domingo, 6 de outubro de 2013

Liga Zon/Sagres 7ªJ.: Arouca - FC Porto (Antevisão)








No próximo domingo, o FC Porto desloca-se ao reduto do Arouca, procurando desta feita regressar aos triunfos - incluindo nesse lote como é evidente o jogo realizado diante do Atlético Madrid para a Liga dos Campeões - e continuar na liderança da Liga, somando de momento 16 pontos, fruto de cinco vitórias e um empate.








O Arouca, estreia-se esta época no convívio dos grandes e depois de um início de campeonato algo conturbado, ocupa nesta altura o 11º lugar, contabilizando 7 pontos. Pelo que se tem verificado nestes últimos encontros, existem melhorias notórias no jogo da equipa, a começar pela sua organização defensiva - nos primeiros jogos este sector falhou redondamente, a começar na baliza.

Tendo em conta a boa prestação defensiva no jogo contra a Académica, é de prever apenas uma mudança e esta forçada, devido a lesão do lateral Luís Tinoco (curiosamente descoberto para o futebol no programa "Soccastars" da RTP), surgindo como opção mais provável a adaptação do Luís Dias, ele que é lateral direito de origem. 

Entre os postes, o brasileiro Cássio veio dar estabilidade às redes do Arouca, depois das primeiras "tentativas" terem recaído sobre o Stefanovic e o Rui Sacramento, contudo, o ex-guardião do Paços de Ferreira acabou por se fixar no onze, jogando à sua frente a dupla constituída pelo Mika e Diego, dois centrais que não são propriamente dotados no plano técnico, destacando-se sobretudo na agressividade q.b. que conferem a cada lance.

Nos corredores, Luís Dias e o espanhol Balliu irão certamente requerer maiores atenções defensivas, procurando manter a equipa equilibrada, dando o acompanhamento ofensivo no momento certo. Sobre a zona intermédia, o treinador Pedro Emanuel tem optado por um tridente, organizando o meio-campo com um jogador mais posicional na zona central (Nuno Coelho), funcionando como médios interiores, o David Simão (pé esquerdo muito bom!) e o experiente Bruno Amaro, dois jogadores que têm capacidade de construir, possuidores igualmente de bons pontapés de longa distância, sem esquecer também serem fortes nas bolas paradas.

Muito do que o Arouca poderá condicionar ou não o jogo do FC Porto irá estar precisamente na linha média e como tal, não seria de todo surpreendente um baixar de linhas por parte dos interiores - algo que sucedeu no encontro diante do Sp. Braga enquanto era verificada uma igualdade no marcador - juntando a este fechar de linhas, os extremos Pintassilgo e André Claro. 

Como principal referência ofensiva, o Roberto tem estado de pedra e cal (o Romário ainda não mostrou os seus atributos) e assim sendo, o Arouca não fugirá muito a isto, perante um FC Porto, com "ganas" de voltar a vencer.


Para o jogo em Arouca, poderão existir dúvidas no que ao onze inicial diz respeito e quem sabe alterações profundas em determinadas posições, dado o fraco rendimento de alguns jogadores.


Por: Dragão Orgulhoso
Enviar um comentário
>