sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Um século XXI de luxo para o FCP que poucos querem ver e contar






Parece não haver dúvidas que em Portugal e no mundo inteiro, estamos todos a viver um período bastante conturbado, não só em termos políticos, mas fundamentalmente no panorama financeiro, mas curiosamente, ou talvez não, em termos estritamente desportivos o nosso país continua como sempre, um pouco alheio e esquecido pelos feitos do seu maior e principal Embaixador.







Claro, e como não podia deixar de ser, pois não faço parte do grupo daqueles que aproveitam tudo para diminuir os êxitos do melhor clube português da atualidade, refiro-me concretamente ao FCP e a todos aqueles que souberam fazer de um simples clube de uma região, um exemplo de filosofia de vida desportiva, de um querer exorbitante pela próxima vitória ou título, e de uma entrega muito pessoal de todos os seus atletas e simpatizantes, que contribuíram para este desiderato com as suas incondicionais e apaixonadas participações.




Walter Casagrande e Rabah Madjer


Porém, todo este esforço glorioso e herculeano que tão bem tem sido sentido fora do nosso país, não tem tido o mesmo eco e influência dentro do seu próprio país como seria objetivamente meritório, sendo bem patente a desigualdade de oportunidades em termos de propaganda dos seus feitos desportivos, ao contrário do que se passa para as bandas da 2ª circular, onde quase tudo é aproveitado em prol do centralismo doentio do país em termos de validação clubista, e curiosamente, os principais intervenientes desta estratégia contra o poderio do FCP vêm quase todos do norte do país, o mesmo se passando também curiosamente no meio político.





Campeões Nacionais 2010/2011


Mas apesar de todas estas contrariedades o FCP continua na senda das vitórias, tendo sido há bem pouco tempo lembrado como o clube do mundo com mais títulos conquistados durante o século XXI, e imagine-se só superado pelo enorme Barcelona que conta com 18 títulos, contra os 24 conquistados pelo FCP, e lamentavelmente no seu próprio país, este feito mais uma vez é esquecido e ultrapassado pela maior parte dos órgãos de comunicação social, acompanhado pela legião política residente em Lisboa, sabendo de antemão que se esta situação se situasse a sul do país, tudo seria diferente dando logo lugar a festejos, condecorações e objecto de propaganda clubista, entretanto, e para mal dos pecados de toda esta gente, o FCP lá vai continuando a ganhar e a colecionar troféus para encher o seu novo museu, que esperamos não tarde a ser inaugurado para alegria dos seus apaniguados e fiéis adeptos.








Por: Natachas
Enviar um comentário
>