sábado, 29 de novembro de 2014

FC PORTO B 3-2 ACADÉMICO DE VISEU


O Porto B recebeu e venceu este Sábado o Académico de Viseu por três bolas a duas.

No onze portista destaque para as chamadas de três jogadores da equipa principal. Otávio no meio campo e Kelvin e Ricardo nas alas. Ivo voltou a jogar no centro do ataque e Kayembe voltou a ser o lateral esquerdo. 
Mas a maior novidade e estreia absoluta foi a titularidade do guarda redes Raul Gudiño, habitual titular dos juniores.

O Porto voltou a apresentar-se no seu esquema mais produtivo, com três médios complementares. Tomás foi o médio mais defensivo, Tiago Rodrigues como médio box to box e Otávio foi o criativo de serviço. Na frente os três avançados portistas trocaram várias vezes de posição, num ataque móvel que criou sempre problemas ao Académico de Viseu.

A primeira parte foi assim completamente dominada pela equipa portista, que logo aos 13 minutos se adiantou no marcador por Kelvin, após jogada individual pela esquerda. Um momento inspirado do extremo portista e o início de uma exibição fantástica.

Foi apenas preciso esperar 2 minutos para ver novo golo do Porto B. Mais uma vez Kelvin pela esquerda troca as voltas ao adversário e cruza para uma entrada destemida de Ricardo, que marca um belo golo de cabeça.

As oportunidades sucediam-se. Kelvin, Ivo e Otávio remataram para grandes defesas do guarda redes visitante.

Este domínio perdurou até que o árbitro da partida vê um penalti muito duvidoso de Lichnovsky na área portista. No entanto, Gudiño defende e mantém a vantagem do Porto B.

Poucos minutos depois o árbitro da partida volta a inverter as regras ao marcar um livre indirecto sem que ninguém perceba porquê, para mais uma vez Gudiño se agigantar e negar o golo aos visitantes.

A partida chega ao intervalo com uma justa vantagem portista.

Na segunda parte o sentido da partida inverte-se e é o Académico de Viseu que domina. Logo no início, é mais uma vez Gudiño que nega o golo aos visitantes.

O Porto treme e as substituições de Luis Castro ainda pioram a situação. 
Francisco Ramos não entra bem na partida e Victor Garcia parece sem ritmo depois de várias semanas lesionado.

O Académico cresce e é contra a corrente do jogo que o Porto B chega ao terceiro golo. Otávio sofre falta na área e Ivo não falha na marcação do penalti.

No entanto, os visitantes não se ressentem e continuam a procurar o golo. Procura essa que acabou por ser recompensada, numa jogada em que a defesa portista não fica bem na fotografia e mostra fragilidades no jogo aéreo.

Já perto do final do jogo o Académico marca o segundo na sequência de um canto. Mais uma vez a surgir um jogador sem marcação na área portista.

O Porto B tremia e é Gudiño que nega o terceiro dos visitantes numa defesa gloriosa.

O resultado acaba por ser a vitória portista, num jogo que fica marcado por uma excelente primeira parte, mas também por uma má segunda parte.

Análise individual:

Gudiño: Poderia ter tido uma estreia melhor? Não. Sem culpa nos golos, defende ainda uma grande penalidade, faz duas grandes defesas e mais um par de boas intervenções.

David Bruno: Regular à direita, teve alguns problemas à esquerda.

Lichnovsky: Muitos erros, um deles grave num passe falhado em zona proibida.

Zé António: Alguns erros menores, mas uma boa exibição.

Kayembe: Esteve bem no ataque, muito participativo. Mas tem um erro grave na defesa ao perder uma bola em zona proibida.

Tomás: Segurou o meio campo com fibra. Foi agressivo no bom sentido e fez um bom jogo.

Tiago Rodrigues: Abaixo do seu melhor nível, ainda assim foi a sua saída que desencadeou a superioridade dos visitantes.

Otávio: Não foi o seu melhor jogo. Ainda assim o génio apareceu sobretudo na 1ª parte.

Kelvin: Melhor em campo. Quando está bem, Kelvin é ouro sobre azul. A fantasia que traz ao jogo é digna dos melhores palcos. Marcou o primeiro golo numa grande iniciativa individual e assistiu para o segundo. Esteve endiabrado e definiu sempre bem.

Ricardo: Não tão exuberante como Kelvin, mas com uma boa exibição. Marcou o segundo golo e no final foi essencial na ajuda que deu do lado direito.

Ivo: Tecnicamente é um monstro. Está noutro nível e a merecer uma chamada ao plantel principal. Viu o golo ser-lhe negado em duas ocasiões e acabou por marcar de penalti.


Francisco: Entrou mal e nunca se conseguiu impor no meio campo.

Victor Garcia: Sem ritmo, foi por várias vezes ultrapassado.

André Silva: Teve a missão ingrata de tentar inverter o rumo que o jogo estava a tomar. Alguns bons pormenores.
FICHA DE JOGO

FC PORTO B-ACADÉMICO DE VISEU, 3-2
Segunda Liga, 16.ª jornada
29 de Novembro de 2014
Estádio de Pedroso, em Vila Nova de Gaia

Árbitro: Ricardo Baixinho (Lisboa)
Assistentes: Ricardo Luiz e Pedro Pereira
Quarto árbitro: Pedro Miguel Ribeiro

FC PORTO B: Raul Gudiño; David Bruno (cap.), Lichnovsky, Zé António e Kayembe; Tomás Podstawski, Tiago Rodrigues e Otávio; Kelvin, Ivo Rodrigues e Ricardo
Substituições: Kayembe por Víctor García (53m), Tiago Rodrigues por Francisco Ramos (63m) e Ivo Rodrigues por André Silva (68m)
Não utilizados: Kadú, Diego Carlos, Leandro Silva e Frédéric
Treinador: Luís Castro

ACADÉMICO DE VISEU: Ivo; Tomé, Eridson, Pedro Santos (cap.) e Dalbert; Clayton, João Ricardo e Tiago Borges; Luisinho, Sandro Lima e Tiago Almeida
Substituições: Tiago Borges por João Coimbra (59m), Tiago Almeida por Paulo Roberto (69m) e Pedro Santos por João Carneiro (87m)
Não utilizados: Ricardo Ferreira, Tiago Gonçalves, Filipe Nascimento e Alex Porto
Treinador: Ricardo Chéu

Ao intervalo: 2-0
Marcadores: Kelvin (12m), Ricardo (17m), Ivo Rodrigues (61m), Clayton (70m) e Sandro Lima (85m)
Disciplina: cartão amarelo a Lichnovsky (31m), Eridson (61m), João Coimbra (76m) e Kelvin (90+4m)

Por: Prodígio 
Enviar um comentário
>