sexta-feira, 7 de novembro de 2014

A semana das Modalidades

#Modalidades #FCPorto


ANDEBOL
Depois de uma boa vitória alcançada na ilha da Madeira perante o Madeira SAD, os hexacampeões nacionais procuram manter a invencibilidade no campeonato, defrontando neste sábado o Ginásio de Santo Tirso, equipa que subiu esta temporada à 1ªDivisão e tem como principal objectivo a permanência no escalão máximo da modalidade.

O Santo Tirso até ao momento não tem tido uma boa prestação neste ingresso na 1ª Divisão, somando 9 pontos, fruto de uma vitória e seis derrotas. O último desaire ocorreu na deslocação ao sempre difícil Pavilhão Acácio Rosa, cedendo diante do Belenenses por 28-25, num jogo onde o primeira linha Daniel Costa esteve em principal evidência ao apontar sete golos, surgindo o ponta Mário Lourenço com seis tentos, ele que é formado no FC Porto.

Comparativamente ao ano transacto, a equipa do Santo Tirso manteve praticamente todos os jogadores, reforçando-se somente com a entrada do guarda-redes Ricardo Castro e o já citado Mário Lourenço. É uma equipa que certamente tentará surpreender o FC Porto através de uma defesa agressiva e um ataque organizado pausado e controlado, de forma a quebrar o ritmo intenso que o FC Porto certamente colocará na partida, mas atendendo às diferenças reais existentes entre ambas as formações, a turma de Santo Tirso dificilmente conseguirá disputar este encontro taco a taco tanto nos momentos defensivos e sobretudo nos ofensivos.

O FC Porto não poderá com o castigado Alex Hernandez, uma vez que foi sancionado com dois jogos de castigo após expulsão no jogo frente ao ABC – num primeiro momento levou quatro jogos de suspensão, mas depois acabou despenalizado em metade. Uma das novidades, prende-se com o ingresso do brasileiro Francisco Silva (mais conhecido por Babo), um atleta fortíssimo a nível físico, que pode desempenhar as posições de lateral esquerdo e pivot, ele que se estreou no jogo diante do Madeira SAD.


BASQUETEBOL

Domingo é dia de mais uma jornada da Proliga para a equipa da Dragon Force, que recebe o Esgueira, procurando desta feita manter a senda de vitórias, que foi iniciada no Troféu António Pratas.

O Esgueira é uma equipa que procura fazer melhor do que na temporada anterior – caiu aos pés do Illiabum nos quartos-de-final do Playoff – registando nesta altura uma vitória e uma derrota no campeonato. Na ronda inaugural saiu derrotado no recinto do Guifões por 73-66, sendo que o base Samuel Lóio foi destaque na sua equipa, anotando 21 pontos e 4 assistências, no entanto, insuficiente para evitar a derrota.

Na jornada seguinte e jogando no seu reduto, o Esgueira venceu o Atlético por 75-68 (ao intervalo já vencia por 42-29), estando em foco o base/extremo Pedro Valente, autor de 21 pontos e 2 assistências, se bem que o jogador mais valioso da equipa acabou por ser extremo Hugo Assunção, ele que apontou 15 pontos, 3 ressaltos e 2 assistências.

Dragon Force e Esgueira já mediram forças esta temporada, mais concretamente na final do Troféu António Pratas (primeira prova oficial da época), com os dragões a superiorizarem-se de forma clara e inequívoca, vencendo por 97-41, numa partida onde Moncho López rodou todo o plantel, com os postes Miguel Queiroz e António Monteiro a serem os jogadores mais valiosos da partida, dominando o jogo interior com mestria. 

HÓQUEI EM PATINS

 
Após um triunfo importante na França, o campeonato regressa para o FC Porto neste fim-de-semana, defrontando o CD Póvoa para a sexta jornada do campeonato, sendo que a equipa liderada por Tó Neves conta com um jogo a menos, em virtude do encontro para a quinta jornada diante do Carvalhos ter sido adiado para 12 de Novembro.

O CD Póvoa é uma das novidades nesta temporada, procurando atingir a manutenção. Em termos de calendário a turma da Póvoa não tem tido tarefa fácil, uma vez que até agora já defrontou quatro equipas candidatas aos primeiros lugares na prova e no único jogo do “seu campeonato” levou a melhor sobre “Os Tigres”, o que acalenta esperanças quando defrontar equipas que lutam para não descer de divisão.

A equipa do Póvoa conta com alguns jogadores experientes e rodados a este nível, como é o caso do avançado Vítor Oliveira (conhecido na modalidade como Viti) e ainda o goleador Carlos André. Dois atletas algo pesados, mas que se mexem bem no ringue e em termos de finalização, muito deste Póvoa dependem dos seus níveis de eficácia. Na baliza conta com o contributo do jovem Pedro Costa (GR talentoso formado no FC Porto), guardião canhoto e que tirou com mérito a titularidade ao Telmo Fernandes.

Defensivamente, o Márcio Rodrigues (irmão do Carlos André) e o Rui Silva procuram dar equilíbrio. O facto da equipa não abundar na relação qualidade/quantidade, faz com que não sejam muitas as alternativas ao cinco base da equipa, sendo que preferencialmente o Tiago Rocha e o Hugo Paiva surgem maioritariamente nessa rotação.

Apesar de jogar em casa, é de prever um CD Póvoa com maiores cuidados defensivos e tentar surpreender o FC Porto somente pela certa, ou seja, através de contra-ataques, nalguma stickada de longa distância – Márcio Rodrigues é exímio nessa vertente – ou então ser eficaz numa possível situação de bola parada.

Por: Dragão Orgulhoso
Enviar um comentário
>