sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Clube de Cavalheiros

#benfica #vergonha #fcporto #Joker



É um clube tão exclusivo
Que nem o Conselho
O associado mais velho
Tem poder efectivo!

Qu’as suas decisões
São providenciais!?
Mas é nos tribunais
Que vão a eleições!?

Porqu’o “presidente”
Tem poder de veto!
E se lhe parece certo
Veta tod’a gente!

Não há concorrência
A lugares na Liga!
Quem lá está, prossiga
Em nome da “transparência”!

E se minoritários
Esses votos são!?
Essa é a razão
Destes corolários!

Exclusividade!
Clube de cavalheiros
Não aventureiros
Dessa estranha liberdade!?

Qu’isso é modernice
Sem razão estatutária
Qu’uma lista arbitrária
Possa vencer – “batotice”!

Por isso é d’excluir
Toda e qualquer lista
Que não seja “revista”
De modo a prosseguir!

E se tiver apoios
Da imensa maioria
Que lógica teria
Tantos votos saloios?

E ver ser tomado
O clube do feudo
E o Dr. Figueiredo
Ser assim “destronado”?

Que clube vingava
Em democracia
Em qu’a Liga se via
Já patrocinada!?

Recebendo dinheiro
Em troca da “honra”
Isso é uma afronta
Ao país inteiro!

Pois somos honrados
Nesta pequenez
E não há duas sem três
Pr’a sermos resgatados!

Por isso é viver
Com’os nossos avós
Orgulhosamente sós!
Em vez de ceder…

E s’o futebol
Ficar sem dinheiro
Vai-se ao mealheiro
Joga-se andebol!

Pois o qu’interessa
São os lugares na Liga!
E qu’o Clube prossiga
C’oa sua promessa!

De se manter
Bem purificado!
Trajar d’encarnado
Sem ter de s’esconder!

Pois que lá na Mesa
O seu “presidente”
Disse a tod’a gente
Em qu’equipa pensa

Quando bem decide
Que listas riscar
Para controlar
Ao estilo da PIDE!

Mas é democrático
Só riscar a azul!
Que de norte a sul
Rest’o autocrático!

Está pois bem ciente
De lidar com “cubanos”
Pois em muitos anos
Foi seu dirigente!

Era verde-rubro
Na pérola do Atlântico
Em valor semântico
Por fumar um “puro”!

O que revelava
Ser ele o “cubano”
Qu’ao descerrar do pano
Já a equipa trocava!

Era do “glorioso”
Desde que nasceu
E no Marítimo cresceu
C’um travo culposo!

Como pode um defensor
Dessa autonomia
Viver na mania
Qu’é um ditador?

Que não há no tempo
Político ou histórico
Um caso folclórico
Que lhe sirva d’exemplo!?

Só pode pois ser
Traço de personalidade
Ond’a “verticalidade”
Não o fez crescer!

E que por tão pequeno
Se tome por grande
E no “clube” mande
Em mandato “pleno”… 


Por: Joker
Enviar um comentário
>