quinta-feira, 19 de julho de 2012

BASQUETEBOL: Porquê tanta indefinição no basquete Azul e Branco?









No seguimento dos últimos dias com noticias dispares vindas de vários quadrantes, chega-se à data limite com um horizonte de expectativa e de algum optimismo.

 Segundo as ultimas noticias o basquetebol azul e branco tem pernas para andar, embora em condições diferentes mas com pernas para andar.








Em face do que vem hoje a lume, a nossa pergunta é:

Porquê tanto suspense e porquê pôr a modalidade em risco, criar cisões entre adeptos, e ainda os há em bastante número que gostam das modalidades e em especial do basquetebol, quando se há números e ideias de como manter modalidade, se for para continuar porquê este sofrimento e não foi imposta essa vontade e essa premissa de início?

Já se sabe que em tudo na vida haverá sempre os maus e os bons da história, a direcção do FC Porto porque com bastante show-off lá consegue manter a modalidade, apesar das ameaças e da má condução de todo um processo que poderia ser de forma mais simples conduzido, e um treinador que foi um achado para o clube, que honra a camisa, que a veste nos bons e maus momentos e que teve a paciência para não bater com a porta.

E por fim os atletas que vão aguentando agora com mais um baixar de ordenado na ordem dos 30% mas que continuam no clube que mesmo assim terá (se isto for verdade) o 2º maior orçamento a nível Nacional, logo a seguir ao grande rival Benfica, e a garantia de pelo menos receberem os ordenados mesmo que seja com significativo atraso.

Fonte: Jornal "O Jogo"


Por fim mais dias difíceis esperam a modalidade com o abdicar também da Sporttv dos direitos de transmissão dos jogos do campeonato nacional.

Enfim uma modalidade que pela sua beleza e espectacularidade merece ser repensada a nível nacional, com aposta na formação, garantindo bases no presente, apostando na "escola" para que no futuro possamos ter a modalidade da bola no cesto com sustentabilidade no nosso país.

Nós FC Porto temos a pessoa certa para tomar em braços a tarefa de formar, Moncho Lopez, um catedrático da formação Espanhola, o seu curriculum fala por si, porque não no FC Porto lhe darem plenos poderes para com um projecto sólido e sustentável desde as bases da formação, construir o futuro da modalidade no nosso clube?


Este é o caminho!


Por: Rabah Madjer
Enviar um comentário
>