segunda-feira, 14 de abril de 2014

Luz!

#FCPorto #Arouca #Benfica #Portugal #EDP #Vergonha

Luz!

E lá foi jogar o Arouca
No belo estádio d’Aveiro
E num jogo domingueiro
A festa foi de grã-pompa!

Por decisão da vistoria
Qu’a EDP lá fez no estádio
E por Arouca fez-se sábio
Do PIB, o “nosso” Mexia!

Note-se a coincidência
Nesta subida do PIB!
E a dívida em queda livre?
Isto é pura competência!

Por isso recebe milhões
Por nos cobrar a voltagem!
E na electricidade, a imagem
Deste país d’aldrabões!

E por nao ter a potência
Par’a primeira divisão!
Chega esta decisão
Tomada por emergência!

Diz a Liga no texto
Qu’o caso de força maior
Determina o andor
E na potência, o pretexto!

E c’oa Câmar’a reboque
Vai o Arouc’a Aveiro
Jogar contr’o primeiro
Sem risco de choque!

Se fosse no Algarve
Num jogo contr’o Estoril
Outra razão mais subtil
For’a razão de quem sabe!

E sempre que ganh’a Liga
Há um caso de força maior
A tesouraria…o calor!?
Ou a EDP qu’obriga!?

Mas é tudo feito com regras
Qu’a Liga vai aprovando
Todas avulso, forçando
Um campeonato sem negras!

Qu’o campeonato está feito
E é preciso fazer render
A festa, qu’a suceder
Seja com luz e com jeito!

Por iss’o Mexia rejubila:
Os seis milhões já consomem!
E antes do político, o homem
Também quer-se papoila!

Quiçá então saltitante!?
Entr’a política e as Empresas
Qu’as contas coesas
Dão-lhe o bastante!

E s’a electricidade está cara
Mais qu’a maioria da Europa…
E s’até a Troika
Acha que dispara!?

É das vistorias!!
São dispendiosas!!
Não pag’as gasosas
Nem as romarias!

Por isso há que ir
Festejar a Aveiro
Qu’o país inteiro
Quer-se divertir!

E assim o producto interno
Sobe na razão
Proporcional à tensão
Que se tem nesse “inferno”!

Pois há muita luz
E muito consumo!
Que com tanto fumo
Que por lá se produz

O Mexia ganha
Só com essa energia
E nessa grande “orgia”
Até lá está o Manha!

Que sozinho brilha
Mais qu’um pirilampo
Esse insecto do campo
Qu’é uma maravilha!

Que só perd’o brilho
Par’o Delgado!
O intestino inchado
Metido num casquilho!

Que nessa multidão
Se salv’o país!
Quase por um triz…
Na iluminação!

Qu’a troika se rende
À tal luminosidade!
E Portugal, é verdade
Nisto s’acende…


Por: Joker
Enviar um comentário
>