domingo, 22 de julho de 2012

FC Porto 3 - 0 Celta de Vigo (Crónica)







Trabalhar primeiro e arrasar depois. É este o breve resumo do jogo de ontem do FC Porto. Mais um jogo de preparação que mostrou evolução e boas bases de jogo para a época que se avizinha. Mesmo com adaptações (a meio da segunda parte a linha defensiva portista chegou a ser formada por quatro centrais) e com alguns jogadores importantes do grupo ainda de férias, a qualidade de jogo e, sobretudo, o empenho competitivo demonstrado pela equipa é muito animador.







Na primeira parte, o FC Porto teve duas adaptações a fazer. Primeiro, ao terreno de jogo. O relvado (?) do Fontelo mais parecia um lura de coelhos, onde só faltou a aparição dos leporídeos. Segundo, ao jogo de retranca apresentado pela equipa Galega. Coesa na zona defensiva e rápida na transição ofensiva, aproveitando os corredores laterais, onde o FC Porto não tinha jogadores de raiz nessas posições.

Bom trabalho da linha média do FC Porto que aos poucos ganhou o domínio do jogo e da posse de bola. Às boas oportunidades inicias do Celta de Vigo, respondeu o FC Porto com as melhores oportunidades da primeira parte. Faltava capacidade desequilibrante na linha da frente, mais por mérito Galego, que com empenho reduzia espaços à entrada da sua área.

A segunda parte trouxe um FC Porto mais rotativo e com maior tracção à frente. James assumiu o controlo do jogo interior e as entradas de Kelvin e Iturbe foram demolidoras para a estrutura defensiva Galega.
Um recital de talento que em 10 minutos ganha um vantagem inalcançável no marcador. Três golos de talento. O primeiro, de talento colectivo e os restantes de talento individual. Demasiado talento e capacidade para o Celta de Vigo.



Breves análises individuais:


Fabiano - Duas excelentes intervenções. É um guarda-redes a pedir evolução (precisa de agarrar mais bolas) e o FC Porto sabe disso. Se é melhor ficar ou sair para jogar? Não é uma resposta fácil.

Djalma - Merecia o golo numa exímia jogada individual. Apaga-se pelo colectivo, mas tem que perceber que é com momentos como esses que cala quem o critica. Bom esforço a jogar numa posição para a qual não tem características.

Mangala - Não é um defesa esquerdo e só será, quanto muito, uma solução de recurso. O importante foi ter somado minutos, ter tido a confiança do treinador para cumprir uma missão que se sabe não é talhada para ele e ter dado sinais claros que está pronto a explodir. Deu espaços no seu sector, foi por onde o Celta mais gostou de atacar, mas teremos Mangala como no ano passado tivemos Maicon.

Otamendi - Um ou outro deslize, mas no geral, uma exibição de encher o olho. Rápido e incisivo.

Maicon - Agora até livres à Roberto Carlos!!! O que mais virá por aí? Imperial a defender e a atacar...está fatal!

Fernando - Algo "pesadão", o que é normal pela carga física desta fase da época. Mesmo assim, não deu hipótese ao criativo do Celta de Vigo.

Defour - Bom jogo, mais uma vez é impossível afirmar o contrário. Continua minimalista demais no seu futebol e com isso persiste em esconder o seu bom futebol.

Lucho - Bem melhor que Defour na alegria em campo. Sublime nas tabelas curtas e bom acerto de passe. O seu golo é um sinal de "boa saúde" da equipa.

Atsu - Sempre vertical, embora tenha perdido alguns lances por excesso de adorno. No início da segunda parte, deveria ter sido mais efectivo e colocar a bola na entrada de Kléber. Mas aprender é isto. Errar e evoluir.

James - Primeira parte mais apagada e uma segunda parte onde enche o campo. A assistência para o golo de Lucho é linda! Fez jogar a equipa, quando colocou todo o seu talento pela zona central. E que grande segunda parte fez o FC Porto.

Kléber - Mais um bom jogo para o jovem ponta de lança. Sofreu na primeira parte, mas mostrou sempre empenho. No início da segunda parte, esteve muito activo e o golo escapou por pouco.

Bracalli - Boa resposta a Fabiano. Excelente defesa na primeira oportunidade do Celta de Vigo na segunda parte.

Kelvin - A sua entrada ajudou o FC Porto a subir no terreno e de produção. Falta-lhe ganhar dimensão física no seu jogo. Foi um quebra cabeças para o Celta e será um quebra cabeças para Vítor Pereira...

Jackson - Não marcou, não assistiu, mas para quem esteve atento percebeu que ali está um ponta de lança de muito valor. Por agora, fiquemos por aqui, mas que foi muito bom...foi!

Castro - A raça e o empenho são inquestionáveis. Mostra-o em todos os lances, mesmo nos quase perdidos. Falta-lhe é mostrar mais futebol.

Sereno - Boa entrada em jogo. Cumpriu a lateral e esteve em bom plano a central, embora tenha deixado Aspas sozinho no golo anulado ao Celta de Vigo.

Iturbe - Eis Iturbe! Um golo de craque! Valeu a pena a espera, o trabalho atrás da cortina e a paciência. É assim que se constroem talentos e não a martelo, metendo-os na equipa a torto e a direito. Uma lição. Muito perfume espalhado pelo Fontelo.

P. Moreira - Mais apagado que em outros jogos, mas muito competente no que fez. Muito competente, mesmo. Até nas compensações aos laterais. Está aqui um jogador "escondido" mas com valor.

David - Mais um prémio para o jovem lateral. Entrou bem, mas divide com Sereno a "fuga" de Aspas. Mais um menino com talento.

Mikel - Mais uma vez entrou bem, embora sejam visíveis alguns defeitos que precisa de trabalhar. Teve uma perda de bola que não pode acontecer, mas é um ex-júnior e é normal que tente experimentar o que não pode fazer.


FICHA DE JOGO:



Estádio do Fontelo, em Viseu

Árbitro: Carlos Xistra
Assistentes: Tiago Gonçalves e Pedro Ribeiro
Quarto árbitro: Jorge Tavares

FC PORTO: Fabiano; Djalma, Maicon, Otamendi e Mangala; Fernando, Defour e Lucho (cap.); James, Kleber e Christian Atsu
Substituições: Fabiano por Bracali (45m), Christian Atsu por Kelvin (54m), Kleber por Jackson (54m), Djalma por Sereno (63m), Fernando por Castro (63m), James por Iturbe (70m), Lucho por Pedro Moreira (70m), Otamendi por Mikel (81 m) e Defour por David (81 m)
Não utilizado: Kadú
Treinador: Vítor Pereira

CELTA DE VIGO: Javi Varas; Tuñez, Jonathan Vila (cap.), Bellvis e Jonny; Cabral, Natxo Insa e Dani Abalo; Bermejo, De Lucas, David.
SUBSTITUICÕES: Javi Varas por Sergio (45m), Tuñez por Hugo Mallo (45m), Jonathan Vila por Roberto Lago (45m), Bellvis por Catalá (45m), Jonny por Samuel (45m), Cabral por Bustos (45m), Natxo Insa por Alex Lopez (45m), Dani Abalo por Toni (45m), Bermejo por Joan Tomas (45m), De Lucas por Toni (45m) e David por Jota (45m)
Treinador: Francisco Herrera Lorenzo

Ao intervalo: 0-0

Marcadores: Lucho (66m), Maicon (76m) e Iturbe (77m)
Cartões amarelos: Poceiro (77m) e Kasunga (79m)

O Que disseram os Intervenientes:

Vítor Pereira:

«Na primeira parte, o ritmo foi algo lento. Acusámos um pouco o calor e a terceira semana de trabalho intenso. É natural sentir nos jogadores alguma dificuldade de reação. Com o sol a ir embora e ficando mais frescos, estivemos melhor. Na segunda parte acelerámos um bocadinho e com paciência chegámos aos golos. Com a entrada dos miúdos, que têm uma capacidade de aceleração muito forte, construímos a vitória. Foi um resultado justo. Nesta altura, não podemos trabalhar os jogos, aliviar cargas nos treinos para chegarmos frescos a estes jogos. Mas a equipa evoluir, demos mais ritmo aos jogadores e estamos a trabalhar para, quando for a sério, estarmos preparados.»

Sobre o estilo de jogo: «Temos de saber gerir a fadiga, saber que temos de ser organizados quando não podemos pressionar alto. Se estivermos sempre a acelerar com bola, o risco de a perdermos é maior. O nosso jogo é de espera do momento certo para acelerarmos. Estamos a crescer, vejo uma equipa solidária e unida. Estou satisfeito com os mais experientes e com os mais novos.»

Sobre a estreia de Jackson: «O Jackson tem ainda muito pouco trabalho, mas gostei. É um jogador inteligente, técnico, rápido, que sabe a acelerar e desacelerar o jogo. É um jogador que nos pode ajudar, assim como acredito que o Kléber pode fazer uma época mais conseguida que na época passada.»

Mais um golo de Maicon de livre: «Maicon é uma descoberta, sinceramente. Já o vi marcar em força, em jeito, está a surpreender-nos a todos.»

Sobre Hulk «Hulk é um jogador importante, como são todos que ainda não voltaram. mas não podemos estar à espera que cheguem para consolidarmos comportamentos. Estamos a dar oportunidade aos jovens, que a estão a aproveitar. Peço à massa associativa que apoiem os jovens mas que tenham paciência naqueles momentos em que eles se deslumbrem.»

Iturbe: 


«O golo? Estava com muita confiança. Tenho trabalhado bem, hoje deu para marcar e quero aproveitar isso. Estou a trabalhar todos os dias e a trabalhar bem. Isto ajuda-me para o futuro. Sabiamos que o Celta era uma boa equipa, joga na Liga espanhola. Tivemos de estar sempre numa alta condição, mas temos trabalhado sempre assim. Trabalho para melhorar a cada dia. Esta equipa está preparada para todas as competições.»                         

Jackson Martínez:


«Estou contente porque esperava jogar. Tinha essa esperança e, bem, chegou a hora. Saio contente porque ganhámos e quando assim é saímos com um sorriso no rosto. Esperemos que a vitória sirva para dar confiança. O F.C. Porto é uma equipa respeitável, uma equipa grande. Se me deram oportunidade de vir, é para ajudar. Quando tivermos mais minutos vamos chegar a uma condição ótima para o inicio da época. O que podem esperar de mim? Entrega a 100 por cento, profissionalismo e vou tentar marcar golos. Espero ajudar a equipa.»




Por: Breogán
Enviar um comentário
>