segunda-feira, 20 de agosto de 2012

E agora Luisão e Benfica?





Há uma frase muito popular que pode de certa forma retratar o que se passou com o Luisão no jogo amigável na Alemanha contra o Fortuna de Dusseldorf que diz sic: “De loucos todos temos um pouco”, ou se preferirem na forma bem-humorada, “Há dias de manhã que à tarde não devemos sair à noite” ou se quiserem ainda, dizendo de uma outra forma mais prosaica, todos nós, enquanto seres humanos, estamos sempre sujeitos a qualquer momento a ter o nosso dia infeliz ou menos conseguido, e é neste único princípio de raciocínio que, não só o Luisão como o próprio SLB, estarão de alguma forma salvaguardados pela atitude tomada, todo o resto que está associado a este processo não terão qualquer hipótese de fuga às suas reais responsabilidades, e terão que arcar com as consequências que irão ser bem severas, pois estamos no caminho da FIFA.



E nestes casos eles não costumam brincar em serviço, se bem que, já ouvi para aí alguém dizer que também pode haver punição através da Liga portuguesa, que a ser verdadeiro teremos caso até às calendas, ou até se encontrar uma data propícia para se aplicar o castigo a contento, uma vez que em Portugal, bem à nossa forma de estar, nunca há um tempo mínimo para se resolver estes casos de indisciplina, o que pode vir a indiciar e viciar os próprios resultados desportivos. 

Neste enquadramento, para os dois protagonistas em causa, Luisão e SLB, só se pode lamentar a atitude e a ação consumada, tendo em conta que estamos na presença de um clube com pergaminhos e responsabilidades na modalidade rainha do desporto mundial, e também, pelo ato reprovável e irresponsável de um capitão de equipa que deveria primar pelos bons princípios éticos e desportivos, como exemplo a seguir por todos os seus colegas de profissão. 
De acordo com as regras em vigor, o capitão de equipa tem um estatuto especial que lhe permite de facto entrar em diálogo com o árbitro, mas sempre com lisura e sem usar excessos de comportamentos reativos. Não pode haver aqui lugar a uma pretensão do tipo de ‘proteção dos colegas’ que legitime qualquer tipo de comportamento agressivo perante elementos da equipa de arbitragem ou mesmo dos próprios adversários. Um capitão de equipa que se preze, tem o dever de estar preparado para assumir todas estas responsabilidades, assim como o clube tem o dever e a obrigação de o eleger e formar nesse sentido.

Por isso é totalmente irrelevante dizer que o fez em defesa do grupo, ou mesmo para evitar um segundo cartão amarelo e consequente expulsão a Javi Garcia, (que entretanto parece que ficou esquecido por incapacidade física e mental do próprio árbitro), que deveria também ele ser objeto de relatório e punição, uma vez que o árbitro se prontificava para o fazer naquele preciso momento em que foi abalroado pelo jogador em causa.





Há também a destacar pela negativa a posição do SLB, que a julgar por verdadeiras as afirmações do clube alemão, nem se quer na devida altura emitiu um simples pedido de desculpas, e que a considerar as infelizes e esfarrapadas declarações de alguns dirigentes e jogadores, dão a entender que o árbitro é que se deveria ter desviado do Luisão, estando aqui bem patente por parte do SLB uma forte componente de falta de civismo desportivo (Que é feito de Rui Costa?), de liderança da sua direção, e da usual forma de encarar os factos sem nunca darem a mão à palmatória como se esperava e se obrigava naquele caso, que também, diga-se a verdade, não é só uma lacuna de procedimentos do SLB, mas sim, da maioria dos clubes portugueses, onde não tenho problemas de incluir aqui também o meu FCP.




Para além destes factos, há ainda a destacar a postura lamentável de Jorge Jesus e alguns dos seus jogadores, que em direto e através das câmaras de televisão, comentavam entre si com a mão a tapar a boca para que não se conseguisse fazer a leitura das palavras através dos lábios, e acompanhados por sorrisos sarcásticos que valiam mais do que mil palavras, dando porventura a compreender ao mundo do futebol e a muitos dos seus apaniguados adeptos, a verdadeira razão pela qual não conseguem ganhar mais vezes, e atendendo ao aproximar de mais um ato eleitoral, todos estes episódios em nada vão ajudar a uma reeleição fácil de LFV e seus pares.


Por: Natachas.




Enviar um comentário
>