terça-feira, 15 de maio de 2012

OUTROS TEMPOS, OUTRAS VITÓRIAS, OUTROS HERÓIS: SAD, MUDAR TUDO E FICAR NA MESMA (CRÓNICA)






Recordem-se as palavras dos criadores e diga-se, hoje, que a FC Porto, Futebol, SAD consolidou um êxito anunciado. A polémica (que antecedeu e teve continuidade) da constituição de uma empresa, com interesses iminentemente comerciais, para gerir o futebol dos dragões, não acabou mas está demasiado esbatida para merecer atenção de facto. A realidade é quase uma cópia das previsões que Pinto da Costa fizera quando assumiu a presidência do Conselho de Administração, garantindo, então, que nada mudaria; quando muito ao rigor da gestão então já em vigor no clube poderia ser aperfeiçoado. De resto, em termos desportivos, nada, rigorosamente nada sofreria alteração…





Hoje, é fácil dizer que o presente é igual ao passado. A conquista do PENTA começou antes do advento da SAD e materializou-se já com o Conselho de administração instalado na Torre das Antas. A sede de vitórias é a mesma e os negócios, se diferem, são sobretudo produto dos tempos, nada garantindo que não fossem feitos noutras circunstâncias. Ou seja, as mudanças são visíveis, ao nível das estruturas e da própria gestão, mas, em termos desportivos, está tudo na mesma. E se é certo que, nos momentos piores, os adeptos gostam de apontar o dedo à Torre, para fazer acusações extravasando o desalento de quem não está habituado a perder, não o é menos que exactamente os mesmos adeptos vibram e festejam com o mesmo sentimento do passado os triunfos da equipa de futebol. E gritam FC Porto.
Obviamente!

NEGÓCIOS DE MILHÕES COM VÍTOR BAÍA NO VAIVÉM

Não é ainda tempo para quantificar, em números exactos, os negócios que o FC Porto efectuou com Vítor Baía, tendo por base a venda do passe ao Barcelona, em 1996/97, e o seu regresso às Antas, em Janeiro passado (1999). Por enquanto, o que se pode dizer é que os Portistas encaixaram cerca de 1,2 Milhões de contos (6 Milhões €), quando aceitaram a transferência do guarda-redes para Espanha e que beneficiaram do contributo, claramente decisivo, que Baía deu nesta época para a conquista do PENTA. Quanto ao resto, há que esperar.
O FC Porto conseguiu, agora, o passe por empréstimo, que durará até ao final da próxima temporada (1999/2000). Depois, os dois clubes, (FC Porto e Barcelona) e o atleta terão que decidir o que fazer, colocando-se três hipóteses: o regresso de V. Baía ao Barcelona; a compra do passe pelo FC Porto; a transferência para um terceiro clube. É cedo para conclusões…

GRANDES NEGÓCIOS DO PENTA

Compras

1996/97 – Jardel – Grémio – 800 mil contos (4 Milhões €)
1997/98 – Doriva – Atl. Mineiro – 600 mil contos (3 Milhões €)

Vendas

1996/97 – Vítor Baía – Barcelona – 1,2 Milhões de contos (6 Milhões €)
1996/97 – Emerson – Middlesbrough - 800 mil contos (4 Milhões €)
1997/98 – Edmilson – P.SaintGermain - 600 mil contos (3 Milhões €)
1997/98 – Domingos – Tenerife – 1,5 Milhões de contos (7,5 Milhões€)
1998/99 – Sérgio Conceição – Lázio – 1,8 milhões de contos (9 Milhões €)
1998/99 – Doriva – Sampdória – 1,4 Milhões de contos (7 milhões€)
«OJOGO» - Edição especial FC PORTO PENTACAMPEÃO - 4 Junho de 1999 


Por: Nirutam
Enviar um comentário
>