terça-feira, 18 de novembro de 2014

Paixão!

#FCPorto #Benfica #Paixão #BluePunisher

Paixão poderia ser algo desejável e belo, no entanto não é esse nobre sentimento que motiva esta crónica. Bruno Paixão voltou aos “velhos bons tempos” prestando toda a vassalagem e auxílio ao clube do regime, que eu passarei a designar doravante por “colo colo de Carnide”.

Depois da vergonhosa e criminosa arbitragem deste “apaixonado avermelhado” em Campo Maior num célebre Campomaiorense x FC Porto só mesmo em Portugal um “árbitro desta tarimba” poderia continuar a arbitrar. O princípio é simples, prejudicou o FC Porto logo é promovido, “condecorado”, “premiado”, enfim, recebe as benesses e salamaleques de quem anda a bem com o “regime”.

A arbitragem em provas nacionais está doente, putrefacta, em queda livre, e parece não dar sinais de possível recuperação. De forma descarada e com uma precisão cirúrgica jornada após jornada tudo é feito para minimizar riscos e danos na “procissão que se quer triunfal” do colo colo de Carnide rumo ao título.
Assistimos a tudo isto incrédulos. Vemos uma passividade constrangedora perante estes acontecimentos dos dirigentes do FC Porto SAD. E imaginem, até fazemos pactos presidenciais com o colo colo de Carnide para salvar a Liga!

Ainda alguém irá explicar-me o que ganhamos com este pacto ou acordo ou como quiserem chamar com o colo colo de Carnide. O colo colo domina a seu belo prazer as arbitragens, os concorrentes diretos ao título continuam a ser prejudicados com gravidade jornada após jornada, não estou a ver porque é tão urgente salvar a Liga de Clubes.

Se a organização das provas desportivas de clubes passa-se para a Federação Portuguesa de Futebol ficaríamos pior do que estamos? Ou será que apenas tememos a definitiva centralização total do poder em Lisboa com uma “capitulação da Liga de Clubes do Porto”, a fazer lembrar o fétido regime de outros tempos?

Espero que de fato exista uma razão forte e inadiável para este estranho acordo, que mais parece feito de “antimatéria”. Deixo de qualquer forma uma análise detalhada do mesmo a quem tiver elementos que possam fazer luz sobre as razões e benefícios que estiveram na génese do impensável “acordo”.

Estou convencido de que a forma como o colo colo de Carnide andou nos últimos anos a “colocar pessoas de confiança” em instâncias desportivas e até noutros locais estratégicos (Ministério Público, polícia, governo, câmaras municipais, etc.), irá garantir-lhe um domínio da arbitragem nacional e das instâncias desportivas por muitos anos.

Teremos de ser não apenas melhores que o colo colo de Carnide mas muito melhores para conseguir conquistar campeonatos não nos iludamos do contrário. Para tal temos de fazer a nossa parte e bem, sem andar a dar tiros nos pés com erros de palmatória e outros tipos de facilitismo.

Calculo que deve ser difícil incutir num plantel composto na sua maioria por atletas de nacionalidade estrangeira, o espírito de guerreiros e de dar tudo pelo FC Porto até à última gota de suor e sangue.

Noutros tempos com vários atletas formados na casa com a particularidade de muitos deles fazerem parte do lote dos habituais titulares, era muito mais fácil conseguir a coesão, união, capacidade de luta e estofo de campeões que nos tem faltado nos últimos tempos.

Com o que temos e sabendo lidar com a realidade atual teremos de ser capazes de nos transcender e passar para outros patamares, que nos permitam efetivamente assumir as “rédeas de toda esta situação” e resistindo a tudo e todos fazer a nossa caminhada triunfal rumo à conquista do campeonato.

Não podem acontecer mais “Estoris”, “Boavistas”, “Guimarães”, entre outros incidentes, pois estamos perigosamente na eminência de deixar de depender apenas de nós próprios para atingir o objetivo principal assumido por todos que é o campeonato nacional.

Uma desvantagem de três pontos mesmo sem ainda terem ocorrido os confrontos directos com o colo colo, é muito perigosa, especialmente se tivermos em consideração o tipo de arbitragens que ocorrem jornada após jornada. Dificilmente nos deixarão vencer o colo colo, quanto mais pontuar duas vezes contra eles!

É bom que tenhamos os pés bem assentes na terra, temos andado “iludidos” com a excelente mais-valia do plantel do FC Porto que “tudo permite sonhar”, mas com a forma como estão a “inclinar-se campos neste país” nem o melhor plantel do mundo nos irá valer!

Só com a tal “mais-valia” do plantel parece-me que não chegaremos lá, precisamos de algo mais. Na minha opinião a resposta é, ressuscitar o melhor que o FC Porto dos tempos áureos sempre teve: Humildade, raça, determinação, abnegação, coragem e capacidade de luta, em todos os jogos do início ao fim, sem medos de nada nem de ninguém.

A Clube e os seus adeptos na sua grande maioria aburguesaram-se, se as vitórias operaram tantas alegrias e trouxeram um elã de magia ao Clube, também de certa forma nos “amoleceu”, “adormeceu”, “acomodou” quer queiramos admitir ou não.

Sendo certo que temos muitas e reais queixas das arbitragens não só desta época mas de há alguns anos a esta parte, não temos sido capazes de resolver certos problemas que temos “dentro da nossa casa” que requerem uma solução urgente.

A rever, é urgente encontrar um marcador ou dois de grandes penalidades com o grau de eficácia que um clube como o FC Porto tem de ter.

É urgente encontrar uma equipa base, com um modelo de jogo estável, quiçá rotinada para jogar em dois modelos táticos distintos consoante o adversário seja mais ou menos defensivo, não discutirei se é um 4-4-2 e um 4-3-3 ou outra coisa qualquer. Cabe ao treinador conhecendo os jogadores que tem, criar um sistema que funcione de forma eficaz com os mesmos. O sistema ou modelo de jogo tem de estar ao serviço dos jogadores e não o contrário.
A forma como os lances de bola parada são finalizados, em particular os pontapés de canto devem revistos e corrigidos, no futebol moderno cada vez mais este tipo de lances definem jogos e servem como uma espécie de “abre-latas” perante adversários ultradefensivos.

Trabalhar melhor “o jogo de pés” dos guarda-redes do FC Porto, que têm causado alguns calafrios ao adeptos e certamente ao colegas e equipa técnica do FC Porto.

Treinar afincadamente a precisão dos passes e cruzamentos, criando entrosamento, eficácia e inteligência nas manobras atacantes e defensivas da equipa.

Insistir até à exaustão na assimilação de princípios e mecanismos defensivos em jogadores de cariz puramente ofensivo (por exemplo ensinar o Quintero a vir “atrás” defender também).

Treinar até à exaustão nos mecanismos e rotinas necessárias para voltarmos a ter uma defesa “de betão”, como foi a imagem de marca dos melhores FC Porto do passado.

Ter um ou dois especialistas nos livres diretos, e evitar que esses lances sejam cobrados por um jogador que não o “tal especialista” só porque sabe fazer uns brilhantes “malabarismos com a bola” e caiu nas boas graças dos adeptos com “beijocas ao emblema do clube cosido na camisola” ou com declarações de amor eterno constantes. Sim estou a referir-me ao Quaresma!

Treinar para resolver de uma vez por todas a falta de eficácia atacante da equipa, nomeadamente a taxa de concretização de oportunidades de golo, continuamos de precisar criar muitas oportunidades para conseguir concretizar uma minoria das mesmas, algo está mal e tem de ser corrigido.

Impedir a entrada de órgãos de comunicação hostis ao FC Porto no Estádio do Dragão e em todas as instalações oficiais do Clube. Sim na nossa casa mandamos nós e temos de dar-nos ao respeito. Se não podemos impedir, façamos uma “sabotagem inteligente”, por exemplo, enquanto essa “amostra rasca de classe jornalística” estiver presente não iniciar conferências de imprensa, não responder a perguntas dessa “gentalha”, etc., usemos a criatividade!

E com estas sugestões que são na prática um plano de ação ficaremos com certeza menos “vulneráveis a paixões, rufos e capelas” e poderemos ter mais controlo sobre o nosso destino. O colo tem sido uma constante e parece que continuará a ser sem um final à vista, se não fizermos pela vida, acabaremos “atraiçoados pela vida”.

FC Porto a Vencer desde 1893!
A Chama do Dragão é Eterna!
FC Porto Sempre!


 Por: BluePunisher





Enviar um comentário
>