sexta-feira, 23 de março de 2012

Poderá estar a perguntar-se quem raio é Vasco Santos?










Se fosse xadrez, dir-se-ia que é um peão, mas como é futebol, é um árbitro com muita disponibilidade para os trabalhos de casa que lhe encomendarem. Faz parte daquela classe de árbitros que não entram condicionados no nosso salão de festas, nem têm qualquer predisposição para errar. Pudera, é um daqueles que conhecem bem o dono.








No passado Domingo, Vasco Santos foi de passeio a Guimarães, com uma encomenda debaixo do apito. O trabalho de casa que lhe foi encomendado era simples: suavizar um escolho para não arrombar o casco de quem ainda quer ser campeão. A Olhanense lá traz um ponto de Guimarães para as suas lutas, contentes e felizes, num jogo em que tiveram a perder por 0-2.

Do que não se livraram é de receberem o próximo adversário em terras Algarvias sem o seu melhor defesa (André Pinto), sem o seu melhor médio (Cauê) e sem o seu melhor avançado (Wilson Eduardo). Isso não. Trabalho é trabalho, não há apito a medir!
Já são famosas as visitas de cortesia e de boas maneiras que alguns costumam fazer ao Algarve. O sol do sotavento parece um bom condimento para cozinhar títulos. Que o digam os canários da linha.

Trabalho de casa bem feito dá alegria ao professor, bom nota no final do ano e, quiçá, as boas graças para chegar longe. Não é, Vasquinho!



Por: Breogán
Enviar um comentário
>