domingo, 20 de abril de 2014

Andebol: benfica 25 - 26 FC Porto - Mágicos segundos finais

#Andebol #benfica #FCPorto #GilbertoDuarte #Desporto #Portugal





O FC Porto deslocou-se este sábado ao pavilhão daquele clube que adoramos vencer em jogo a contar para a 5ª jornada da fase final do campeonato. Continuamos em boa posição para um inédito hexa. Estamos a um ponto do Sporting e temos menos um jogo jogado. Faltam 5 finais. Dependemos de nós. O rival de hoje praticamente disse adeus ao título.





O nosso clube teve uma pausa na competição na semana anterior devido à final da Taça de Portugal. A forma encontrada de manter o ritmo foi um torneio em Espanha. 

Sem baixas, Obradovic entrou com em campo com o 7 inicial mais habitual. O esquema defensivo também sem surpresa, o habitual 6*0. Os coisinhos também sem baixas e com uma defesa 6*0.

Tal como se previa foi um início equilibrado. Sem grandes diferenças no marcador. Ao fim dos primeiros 10 minutos uma vantagem tangencial para o nosso emblema (3 - 4). Destaque nesta fase para Schubert, o autor dos nossos 2 primeiros golos. O primeiro do seu posto especifico, o 2º na conclusão de um contra-ataque.

Curiosamente foi após a nossa 1ª exclusão que nos conseguimos superiorizar à equipa adversária. Essa exclusão, pouco depois dos 10 minutos foi para Tiago Rocha. Ainda se mantinha o mesmo resultado com um golo de vantagem nosso. Eles podiam empatar mas Laurentino defendeu e conseguimos arrancar um ataque rápido que Gilberto concluiu. Em desvantagem numérica conseguimos pela primeira vez mais que um golo de diferença. mais importante ainda, não sofremos qualquer golo durante os 2 minutos de desvantagem numérica. Excelente defesa!

Foi o nosso melhor período no 1º tempo. Conseguimos um novo contra-ataque para Spínola concluir. Schubert ainda aumentou mais a vantagem com a sua já habitual rosca. Em poucos minutos conseguimos um fosso de 4 golos (5 - 9). A base deste disparar no marcador foi sobretudo a acção defensiva. Conseguimos limitar as situações de remate, eles iam somando falhas técnicas. Em consequência desso sucesso defensivo conseguimos colocar em uso uma das nossas maiores armas, a saída rápida para o ataque.

Aos 20 minutos o marcador mostrava um 6 - 9. 

Isto depois de nova exclusão (Ferraz) onde voltamos a não sofrer. Aliás, nesta altura apenas nós tínhamos exclusões. Quem via um José Costa do outro lado a agarrar, empurrar, bater como o fez não podia deixar de achar estranho este facto.

João Ferraz foi expulso logo a seguir. Convém realçar que Ferraz não teve a mínima intenção de tocar. Mas a verdade é que tocou mesmo na cara de Semedo que ficou maltratado e acabou por sair de campo. As melhoras para ele. 

A equipa sentiu esta expulsão. Até porque antes dos 2 minutos terem terminado já Wilson tinha recebido nova exclusão por igual tempo. 

O resultado ao intervalo era apenas uma vantagem de 1 golo para a nossa equipa. 10 - 11. Estava tudo em aberto para o 2º tempo.

Obradovic fez a troca habitual de guarda-redes ao intervalo. Entrou Quintana que, logo nos primeiros segundos defendeu um livre de 7 metros. O equilíbrio continuou a ser nota dominante. Eles ainda passaram para a frente antes dos 5 minutos mas a vantagem mínima para o nosso lado continuava a ser o resultado ao fim dos 10 minutos (16 - 17).

Tivemos uma excelente oportunidade para voltarmos a ganhar uma vantagem mais confortável. Ganhávamos por 18 - 19. No espaço de poucos segundos o adversário teve duas exclusões. Íamos ter quase 2 minutos com mais 2 jogadores. Não aproveitamos. Não sofremos (mau era) mas não marcamos nenhum golo. E tivemos oportunidades para isso. Falhamos dois remates aos 6 metros. O primeiro por Spínola, o 2º por Schubert.

Pior que isso, sofremos quando eles voltaram a ter os 7 jogadores e passamos para trás no marcador (20 - 19). Obradovic resolve voltar a fazer entrar Laurentino, hoje estava mais inspirado. Resultou, logo na 1ª jogada defendeu um remate de Dario aos 6 metros.

As exclusões começaram a ser uma constante para o nosso lado. Ricardo Moreira foi excluído, logo a seguir nova exclusão por um jogador ter entrado antes do tempo. 

A 10 minutos do fim, pela 1ª vez estivemos a perder por 2 golos (22 - 20).

Continuava o ritmo das exclusões. Raro era o momento em que não estivéssemos com menos 1 em campo. Mesmo assim chegamos aos 5 minutos já empatados a 23.

Tudo se ia decidir nos minutos finais. Não tivemos golos nos primeiros 2 minutos e meio. Quando surgiu esse golo foi para nós. Spínola a entrar aos 6 metros e a marcar. 

Não é surpresa mas no ataque seguinte nova exclusão, desta vez para Rosário. Livre de 7 metros que Quintana não conseguiu suster. Novo empate e nem 2 minutos faltavam. O rival tinha vantagem numérica e fez pressão a todo o campo. 

Nesse ataque tentamos arranjar o melhor espaço e tempo para marcar. Já perto do limite de jogo passivo perdemos a bola e eles saíram em contra-ataque e marcaram.

Faltava menos de 30 segundos e tínhamos de marcar, estávamos a 1. Obradovic faz entrar Alexis como guarda-redes avançado. Wilson joga com o pivot e Tiago Rocha a rodar sobre José Costa e a marcar. GOLO! A 3/4 segundos do fim conseguimos empatar. Muito bem Tiago Rocha.

Faltavam poucos segundos e o treinador adversário utiliza a mesma estratégia de Obradovic. Coloca um guarda-redes avançado. Tiago Rocha tinha sido excluído depois de marcar por atrasar a reposição de jogo.

Ainda tínhamos uns segundos. Íamos defender com tudo... 

A bola no meio campo. José Costa falha o 1º passe logo na saída. Gilberto está atento e intercepta a bola. A baliza está deserta era só marcar. GOOOOOOLO! Fantástico. Ganhamos! Mágico! Excelente Gilberto, a atenção dele deu-nos a vitória. Do nosso lado merecidos festejos. Do outro uma azia do tamanho do mundo. Também merecida.

Surreal. A 10 segundos do fim perdíamos por 1. Conseguimos ganhar. Não há minuto 92 no andebol mas os jogos duram mesmo 60 minutos... E todos os segundos contam...



Equipa e marcadores:

Hugo Laurentino (g.r.), Gilberto Duarte (6), Wilson Davyes, Tiago Rocha (5), João Ferraz, Ricardo Moreira (3) e Mick Schubert (4). Jogaram ainda: Alfredo Quintana (g.r.), Alexis Hernández, Pedro Spínola (6), Hugo Rosário (2).




Por: Paulinho Santos













Enviar um comentário
>