domingo, 16 de junho de 2013

O Bom Rebelde!



Um bairro de Ermesinde
Vê nascer o Rebelde
Jogando à bola, ao berlinde
Torna o seu bairro célebre

Nesse mundo problemático
O futebol é a solução
Para outro fim emblemático
Nessas cores do seu Dragão

Um pé esquerdo de sonho
Qu’o carisma não preenche
Obrig’ao precoce abandono
Outro clube que o tente

E roda nessas montanhas
De cor verde trajado
Na Covilhã, as façanhas
Lev’ao clube indicado

Em Paços por lá cresceu
Com’o jogador, como homem
No amarelo, amadureceu
Negando cores, qu’o consomem

Só uma cor o tentava
Nessa exaltação clubista
O azul que tanta amava
Com’uma escolha benquista

Não o clube encarnado
Desse bairro de Benfica
Ou o outro clube vincado
Ao ódio qu’o classifica

Pois um Portista, não gosta
De quem o tenta ultrajar
Nessa paixão, não s’encosta
Luta e continua a lutar!

Podem cortar relações
Podem comprar os pasquins
Podem ameaçar com sanções
Para atingir outros fins!

Qu’um portista não renega
À sua génese de cor
E o vermelho não enverga
Como seu traje d’amor!

Por isso, desde Ermesinde
O bom filho à casa volta
Não vem já jogar ao berlinde
Vem proclamar a “revolta”!

E bem podem escrever
O Josué é craque a olho
E vai continuar a resolver
Com o seu traje de sonho!

E um pé esquerdo voltará
A comandar o meio-campo
Com um semblante que dá
Garantia com selo d’encanto!

Novo comandante nascerá
Depois da morte de Moisés
À terra prometida, chegará
Na liderança dos seus pés!…




Por: Josué
Enviar um comentário
>