quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Liga revolução; 7ª Jornada: Marítimo B 2-0 FC Porto B (Crónica)

Foi mau demais. Só assim se pode descrever a viagem do Porto B à Madeira para defrontar o Marítimo B.






Os jogadores portistas nunca estiveram com a cabeça no jogo. Realizaram uma exibição apática que em nada dignificou o emblema. Do outro lado, o Marítimo aproveitou e justificou plenamente a vantagem que só peca por escassa.






A equipa técnica também não fica impune. O meio campo com Mikel, Pedro Moreira e Carlos Eduardo nunca funcionou e Luis Castro esperou pelo 2-0 para mudar aquilo que devia ter sido mudado muito tempo antes.

O Marítimo conseguiu sempre estancar as alas e obrigou Tozé a recuar muito no terreno. Kelvin alternou a inexistência com um individualismo absurdo. E a missão de Kleber tornou-se inglória, lutando sozinho contra a defesa do Marítimo.

O Porto B para além de não atacar (o primeiro remate que causa real perigo surge aos 76 minutos), revelou debilidades imensas a defender, com os atacantes do Marítimo a surgirem com facilidade nas costas da defesa portista.

Os golos surgiram assim com naturalidade em dois lances em que fica bem evidente a apatia da defesa do Porto.

Os erros individuais acumulavam-se e apenas Quinones do lado esquerdo e o estreante Kayembe mostraram alguma vontade de remar contra a maré.

Pode parecer uma análise demasiado dura, mas garanto ao leitor que foi mesmo mau, demasiado mau. Exige-se já no próximo jogo uma exibição que limpe esta imagem que foi hoje deixada.

Nota ainda para os comentários vergonhosos da MarítimoTV. Quando numa emissão sem qualquer repetição os comentadores se dão ao luxo de afirmar convictamente o que é ou não fora de jogo...


Análise individual:

Não farei uma análise individual deste jogo. Se o fizesse, o leitor ficaria com a ideia que o Porto B é uma equipa amadora. Sei que estes jogadores valem muito mais que aquilo que mostraram hoje e têm a capacidade e a responsabilidade para fazer muito mais.

A atitude de alguns jogadores foi lamentável.

Os erros foram de tal forma abundantes e graves na maior parte dos jogadores que mais vale abordar esta situação assim: foi um dia para esquecer, venha o próximo.

Ainda assim, gostaria de deixar mais uma vez uma nota positiva para o estreante Kayembe. Conseguiu remar contra a maré da apatia. Mostrou garra, vontade e qualidade. E já no final do jogo ia marcando na melhor oportunidade do Porto no jogo.


Por: Prodígio

Enviar um comentário
>