terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Campeonato Nacional da 1ª divisão Hóquei em Patins, 11ª Jornada, Física 3 - 6 FC Porto


Jogo em Torres Vedras contra a Física local comandada pelo treinador/jogador Vítor Fortunato, um dos nomes históricos do hóquei patinado nacional.

Os comandados de Neves entram em jogo com o seu melhor 5, na sua máxima força.

Logo nos primeiros 10 segundos de jogo o Porto chega ao golo por intermédio de Caio, após se isolar aproveitando um "bloqueio" à basquetebol por parte do seu colega Pedro Gil.
Mais um minuto e outro golo desta vez de Pedro Moreira de fora da área, isto com 2 minutos de jogo, permitindo-lhes com a sorte do inicio abrandar o ritmo e controla-lo.



Repete-se o (mau) inicio de jogo da Física como o que aconteceu contra o Benfica.

O arbitro ainda tenta equilibrar os acontecimentos com um cartão azul para Reinaldo Ventura e respectivo livre directo, um absurdo, mas que a ordem das coisas se encarregou de deixar direito não concretizando o atleta da Física

Com a vantagem em 2-0 o Porto relaxa e a Física toma conta do jogo momentaneamente.

18mn para jogar a Física chega ao 1- 2 por intermédio de German Dates.




Mas a resposta da-se em minutos mostrando esta equipa o porque de ser campeoníssima e chegando aos 1 - 3 por Reinaldo Ventura mesmo com a equipa em inferioridade numérica. Mostrando Reinaldo toda a sua categoria ao marcar um excelente golo em queda

Um jogo nesta primeira parte de parada resposta, com as duas equipas abertas à procura do golo.

Chega-se a meio da 1ª parte com o jogo em 3-1 para os comandados do Porto, um jogo agradável de seguir, mas com facilidades para os ataques de ambas as partes por parte das suas zonas defensivas.




Com o Porto este ano a mostrar-se um pouco permeável defensivamente, valendo em algumas ocasiões Edo.

Uma primeira parte com algum equilíbrio ao nível dos remates mas com o Porto a saber manter a vantagem no marcador, com uma arbitragem que tirando o lance em cima referido do livre directo e cartão azul a Reinaldo, pautou-se por alguma regularidade e acerto.



Inicia-se a segunda parte de forma mais calma por parte do FC Porto, mantendo-se um pouco na expectativa, mas chegando mesmo assim aos 1 - 4 aos 2 minutos por Reinaldo Ventura, num lance infeliz do GR local, fazendo "balançar as redes" tal como na primeira parte de forma madrugadora.

Aos 9 minutos da segunda metade novo golo, desta feita o 1-5 com Reinaldo ventura a disparar um míssil de livre-directo, curiosamente depois da Física ter desperdiçado com mérito de Edo três lances iguais.


O jogo segue num ritmo de parada e resposta agradável para quem vê resultando em ataques sucessivos de ambas as equipas com o Porto a jogar com tranquilidade não precisando de forçar muito.

Com 13:25 minutos para se jogar o 6 golo do FC Porto de novo Reinaldo Ventura, desta vez de penalti a fazer o seu póker da noite.

Com o desenrolar da 2ª parte o Porto vai passeando a sua categoria sem necessitar de acelerar, com uma Física a procurar jogar o jogo pelo jogo mas sem situações de perigo para a baliza do Porto, os comandados de Tó Neves passeiam a sua classe de forma categórica numa casa onde se previa à partida complicada para vencer, numa cidade de Torres Vedras com tradição na modalidade no nosso país.



Até ao fim do jogo a Física ainda marcaria mais 2 golos para gáudio dos comentadores da "estação pública" de televisão pelo seu canal RTP2 em cujos comentadores equipavam certamente de vermelho.

O FC Porto ganha o jogo com todo o mérito passeando a sua superioridade por Torres Vedras, onde o resultado só para os comentadores perigou para o lado dos visitantes...


Por: Rabah Madjer
Enviar um comentário
>