domingo, 13 de abril de 2014

Liceo 3 - 4 FC Porto (0 - 2 GP) - Vamos à Final Four!

#FCPorto #HóqueiemPatins #FinalFour #Corunha #Espanha





O FC Porto teve hoje uma soborosa vitória na Corunha. Fomos discutir a presença a mais uma final four a casa do Liceo. Partíamos em desvantagem depois do jogo no nosso Dragãozinho pela margem minima (2 - 1). Era preciso competência, garra, atenção e talento para dar a volta. Tivemos tudo isso e trouxemos da Galiza a ambicionada passagem na eliminatória. Bravo!




Tó Neves não surpreendeu na escolha do 5 inicial. Foi o mesmo que iniciou a partida a meio da semana contra o Valongo e o 5 mais habitual este ano.

Foi uma entrada com um Porto algo diferente. Mais cauteloso, não defendia tão alto. Uma opção estratégica do nosso treinador que resultou em pleno. Mesmo no ataque, sem correr riscos, ataque mais pela certa, sem errar. isso foi visivel na quase inexistência de contra-ataques nesta etapa inicial. Tudo muito calculista. A única excepção era Jorge Silva, que tentou amíude imprimir alguma velocidade. Foi por isso o jogador mais perigoso neste início e o que mais problemas deu à defesa contrária. Basta dizer que as 3 primeiras faltas foram cometidas sobre ele (e ficou um azul por mostrar na 2ª falta).

Estava por isso um jogo renhido e muito fechado, com as defesas a levarem sempre a melhor sobre os ataques. 

Talvez por isso Tó neves mexeu mais cedo na equipa. Com toda a lógica. Entra Vitor Hugo por Jorge Silva e Caio por Reinaldo. A intenção era óbvia. Perante defesas tão fechadas o remate de longe era uma boa opção. Caio tem uma excelente meia distância. E Vitor Hugo fixou-se no seu habitat, bem metido na área, à espera da oportunidade de um desvio ou de uma recarga. O seu estilo de jogo em que consegue ser mortífero.

Uns minutos depois entra igualmente Hélder Nunes. E desde que entrou que esteve bem, começava a ser o dono do jogo...

Estávamos sensivelmente a meio da primeira parte e a nossa equipa estava a começar a mostrar-se superior. Recuperação de bola mais fácil e um pouco mais de velocidade. Trouxe frutos esta melhoria...

Faltavam 4 minutos para o intervalo. Saída rápida para o ataque por Hélder Nunes, ganha espaço pela meia direita. Remata forte. Golo!!! 0 - 1. Eliminatória empatada!

Duraria pouco este empate... Nem um minuto e novo golo nosso. Mais uma saída rápida para o ataque, desta vez por Barreiros que vai até ao meio campo contrário. No tempo certo surge o passe para Vitor Hugo. Este tira um adversário da frete e remata aa contar... 0 - 2. Pela primeira vez estávamos em vantagem...

Logo a seguir ao golo de Vitor Hugo o nosso treinador pede um desconto de tempo. Era preciso serenar, manter o foco e redifinir detalhes de marcação. Excelente timing de Tó Neves.

Resultou. A equipa estava confiante. Nunca descurava a defesa e estava a conseguir sair com perigo para o ataque. 

Mesmo em cima do intervalo a cereja no topo do bolo. Faltavam apenas uns segundos. Hélder Nunes intercepta uma bola e parte que nem um foguete para o ataque. Aguenta a carga e aumenta a velocidade. Passa o adversário e olha para a baliza. Com muita técnica coloca a bola no ângulo. Golo, golo, golo! Fantástico Hélder Nunes. Fantástico!!! 0 - 3 em cima do apito.

Chega o intervalo. Vitória justa e uma vantagem de 2 golos no conjunto dos 2 jogos. Espetacular reviravolta. Hélder Nunes excelente, a mudar por completo o jogo...

Reinício do jogo e volta o 5 que iniciou o jogo. 

O Liceo sabia que tinha de mudar muito. São uma equipa talentosa e fê-lo. Entraram muito pressionantes a rematar sempre que possivel à baliza de Edo. Conseguiram reduzir num lance fortuito. Remate de Bargalló, a bola desvia num colega e trai Edo. Muito azar nosso... 1 - 3.

Mas calma. Ainda estávamos em vantagem. Além disso tínhamos Hélder Nunes completamente endiabrado...

Logo após o golo da equipa espanhola, azul por falta sobre Jorge Silva. Claramente, o nosso avançado já tinha passado e foi empurrado contra a tabela. Era Hélder Nunes que ia marcar. parte para a bola, simula para um lado, simula para o outro. senta o guarda-redes e com o ângulo aberto é só encostar. GOOOLO! Hélder Nunes mais uma vez, estava imparavel! 1 - 4.

O golo animou a equipa, logo a seguir Barreiros ia marcando o 5º. 

O Porto estava confiante, adulto. A jogar em 2 + 2, a tentar ataques longos, quase no limite do jogo passivo. Com bola, jogo esticado, bem aberto junto às tabelas. A vantagem era nossa e era a estratégia certa.

Com esta confortável vantagem começa a palhaçada. Erros da arbitragem eram uns atrás dos outros. Sempre para o mesmo lado. Logo a seguir ao nosso golo livre directo a favor da equipa espanhola. Decisão errada. Jorge Silva cortou a bola e apenas a bola. Nem sequer perto de fazer falta. A dupla italiana não entendeu assim. Contudo temos Edo na baliza, não é preciso ter receio. Defendeu com qualidade. 

Não resultou à primeira, tentaram a segunda. Marcaram falta a Reinaldo. Era a nossa 10ª falta e haveria novo livre directo. Gostava de dizer se foi ou não falta, mas nem sequer percebi o que possa ser falta ali... Voltou a não ser golo, o poste e depois Edo a não permitirem.

A 11 minutos do fim novo golpe de sorte da equipa galega. Golo deles. Remate de longe, Edo defende e a bola bate no jogador espanhol e acaba por entrar. mais uma vez muito azar.

Entrávamos agora na fase do vale tudo. Arbitragem vergonhosa, sem coragem e nada isenta. Ficaram inúmeras faltas por marcar. Hélder Nunes em particular foi muito visado. Nunca eram marcadas, estiveram 10 minutos parados nas 8 faltas. Inacreditavel! Do outro lado do campo quase que só bastava um sopro. O critério era completamente desigual, até nas questões mais simples. A regra dos 5 segundos para passar o meio campo por exemplo. Um pouco de exagero mas para nós quase pareciam 5 milésimos... Para o lado deles dei-me ao trabalho de cronometrar uma jogada. 9 segundos!!!

Temia-se que tanto roubo enervasse a equipa. Nada disso, continuava uma equipa compacta e concentrada. 

Infelizmente o temido golo da equipa espanhola surgiu já perto do fim. Faltavam apenas 5 minutos. De picadinha. Edo perdeu a noção da bola por breves momentos e foi o suficiente. Golo deles e tudo empatado...

O roubo continuava. Hélder Nunes sofre penalti e nada é assinalado. A falta obrigou o nosso craque até a sair do campo, mas para a dupla italiana nada se passou...

Voltamos a mostrar-nos superiores. Caio ainda teve um livre directo (10ª falta) mas a bola foi ao poste. Merecia o nosso nº 8, entrou muito bem em campo e criou muito perigo no final do jogo. 

Apito final, íamos a prolongamento. Duas partes de 5 minutos. Com regra do golo de ouro, um golo decidia tudo.

Talvez por isso o prolongamento foi muito calculista. Um par de boas oportunidades para ambas as equipas mas sem golos. 

Tudo se ia decidir nos penaltis. O coração de todos os portistas batia a mil. Não aconselhável a cardíacos. Tudo dependeria de penaltis agora. Ok, fé em Edo. No pavilhão ou através da transmissão do Porto Canal fé em Edo. Incentivos mesmo a muitos quilómetros. Algo que só nós, portistas, temos a felicidade de perceber e acima de tudo, sentir...

Vamos aos penaltis: 

Éramos nós a marcar primeiro. Era Losna que ia iniciar. parte para a bola, remata forte e GOLO! 1 - 0 nos penaltis. Losna que não tinha jogado entrou para marcar... Era a vez de Edo. "Vamos lá campeão, defende isso". A bola vai para a sua direito e o nosso guardião vai lá com a luva. 

Segunda ronda dos penaltis. Ia ser o nosso capitão a bater. Reinaldo falhou. Logo ele que é um especialista. Era a vez deles. Desta vez o remate vai para o lado contrário. Edo estica-se e defende com o patim. Grande Edo. Continuávamos em vantagem.

Hélder Nunes ia marcar o 3º. Ele tinha saído tocado mas voltou para marcar nesta fase decisiva. Tinha sido o MVP do jogo. É um craque e tinha feito um jogo fenomenal. Ia marcar... Parte para a bola, remate rasteiro e GOLO! O nosso benjamim a dar-nos uma excelente vantagem. Se Edo defendesse quase que estava decidido. Defendeu claro... Não ia deixar passar nada!

Chegava a 4ª ronda, podia ser a última e dispenar o 5º marcador. bastava que Jorge Silva marcasse ou que eles não fizessem golo. O nosso avançado não acertou. Mas eles também não! Edo não deixou. Ele merece, teve muito trabalho e fez enormes defesas.

Festa. Passamos! Vamos à final four, as "meias finais da Champions". O sonho de ser campeão europeu este ano continua vivo!



FICHA DE JOGO


LICEO DA CORUNHA-FC PORTO FIDELIDADE, 3-6 após desempate por grandes penalidades (3-4 após tempo regulamentar e prolongamento)
Liga Europeia, quartos-de-final, segunda mão
12 de Abril de 2014
Palacio de Deportes de Riazor, Corunha, Espanha



Árbitros: Gianni Fermi e Ulderico Barbarsi (Itália)



LICEO DA CORUNHA: Xavi Malián (g.r.), Eduard Lamas, Lucas Ordoñez, Josep Lamas e Jordi Bargalló (cap., 2)
Jogaram ainda: Toni Pérez (1) e Juanjo Lopéz
Treinador: Carlos Gil



FC PORTO FIDELIDADE: Edo Bosch (g.r.); Jorge Silva, Ricardo Barreiros, Pedro Moreira e Reinaldo Ventura (cap.)
Jogaram ainda: Caio, Vítor Hugo (1), Hélder Nunes (3+1 g.p.) e Tiago Losna (1 g.p.)
Treinador: Tó Neves



Ao intervalo: 0-3
Marcadores: Hélder Nunes (3), Vítor Hugo, Jordi Bargalló (2), Toni Pérez
Penáltis: Tiago Losna marcou (0-1), Toni Pérez falhou, Reinaldo Ventura falhou, Lucas Ordoñez falhou, Hélder Nunes marcou (0-2), Juanjo Lopéz falhou, Jorge Silva falhou, Bargalló falhou
Disciplina: cartão azul a Eduard Lamas



 Por: Paulinho Santos




Enviar um comentário
>