terça-feira, 24 de março de 2015

Este é o Quaresma que eu sempre quis.


Quando pronunciado pelo nome de, Ricardo Andrade Quaresma Bernardo, talvez muitos de nós não se apercebam de quem estamos propriamente a falar, mas se o designarmos só por Quaresma, certamente que não teremos dificuldade alguma em dizer que estamos na presença de um dos maiores talentosos jogadores que militam no nosso futebol indígena, e apesar de já ter 31 anos e uma carreira repleta de títulos, e com participações nos melhores clubes europeus e na Seleção Nacional, está a atravessar aquele que eu considero o seu melhor período enquanto futebolista completo e talentoso no FCP.

Curiosamente, Quaresma estreou-se na equipa principal do SCP contra o seu clube do momento pela mão de László Bölöni com apenas 17 anos e oriundo da formação da equipa leonina, conquistando nesse mesmo ano o Campeonato Nacional e a Taça, feito que o SCP nunca mais conseguiu, e ao mesmo estilo de Cristiano Ronaldo, outra descoberta da formação leonina, também ele começou a dar nas vistas muito cedo devido às suas constantes e imprevisíveis fintas que colocavam os seus adversários em sérias dificuldades, e onde começava a despontar a sua especialidade no tão propagandeado cruzamento de trivela, gesto técnico que ainda hoje o pratica com êxito.

Depois de ter sido vendido pelo SCP ao Barcelona, Quaresma ingressou no FCP em 2004 funcionando como moeda de troca e mais uns tantos milhões de euros no negócio entre o FCP e o Barcelona na aquisição de Deco para o clube catalão, sendo que após a entrada no clube azul e branco, o seu talento que no momento estava em declínio voltou a breve trecho a vir ao de cima, pois a sua capacidade técnica de jogador de eleição nunca deixou de existir, e JNPC como mestre neste tipo de pesquisa de boas oportunidades de negócio soube tirar partido disso conseguindo vários títulos conquistados, onde Quaresma era uma peça fundamental no esquema da equipa.

Em termos puramente técnicos há quem diga mesmo que Quaresma estará mesmo a um nível superior a Cristiano Ronaldo, o que só o valoriza ainda mais enquanto profissional de futebol, porém, no que diz respeito à sua irreverente personalidade o efeito mediático tem sido outro, originando mesmo nos últimos anos problemas acrescidos na sua carreira desportiva, já que, por sistema denota uma débil mentalidade psicológica ao lidar com situações que se lhe deparam, devido talvez à sua própria rebeldia genética, e ao seu egocentrismo bem espelhado na forma como encara por vezes os problemas que se lhe deparam e os lances sem qualquer rigor coletivo em prol da equipa, se bem que, por vezes, o seu enorme talento se traduza em grandes jogadas e golos fantásticos, daqui advir para a análise dos psicólogos a sua integração no grupo das personalidades dos “Artísticos”, ou não seja ele um “artista” da bola.

Só que entretanto, com a vinda de Lopetegui para o FCP, e apesar de no início da temporada o temperamento de Quaresma parecer aos nossos olhos pouco ou nada diferente do habitual, com o decorrer do campeonato temos assistido a uma profunda alteração de comportamentos para melhor, onde certamente o seu treinador e demais equipa técnica tiveram uma intervenção de excelente nível na área da liderança comportamental que se saúda e se aplaude, conseguindo resultados a todos os níveis notáveis para bem do próprio jogador e para toda a equipa, razão pela qual eu agora posso dizer com absoluta certeza que, “Este é o Quaresma que eu sempre quis”, tolerante, disciplinado, coletivo e altruísta.
 
Por: Natachas
Enviar um comentário
>