sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Carraças, guardanapos e moralistas



Mário Figueiredo está agarrado ao poder na liga de clubes como uma carraça está agarrada a um cão! Vale tudo para manter-se no lugar, nem que seja cometer as maiores ilegalidades que são possíveis! Vale tudo, não há ética, moral, vergonha, nada, recorre a tudo para manter-se no lugar e continuar a sua subserviência ao clube do regime.


Para quem não sabe “a carraça” deu uma entrevista onde recomenda ao seu “clube do coração” que deve demarcar-se do FC Porto e trilhar um “caminho limpo” para conquistar a hegemonia no futebol português (para quem não acredita ou quer saber mais pode consultar aqui: http://desporto.sapo.pt/futebol/primeira_liga/artigo/2014/09/09/m-rio-figueiredo-aconselha-benfica-a-demarcar-se-do-fc-porto).

Para além de configurar uma clara falta de isenção na forma como se refere a associados do organismo que preside (diabolizando uns e colocando no “altar das virtudes” outros), expôs sem margem de dúvidas a que veio e qual a sua agenda. Para bom entendedor meia palavra basta, já diz o povo na sua sabedoria popular.

A referida entrevista é tão nauseabunda, baixa, rasca, cheia de insinuações carecendo de provas, e de processos de julgamento popular na praça pública que lembra estratégias não só de outros tempos, mas também uma certa tendência que se tem verificado desde o famigerado e encomendado processo “Apito Dourado”, em que a montanha pariu um rato!

Lançam-se suspeitas, dúvidas, insinuações, boatos, acusações sem provas e persiste-se nessa campanha de propaganda que faz lembrar a propaganda nazi que se inspirava no princípio “uma mentira repetida várias vezes passa a ser uma verdade”.

Quem estudou a história de Portugal sabe que foi na “capital” onde os famosos “autos de fé” ganharam força, forma e projeção e devastou a vida de vários inocentes incapazes de se defenderem.
O Sr. Figueiredo parece querer recuperar certos expedientes, ou melhor, recuperou mesmo alguns expedientes do tempo “da velha senhora”, e agora vale tudo até arrancar olhos para proteger, beneficiar e ajudar o clube do regime de todas as formas e feitios possíveis e imaginários.

Este campeonato ainda “cheira a tinta fresca” e já aconteceu a “eventualidade” e “coincidência” de arbitragens escandalosas como as de Setúbal (no Vitória de Setúbal x clube do regime) e Guimarães (no Vitória de Guimarães x FC Porto) terem desvirtuado resultados e beneficiados uns em detrimentos de outros.


Se o beneficiado fosse aquele que tem a fama e não o proveito, caía o Carmo e a Trindade! O que não seria! Certamente seriam pedidas audiências ao governo e à Procuradoria-Geral da República. Se calhar haveriam também dvds enviados para a comunicação social e quem sabe o quê mais!

O que esta gente quer e está a conspirar para atingir todos sabemos o que é. Nunca perdoaram ao FC Porto os sucessos que alcançou, a projeção felizmente não só nacional como internacional que atingiu, o prestígio que granjeou, e os inúmeros títulos alcançados, inclusivamente títulos internacionais que nem o clube do regime possui. E por todos os meios continuam a tentar não só desestabilizar como destruir o FC Porto.

Quem acompanhou o processo “Apito Dourado” desde os primórdios percebeu ao ponto que é possível chegar, e ao que o desespero “deles” levou, onde quais cães raivosos babando-se todos de satisfação pensando que tinham conseguido o “tal objetivo,” cometeram erros de palmatória de tal ordem, que todas as acusações contra o FC Porto e os seus dirigentes caíram por terra manchadas por uma gritante falta de credibilidade e solidez.

Até se socorreram duma “escritora de ficção à pressão” rapidamente industriada por Pinhões e afins, para apimentar mais o processo de intimidação e a pressão sobre o FC Porto. Para infelicidade desses “tais justiceiros de circunstância” mais uma vez o resultado foi um desastre, ou seja descrédito completo e até caíram num tremendo ridículo.

Curiosamente a “tal escritora à pressão” desapareceu de cena pois já não era necessária, e o seu papel de escárnio, maldizer e insinuação tinha sido cumprido. Dizia-se que o “best-seller” neste país de incultos “Eu Carolina” teria até um segundo volume a ser preparado, entretanto nem sinal de tal “obra-prima do regime para o clube do regime”!


A “temperatura” entretanto “desceu” muitos “imprevistos aconteceram” tudo desabou com a fragilidade de um castelo de cartas, e os mentores de “todo o esquema” parece terem perdido o entusiasmo na “tal obra literária”.

Ainda fomos “brindados” com um filme de qualidade duvidosa com o título “Corrupção”. É curioso como “aquela gente” tanto pronuncia tal palavra e anda com essa palavra residente nos seus pensamentos, provavelmente por ser um reflexo da sua personalidade e valores morais! Mas deixarei a explicação para os especialistas no campo da psicologia humana, área onde não sou de forma alguma um entendido.

Na tal entrevista da “carraça” ainda há espaço para uma “ode” a Bruno de Carvalho, o mais recente “paraquedista do futebol português” que de fato tem os melhores números de circo vistos há muitos anos neste desporto tão maltratado em Portugal por árbitros e dirigentes de sarjeta!


Parece até que o Sr. Figueiredo ganhou as últimas “eleições da liga de clubes” com o voto de desempate do sporting. Há coisas fantásticas, de fato há! E bem posso escrever “eleições” com aspas tal o processo patético-cómico em que ocorreram, com a exclusão ilegal de listas concorrentes e outras “originalidades à la Figueiredo”.

Mas como dos fracos não reza a história muito em breve é apenas uma questão de tempo “a carraça” voltará para o “buraco donde nunca devia ter saído”, não sem antes ter feito o estrago pretendido e o trabalhinho sujo em prol do clube do regime, não tenham dúvidas que a missão foi mais que cumprida, basta recuar e avivar a memória do que foi o mandato deste sujeito execrável.

Curiosamente a vida não para de nos surpreender, eis que um “impoluto” dirigente insular com clara e fanática “colagem ao clube do regime” foi apanhado nas teias das “engenharias financeiras” e em conjunto com outros administradores do clube que preside estão a ser acusados de fraude fiscal qualificada (num montante que terá lesado o estado em 6 milhões de euros)!

Tem de fato muita piada! O Sr. Carlos Pereira (“guardanapo no léxico do futebol português”) é mais um daqueles “poços de virtudes” a quem cai a máscara, estando a braços com a justiça por questões fiscais. Para mim este senhor já é uma fraude desportiva, a todos os títulos, pelas suas palavras, atitudes e falta de nível. Cabe à justiça provar se é também culpado de fraude fiscal! Como contribuinte cumpridor acho muito bem que tudo seja investigado e levado até às últimas consequências doa a quem doer.


 Neste país de “chicos-espertos” certamente o “guardanapo Pereira” não será o único nem último a tentar ludibriar o sistema, pois a tentação é grande, pois regra geral tudo acaba em “águas de bacalhau” com arquivamentos. Mas essas questões deixo para a justiça provar e condenar se houver enquadramento jurídico para tal. Até prova em contrário todos são inocentes é assim o princípio de ouro nas chamadas democracias!


Mas não resisto a escrever ó caro “guardanapo Pereira” pela boca morre o peixe! Onde andam aquelas capas do jornal do regime “A Bola” onde tinha todo o destaque e protagonismo? Como muitos utilizou a “fórmula infalível do costume” que opera “milagres comerciais” (vulgo vendas): Basta dizer mal do FC Porto ou do Sr. Jorge Nuno Pinto da Costa para ganhar os seus minutos de fama!


Ninguém se esquecerá da sua tão esclarecedora frase “nada faremos para que o benfica não seja campeão!”. Mais claro não podia ser, mas compreendo-o apenas partilhou o que ia na sua alma sofredora lampiónica, trucidada, apertada e amargurada por tantos pesadelos e filmes de terror protagonizados pelo FC Porto.

No mais recente lote de personagens “exóticas” no futebol português atual juntou-se o inenarrável Bruno de Carvalho, que começa a colecionar um conjunto de cognomes vasto e de difícil escolha sobre qual o mais adequado, tal a pertinência de cada um deles (“Sacristão da Carregueira”, “Vale e Azevedo Verde”, etc.).

O “bruninho” que ainda “ontem” chegou ao mundo do futebol bem tem feito tudo para andar “nas bocas do mundo”, sempre com uma sede de protagonismo insaciável e tal como outros recorrendo à tal fórmula infalível que nunca falha, atacar o FC Porto e/ou o seu Presidente.

À custa desta obsessão pelo FC Porto e o seu Presidente, cedo o “bruninho” acabou sendo escolhido como a coqueluche da imprensa desportiva lisboeta, e dia sim dia sim lá está ele todo “pimpão” nas capas de tais jornais com as suas “alfinetadas” que certamente enchem o seu ego.

E o “bruninho” passou num ápice ao paladino da verdade desportiva, a mais um moralista “de circunstância” sofrendo dos mesmos “males” de todos os outros que “vestiram essa pele”: Passam a vida a pressionar os árbitros direta ou indiretamente, quando são beneficiados ficam bem caladinhos e quando acham que foram prejudicados fazem tanto barulho que parecem bebés chorões!

Também diz o povo que “quem não chora não mama”, ora e temos visto que de fato a choradeira tem compensado, por vezes o efeito é de certa forma imediato, pois na jornada seguinte são presenteados com "arbitragens amigas".

Porquê no dia após a mais expressiva vitória do FC Porto na Liga dos Campeões frente ao Bate Borisov, por uns expressivos 6-0 fui buscar estes temas e gastar energias e tempos a mencionar indivíduos que não merecem?

A resposta é simples! Estou desiludido com o comportamento da FC Porto SAD que parece que só sabe gerir silêncios e após o roubo descarado em Guimarães e outros episódios em que energúmenos provocaram o FC Porto duma forma ou de outra, nem um comunicado no sítio oficial do clube colocaram, nem uma reação de algum género foi vista ou ouvida.

Parece-me que o silêncio e o concentrar energias e atenção em trabalhar para sermos melhores que os outros e nos momentos certos darmos a resposta à altura dentro de campo, é uma estratégia que é insuficiente tal a proporção que a perseguição e conspirações contra o FC Porto tomou, quando pensamos que já assistimos e vimos tudo eis que somos surpreendidos. O inimigo não desiste e está sempre à espreita de uma oportunidade para desferir o ataque, convém ter isto em mente e não baixar a guarda nunca!

Com o FC Porto tem pela frente um inimigo com armas poderosas e recursos desiguais não é fácil elaborar uma estratégia de defesa eficaz que derrote em definitivo esse inimigo. Esta não é uma “guerra convencional” será uma luta sem fim para manter o FC Porto no topo a vencer, fazendo jus ao lema “A Vencer desde 1893”.

A nossa geração e os atuais dirigentes do Clube têm uma palavra a dizer e um contributo a dar para esta luta, seguir-se-ão outras gerações que ocuparão o nosso lugar e outros corpos dirigentes virão tal a inevitabilidade da “lei da vida”. Que todos saibamos sempre cumprir a nossa missão de forma a honrar e preservar um passado brilhante e um futuro onde nem o céu será o limite. O limite está nos próprios limites que nos impomos a nós próprios!

Um dos problemas que temos tido neste início de época é jogar “o suficiente” para ganhar, ou seja, com exibições fracas, mesmo que com produção de um caudal de jogo que cria oportunidades suficientes para vencer jogos.

Como bem sabemos para o FC Porto vencer no plano interno tem de ser muito melhor que os outros, jogar o suficiente é correr riscos acrescidos, basta encontrar uma arbitragem a recente em Guimarães e podemos perder pontos de forma inesperada.


O último jogo ante o Bate Borisov poderá marcar o início de uma nova etapa em que às vitórias somam-se boas exibições que entusiasmam e convencem. Tomara que assim seja. Se elevarmos o nível exibicional aliado às vitórias as nossas hipóteses de sucesso aumentam de forma considerável.
Deixo os parabéns aos jogadores e equipa técnica do FC Porto pelo grande feito conquistado nesta Terça-Feira, que encheu de alegria a Família Portista e contribuiu para “alimentar” o prestígio internacional do nosso grandioso Clube.

Viva o FC Porto!
A Chama do Dragão é Eterna!
FCP Sempre!


Por: BluePunisher






Enviar um comentário
>