quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Futebol: O que nos trouxe a pré-época do FC Porto




Ponto prévio: Uma coisa é certa: A jogar contra o Valadares ou contra o Valencia, a qualidade desta equipa quer em termo de opções (nas alas é uma coisa brutal), quer em termo de empenho e liderança (já cá volto) é inabalável.





Não preciso de relembrar que o plantel do nosso Porto está longe de estar completo devido à presença do nosso trio brasileiro (que em princípio vai ser titular, isto num mundo onde o Hulk não sai – o que convenhamos é difícil de se realizar) nos Jogos Olímpicos.

E não é tão cedo que o nosso treinador pode jogar com as cartas todas do baralho. Na semana entre a Supertaça e a 1ª jornada da Liga existe um comício de selecções para particulares e veja-se bem, até estágios (preparação para amigáveis sem valor internacional algum?). 




James e Jackson, o mesmo trio brasileiro já citado, Otamendi, Defour, Atsu (sim já é uma grande perda para o plantel), Janko, Álvaro Pereira e a quadra portuguesa composta por Moutinho, Rolando, Varela e Miguel Lopes vão estar indisponíveis, pelo menos, para a preparação da difícil deslocação a Barcelos, lugar da nossa única derrota para o campeonato no ano passado. Se chegarem a tempo do jogo, não vão estar certamente nas melhores condições físicas. Ora, isto não soa nada bem.


Falemos do que já passou. Pré-época. 

Ponto por ponto, posição por posição. 

Alguma coisa ainda por definir, mas uma já é certa: Estamos muitíssimo bem servidos e a nível de talento estamos no patamar dos melhores clubes a nível mundial. Normal para uns, estranho para outros e mentira para alguns jornais até.

Na posição de guarda-redes: temos mais talento, talvez estará mesmo encontrado o sucessor do Helton. Com a correcta evolução mais fora do que dentro dos postes, acredito muito no Fabiano. O Bracalli apesar de parecer trabalhador e esforçado nunca mostrou aquilo que se viu no ex-Olhanense e se espera continuar a observar. Reflexos excelentes, boa comunicação e capacidade de liderar a defesa que joga à sua frente.
Terá a responsabilidade de substituir um dos melhores guarda-redes de sempre do nosso clube, mas também o Helton teve essa tarefa e todos sabemos como se saiu. 

Para 3ª opção temos o jovem Kadú. Vai ter que ir aparecendo aos poucos e mostrar o que vale para continuar a merecer a confiança da direcção. Depois da transição de júnior para sénior, eventualmente será emprestado para ganhar mais minutos.

Na defesa: algumas mexidas (ainda não oficializadas) mas que parecem ser para melhor. Da direita para a esquerda:

- Do lado direito, com a venda iminente do Sapunaru é óbvio que ficamos bem servidos. O Danilo, apesar de maior vocação ofensiva, já se percebeu que tem talento para dar e vender. Acredito que quer ele, quer o homólogo parceiro do lado esquerdo que também está em Londres vão ser de TOP mundial. Tem velocidade, toque de bola e com treino específico vai melhorar certamente o posicionamento defensivo. 
Como alternativa existe o Miguel Lopes, que tanto foi elogiado na sua passagem em Braga (lembrar que este parado nos primeiros 6 meses da época passada). Mostra raça, muita disponibilidade ofensiva e sabe ser mandão na sua zona defensiva. Eu gosto.

- Zona central. Uma palavra para o Maicon apenas e só: Patrão


Aptidão para livres: Check.
Comando da defesa: Check.
Antecipações: Check.
Agressividade (no bom sentido): Check. 


Em princípio, terá como parceiro o Otamendi que parece também estar em crescendo exibicional e motivacional desde o fim da época passada.

Para 3ª opção temos nada mais, nada menos que a base da selecção francesa de sub-21. Mais um para trabalhar, mais um para melhorar. Talento não falta como vos digo.
Com a possível saída do Rolando, o 4º elemento será o Abdoulaye que controlando a sua natural agressividade e impetuosidade pode vir a ser um central interessante. Para já, nada mais.

- Do lado esquerdo deve sair o Álvaro Pereira, que a acontecer vai obrigar o Porto a recorrer ao mercado para contratar um suplente ao Senhor Titular de seu nome Alex Sandro. As indicações que tem dado são excelentes e estou em pulgas para saber o que vai render este ano. 
Tudo o que disse do Danilo aplica-se nele. São duas pérolas brasileiras, prontas a conquistar a Europa.

No meio campo, já desde do ano passado que precisamos de um suplente para o Fernando. Não compreendo como é que é possível possuirmos só um 6 puro no plantel e não me venham cá com Defour´s. 

O belga é um 8!!!

Imaginemos que o bocadão de relva no Mestalla apanhava o Fernando ainda mais desprevenido. Entorse grave no tornozelo, não sei quantas semanas de paragem e chapéu ao ar, andávamos literalmente coxos, numa das posições mais importantes do futebol mundial, capaz de trazer uma equipa para a frente.
Com a excelente novidade da permanência do Castro no plantel, ficamos muito mais completos a nível da zona central do terreno, à excepção do que já referi.







Moutinho, Defour, Lucho e Castro dão conta do recado. Caso o primeiro saia, para meu desconsolo, é fulcral trazer mais alguém porque ficamos com reduzidas opções para uma época tão exigente que se espera e se quer!

Do meio campo para a frente é juventude e talento conjugados. Cabe ao nosso mister trabalhar a 2ª componente sem desvirtuar o que de tão bom tem a primeira. 







Nas alas: contamos com 3 jovens prontos para explodir: Kelvin, Iturbe e Atsu. O último parece já mais maduro e pronto a assumir responsabilidades adequadas a um clube com o nosso prestígio e valor. Do ano passado transitam o James (tem que se definir rapidamente a posição dele, porque senão ficamos sempre descompensados, ora na ala, ora no meio), o Varela e o Djalma. 

Estes dois últimos caso apareça proposta significativa aposto que possam sair, mas gosto quer da relevância do português, quer da polivalência cada vez mais assumida do angolano. 

O Kelvin e o Iturbe (mais o primeiro que o segundo) podem ir ganhando minutos na B, ou serem emprestados. Eu gosto mais da 1ª opção e acho que um jogador minimamente sensato concorda comigo.

Ah, e falta o Hulk. Assim como quem não quer a coisa, conseguiram ver a qualidade do nosso plantel nas alas sem referir o nome do incrível? Fica para vossa consideração.

É natural que ele queira sair e que o Porto queira o rentabilizar. Não vivemos tempos fáceis e o mais normal é mesmo abandonar o nosso clube. De cabeça bem erguida, porque foi e será um verdadeiro campeão.

Em termos de avançados: ganhamos a opção Jackson Martínez, que aparentemente jogava como avançado recuado, segundo o mesmo. Vai ter que se habituar a jogar sozinho, a ser oportunista e aproveitador das situações de golo que certamente terá. Aparecem claramente em 2ª linha, o Kléber cheio de vontade de mostrar serviço e o Janko que, apesar de óbvias limitações, foi peça útil desde Janeiro.



Desde Janeiro melhoramos numa coisa a olhos vistos: LIDERANÇA.

É mais claro que a água, que a função do Lucho no Porto transcende o jogo no relvado. Esta relação com o Juan Iturbe tem sido monumental em termos de motivação para este. 



E aposto que não se restringe ao pequeno génio argentino.

Tudo que possa definir um líder, um CAPITÃO, define o nosso Luís González, um dos melhores jogadores de sempre do nosso clube.

Só falei na equipa A, mas o que não falta também na equipa B é talento.

Mas, no fim da época nós queremos é ser a equipa C. De Campeões!


Por: Dragão 14
Enviar um comentário
>