quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Andebol:benfica 24 - 27 FC Porto - Chama de Dragão queima lampião






O FC Porto visitou a casa daqueles que mais gostamos de vencer e saiu de lá com uma vitória, isolando-se assim na liderança do campeonato. Fê-lo com inúmeras ausências que obrigaram a um esforço extra de alguns atletas e com uma sobrecarga de jogos. Mais uma vez ficou demonstrada a supremacia da nossa equipa em relação às restantes.





Sem surpresas, até por falta de escolhas de valor igual, Obradovic fez começar o 7 esperado. A dúvida poderia ser na baliza, mas como sabemos normalmente é meia parte para cada um. podem os 2 ser considerados titulares. Desta vez começou Laurentino.

Tal como tem acontecido nos últimos jogos, o nosso técnico deu preferência a uma defesa 6*0. Mais uma vez resultou. Começamos bem, com agressividade, a pressionar bem e tapando espaços ao adversário. Quando conseguiam rematar Laurentino mostrava-se atento.

Esse bom início defensivo proporcionou-nos desde cedo uma vantagem no marcador. Um golo do finalmente regressado Tiago Rocha e 3 de João Ferraz (mão quente neste inicio) deram-nos uma vantagem por 4 - 2 muito cedo na partida.

Como sabemos a nossa equipa tem sofrido uma razia na nossa 1ª linha. O trio João Ferraz, Wilson e Gilberto são por isso obrigados a trabalhos redobrados. Quando um falha a equipa ressente-se. Em altura de exclusões costumamos abdicar de um pivot, mantendo a 1ª linha sempre com 3. Desta vez não foi possível. Assim, a equipa adversária aproveitou as nossas exclusões (Wilson primeiro e logo a seguir Gilberto) para equilibrar a partida. Conseguiram-no com esforço, mas paulatinamente o equilíbrio instalou-se. 

A meio da 1ª parte um empate a 5 golos. Está correcto, apenas marcamos mais uma vez nestes minutos. Tivemos alguns erros técnicos, o último passe para o contra-ataque nem sempre saiu. Além disso Mick Schubert desperdiçou várias ocasiões neste período. Valeu-nos a enorme garra e concentração na defesa. Obrigamos o rival a cometer os mesmos erros.

Os restantes 15 minutos até ao intervalo não trouxeram diferenças significativas na exibição da equipa. O equilíbrio era a nota dominante. Nós continuávamos com uma defesa de betão e um ataque desastrado e com bastante azar (Gilberto mandou 3 bolas ao ferro por exemplo). De significativo, apenas mais uma exclusão, desta vez para Daymaro por agarrão a um jogador encarnado.

Chegamos a estar em desvantagem embora nunca superior a um golo. Contudo recuperamos sempre e perto do intervalo já liderávamos. Foi com uma diferença miníma que soou o apito para o descanso. Estávamos na frente por 1 golo. 11 - 10 No marcador.

O regresso trouxe-nos com mais força, aqueles minutos de descanso deram resultado. Tirando a ocasional entrada de Salina, o 7 que iniciou o jogo foi sempre o mesmo durante os 30 minutos (como seria até ao fim aliás, com uma excepção no ponta direito).

Logo no início Schubert aumentou a vantagem. Estava dado o 1º sinal que vinha com mais pontaria. Ainda marcaríamos mais uma vez, o que nos dava uma vantagem de 3 golos. Excelente início.

Este segundo tempo mostrou uma caracteristica diferente. Ambos os ataques estavam mais certeiros. felizmente nós estávamos superiores neste campo. 

Os minutos passavam e a diferença era sempre de 2 ou 3 golos a nosso favor. Faltavam apenas os 10 minutos finais e ganhávamos por 3 (19 - 22). Até aqui minutos apenas uma nota. Gilberto, depois dos azares de tantas bolas, acertou. Estreou-se na lista de marcadores apenas ao nosso 17º golo. Nada habitual, sobretudo quando está a bom nível como foi hoje o caso.

Estávamos no momento decisivo. Sabíamos que a nossa equipa estava cansada, apesar da vantagem que tínhamos, nada estava decidido. Era preciso mais um esforço. Obradovic optou apenas por 2 jogadores vindos do banco. O já citado Salina e nestes minutos finais Miguel Sarmento entrou para o lugar de Ricardo Moreira.

Schubert mais uma vez ampliou a vantagem na conclusão de um contra-ataque. Finalmente 4 golos de diferença. Estávamos lançados.

Nem a exclusão de Tiago Rocha alterou isso. Mantivemos a vantagem mesmo nos momentos de inferioridade numérica, sobretudo devido a Wilson (mais um grande jogo) e Quintana com uma defesa espetacular a um remate aos 6 metros.

O diminuto público, talvez apenas metade do pavilhão ocupado (isso temos nós nos jogos contra os últimos) sentia que a partida lhes estava a fugir. O árbitro passava a ser a dupla de arbitragem (é preciso lata!!). A frustração tomou conta deles. Pegaram-se uns com os outros, chegou-se a ver um objecto no campo atirado da bancada. Ainda poderia dizer que esperava ver o castigo disto, mas já sei que nem multa vai existir...

A 5 minutos do fim o marcador mostrava 23 - 25, após algumas desconcentrações. Mais uma vez brilhou Quintana. Uma primeira defesa, a bola ressalta para um adversário e ainda defendeu a recarga com a cara.

Podíamos nós alargar a vantagem. Wilson teve direito a um livre de 7 metros. Mais uma vez os postes atraiçoaram os nossos intentos. Na jogada seguinte eles reduziram apenas para um de diferença.

Era a altura do toque a reunir. Faltava pouco e estávamos perto, não podíamos ceder agora. Mais um esforço...

Num dos ataques seguintes novo livre de 7 metros. Mais uma vez bem assinalado, por muito que aqueles seres reclamassem. Nós sabemos que não estão habituados a que lhes marquem faltas, mas são as regras. Entra dentro da área para defender, 7 metros. Desta vez, salta do banco o capitão Ricardo Moreira para marcar. GOLO! 

A 2 minutos do fim 2 golos de vantagem. Concentração na defesa agora... 

No ataque adversário assistimos novamente a uma prova da vontade e qualidade desta equipa. Enorme e brilhante intercepção de bola de Gilberto, passe para Schubert e este a concluir o contra-ataque. Estava ganho...

Até ao fim apenas mais umas demonstrações de qualidade para não deixar dúvidas de quem manda no campo. Uma (mais uma!) grande defesa de Quintana e um bloco de Daymaro a frustar ainda mais os adeptos do clube das papoilas saltitantes.

Apito final. Liderança isolada ao fim da 3ª jornada. Já vencemos o Sporting e o benfica. Grande início de época.

No próximo Domingo, novo dia grande para o nosso andebol, a estreia na Champions. Iremos à Dinamarca defrontar o Kolding, numa partida que se inicia às 16h em Portugal. Dois dias depois regressa o campeonato com a recepção ao Águas Santas. É um período terrível, teremos 10 jogos no espaço de um mês. Vamos lá...


Equipa e marcadores:

Equipa inicial: Hugo Laurentino (gr), Gilberto Duarte (2), Wilson Davyes (5), Tiago Rocha (5), Mick Schubert (6), Ricardo Moreira (2) e João Ferraz (5). 
Jogaram ainda: Alfredo Quintana (gr), Daymaro Salina (1) e Miguel Sarmento (1).


Por: Paulinho Santos


Enviar um comentário
>