domingo, 1 de janeiro de 2012

O preito merecido ao melhor Presidente desportivo de todos os tempos.






Jorge Nuno Pinto da Costa lidera o FC Porto desde 1982, sendo por mérito próprio o presidente de clube com mais títulos a nível mundial, reunindo 55 troféus. Sob a sua inquestionável e sábia gestão, os dragões conquistaram a Taça dos Campeões Europeus, a Taça UEFA e a Taça Intercontinental por duas vezes, além de terem ganho o campeonato nacional em 18 ocasiões e a Taça de Portugal em 12.







Este é sem qualquer sombra de dúvida, um feito de inegável valia pessoal e desportiva, que notabiliza uma personalidade única na área do desporto em Portugal e também no estrangeiro, pese embora, algumas reticências de pensamento contrário provenientes de certos quadrantes antagónicos à hegemonia do clube azul e branco, representados e espelhados contra a pessoa e o projeto conjunto do seu presidente, todavia, este conceito por vezes miserabilista e contraproducente que é bem patente nos meios do audiovisual e no centralismo que mora em Lisboa, é bem mais fruto da inveja e da razão que faz nortear o projeto FC Porto como um exemplo a seguir de sucesso desportivo no mundo, tendo em conta as diferenças que balizam as receitas do FC Porto em relação com outros colossos do futebol europeu e mundial, o que ainda contribui mais para aureolar e perpetuar a forma e o conteúdo dos êxitos desportivos.

Curiosamente, no dia em que completou 74 anos, Jorge Nuno Pinto da Costa foi homenageado recebendo das mãos de Fábio Capelo, selecionador de Inglaterra, no Globe Soccer Awards no Dubai, o prémio carreira pelo excelente trabalho desenvolvido no seu clube de coração em 29 anos de presidência, e também curiosamente, como tem sido sina e propósito em Portugal, foi necessário sair do seu próprio país para a consumação deste prestigiado e merecido troféu, aliás, e mais uma vez o jornal “A Bola” em vez de enaltecer e dar valor a tão prestigiada distinção, ficou-se por dar mais ênfase ao facto do FC Porto ter perdido para o Barcelona, o título do clube do ano com mais transferências de mercado e resultados desportivos, o que desde logo evidencia a indiferença e a dualidade de critérios de um jornal que se devia pautar por uma referência isenta no meio desportivo em Portugal.



Esta infeliz e contínua campanha doentia contra o FC Porto, e especialmente contra o seu principal timoneiro e mentor, e todos aqueles que o seguem não é só de agora, pois, ainda está bem presente o mesmo procedimento que o mesmo jornal teve, quando ao contrário do que seria espectável e obrigatório pelo dever de informar, resolveu optar por publicar uma entrevista do treinador do Benfica com maior destaque, do que a vitória categórica do FC Porto na Taça Intercontinental. 

Entretanto, e enquanto todas estas peripécias e tentativas de denegrir a imagem e a hegemonia do FC Porto se vão perfilando em catadupa por cá, o melhor clube da atualidade em Portugal, lá vai continuando a conquistar os seus títulos e a bater recordes atrás uns dos outros, como serão os valores das transferências de jogadores, treinadores e a projeção de ambos no panorama da modalidade rainha do desporto a nível mundial., como o podem comprovar Emerson, Lisandro Lopes e Falcão, entre outros, ou José Mourinho e Villas-Boas pelos títulos europeus conquistados, ou ainda, Jesualdo Ferreira e Fernando Santos pelos vários títulos conquistados no projeto F C Porto, superiormente gerido e pautado pela mão do seu insubstituível presidente.


Deixamos também o Link para a entrevista de hoje ( 01/01/2012)  no Jornal de Noticias,





Por: Natachas

Enviar um comentário
>