentada por Jorge Jesus. Por norma, a estratégia passa pela inclusão de dois homens na frente e posto isto, os candidatos a ocuparem as vagas seriam o Rodrigo e o Lima. No entanto, o internacional espanhol vem treinando condicionado durante a semana de preparação do clássico e tendo em conta, a possível mudança na zona intermédia do terreno, a solução mais provável deverá passar pela utilização inicial somente de um ponta de lança, neste caso: Lima.

No FC Porto, existem igualmente algumas dúvidas, a serem desfeitas pouco antes do início da partida, desde ao onze, até quem irá estar pelo banco de suplentes. Para este encontro, Paulo Fonseca já poderá contar com Ricardo Quaresma, ele que chegou a estar convocado para a partida diante do Atlético, contudo, problemas com o certificado internacional, vieram inviabilizar uma possível estreia neste regresso ao clube, depois de se ter transferido em 2008 para o Inter de Milão.


Será certamente um duelo intenso, onde as duas equipas tudo farão para conquistar os três pontos. Caso o FC Porto consiga obter sucesso no Estádio da Luz, poderá isolar-se no comando da tabela classificativa, ficando claro está, igualmente dependente do resultado alcançado pelo Sporting na visita ao Estoril.  

Por: Dragão Orgulhoso
Enviar um comentário
>