terça-feira, 31 de janeiro de 2012

O meu Porto







Após reflectir sobre mais uma noite de azia, nada como escrever para lavar a alma.

Alma é coisa que falta nesta equipa,alma e raça . Sem estes dois ingredientes e com muita paixão a acompanhar não há equipa ( conjunto de pessoas que puxam para o mesmo lado) de dragões que resista .

Os motivos que explicam o estado do nosso clube são conhecidos , embora a maior parte não o queira reconhecer , seja porque as vitórias funcionam como uma poderosa anestesia, ou então porque simplesmente não querem ver o que se vai formando sem retorno.






A impressão que eu tenho é que o clube já não é dos sócios.


Desde a formação da SAD que lentamente ( ou não) tem havido um processo de transformação em que um grupo de pessoas tomou conta do clube para dele se servirem e não o contrário.




O meu Porto , aquele em que me revejo e que tanto cresceu , ainda antes do jogo com o Gil ter começado já reclamava alto e a bom som daquilo que todos já sabíamos iria acontecer. E depois de um roubo, o meu Porto gritava , esbracejava e unia-se em torno de uma injustiça , recolhendo aí forças que em próximas batalhas fariam toda a diferença.

Este Porto não é nada disso, dá a sensação de novo rico, pessoa abastada que já ganhou o que tinha a ganhar , conformado com os acontecimentos e com o seu destino.







Isto acontece por vários factores mas o mais importante é claramente a cada vez menor intervenção do nosso presidente ( claramente limitado pelo processo apito dourado e por todas as outras guerras que passou com brilhantismo ), e pela ausência de intervenção dos restantes responsáveis directivos. Claro que o acontece é a exposição isolada a que são submetidos os técnicos da equipa ( desde Jesualdo Ferreira.....).







O Porto lembra-me muitas vezes e cada vez mais, os problemas de sucessão que acontecem em empresas familiares de sucesso onde existe aquele momento em que é preciso dar o passo em frente e ninguém sabe muito bem o que fazer.

O patriarca, pessoa respeitada e com um passado glorioso já não dá á empresa tudo que ela precisa, mas os dois ou três filhos, cada um no seu canto especifico também não são a solução que a empresa necessita. Com isto as empresas vão ficando menos competitivas e menos preparadas para o sucesso, sendo ultrapassadas por outras cada com mas frequência .



É isto que está a acontecer ao meu Porto!



Não quero dizer com isto que o NGP deva sair ! Nada disso , o que é importante é ter alguém por trás que seja mais interventivo, mais presente e consequentemente mais preparado para muitas outras guerras que existem e vão continuar a existir.

Lembro que os nossos principais adversários estão cada vez mais preparados e não nos irão dar qualquer tipo de tréguas . Nesta altura dominam todos os órgãos que decidem o futebol português, e atropelam tudo e todos que se lhes deparam pela frente.

Por tudo isto me convenço que não vale a pena castigar mais o Vítor Pereira.

É apenas um peão no meio de tudo isto. É alguém que dá jeito uma SAD ter , para manobrar ao seu belo prazer outros objectivos que não vitórias de uma equipa de futebol. E claro, no fim ficará como o responsável de toda uma época perdida.

Apesar de tudo isto, é claramente alguém incompetente para as funções que desempenha.

A forma como esta época foi preparada é o expoente máximo de que antes dos resultados desportivos , outros interesses se sobrepõem. É inadmissível que administradores que são pagos  a peso de ouro ( ver relatório de contas), cometam tantos e tão graves erros como os que foram cometidos até ao momento.


O que o meu Porto precisa é novamente de um espirito guerreiro e exigente.







E para isso faltam referencias como sempre tivemos ao longo dos tempos, referências essas que sejam o reflexo do espirito que o Dragão preconiza e com o qual nos identificamos.

Não posso pois deixar de manifestar a minha alegria pelo regresso a casa de um grande guerreiro que daqui tinha ido escorraçado , El Comandante Lucho Gonzales.

Pode ser que com ele regresse a alma que não existiu em Barcelos e em quase todos os outros campos pelos quais passamos esta  época .






Por: Viena87

Enviar um comentário
>