quinta-feira, 6 de junho de 2013

Pompa e circunstância.



Mais uma conferência
Marcada com solenidade
No hóquei, a referência
Duma “nova” modalidade

Tantas vezes esquecida
Nas televisões do regime
Vê-se agora renascida
No Europeu desse “crime”

No preâmbulo quixotesco
Do anúncio fora-d’horas
Denunciando o dantesco
No pavilhão sobre rodas

Que não tinham condições
De segurança, bilhetes
Para serem campeões!
Os adeptos eram joguetes…

E faltariam à final
Na vitória da intimidação
Sobejando o capital
Pro Porto ser o campeão!

Mas, os moralistas jogaram
Ao jogo, no fim, vieram
Nesses Deuses s’apoiaram
E no canto do cisne, venceram…

Sabem ganhar nos descontos!
Diz o Vieira em sofreguidão
Já se esqueceu dos encontros
Perdidos nessa sensação

Agora até faz graçolas
Tão cheio de si próprio…
Até nos descontos, as bolas
Ganham um sentido mórbido

Chutadas ao Deus dará
Entram num golo d’ouro!
Convoque-se a imprensa, já!
Campeão da Europa, o Mouro!?

E as televisões abrem jornais
O orelhas venceu, sem perder!
Vai perdurar nos anais:
Ganhar sem saber ler e escrever!

Também ganhou nos juvenis
Não nos descontos, no ultimo
Minuto, marcado por um triz
Também festejado no púlpito!

Com pompa e circunstância
S’anunciam as novas conquistas
O Benfica venceu essa ânsia
Só vai apostar nos hoquistas!

E a época é salva in extremis
Na sede do prolongamento
O orelhas anuncia ipsis verbis
Pró ano muda o regulamento:

Deixam d’existir descontos
O jogo prolonga-se no imediato
Só acaba em físicos confrontos
C’o anúncio d’orelhas, no palco!



Por Joker
Enviar um comentário
>