sábado, 7 de março de 2015

Poema da Auto-Estrada II

#benfica #Joker #FC Porto



E pois em nova arrancada
Pôs-se Tello na Pedreira
Qu’é um estádio de primeira
Cuja estrada está fechada!?

E para lá ter passado
Tev’o Tello qu’assapar!
Qu’ela não queria entrar
Nesse jogo atropelado!!

Mas por força da tracção
Nessa moto equipada
Foi a estrada, contornada
Num arranque e torção…

Estava o caminho já limpo
Desses pinos d’encarnado
Que barravam o traçado
Nessa estrada, em labirinto!

E o Tello não rogado
Lá passou bem junt’a Braga
Para mais uma jornada
Qu’o levará a outro lado…

E ainda qu’a polícia
Esteja em estado d’alerta
Essa via foi aberta!
É o título da notícia!!

E até nos ecos d’Espanha
Já se escuta o aviso!!
Qu’o Tello rasg’o piso
Nas estradas de montanha!!

É qu’a polícia atenta
Já anda à caça da multa!!
E s’o Tello catapulta…
Já lhe caçam a licença!!

Qu’à entrada de Lisboa
Já se monta a barreira!!
Pois é grand’a ribanceira
E se por lá a moto, voa?



Vai o Tello n’auto-estrada
No picanço ao papagaio…
O qu’ele grasna até Maio:
“Esta moto foi roubada!!”

 Por: Joker
Enviar um comentário
>