quinta-feira, 17 de setembro de 2015

FC Porto B 3-1 Penafiel

Depois da vitória difícil no terreno do Famalicão, o FCPorto B voltou a ganhar, desta feita, em casa ao Penafiel por 3-1.

No onze portista destaque para a ausência do central Verdasca, castigado por expulsão no último jogo. Para o seu lugar entrou o médio (adaptado a central) Chidozie. De resto, não houve novidades, tendo entrado o onze mais rotinado da época.

Mas vamos ao jogo...

Foi uma partida em que o FCPorto B nunca conseguiu impor a sua forma de jogar e ficou sempre condicionado pela forma de jogar do Penafiel. Uma equipa que levou sempre o jogo para o plano físico. Enquanto o gigante Yero  dinamitava a defesa portista apenas com a sua presença, os velocistas Caetano e Aldair surgiam nas costas a aproveitar o espaço.

Assim, ainda Maurício e Chidozie arrancavam os cabelos a pensar como travar Yero e já Aldair e Caetano caíam em cima de Victor Garcia e Rafa. Uma tarde complicada para a defesa portista.

O meio campo do Penafiel pressionava alto e amarrava os médios portistas que se perdiam em pequenas escaramuças e ressaltos a meio campo. Omar Govea, Francisco Ramos e Graça raramente conseguiram ter bola de forma consistente e o ataque portista sofreu com isso. Só Gleison dava um ar da sua graça em momentos individuais.

O jogo estava partido e isso beneficiou o Penafiel durante largos minutos. O golo dos visitantes surgiu assim com naturalidade... Bola ganha por Yero nas alturas e Aldair a aparecer para facturar. A fórmula mais rudimentar dava resultados.

E foi assim até ao intervalo.

A segunda metade não foi muito diferente (diga-se a verdade). No entanto, um momento de esclarecimento de Francisco Ramos fez a diferença aos 47 minutos. Um grande passe para Gleison que recebe bem e não perdoa.

O jogo continuava partido, mas a pressão saudável do Penafiel começou a transformar-se em faltas duras. Talvez pelo cansaço ou pela frustração do empate, os visitantes começaram a recorrer ao jogo violento e naturalmente ficaram reduzidos a 10 ao minuto 71 (expulsão de Diogo Melo).

Esta expulsão ajudou o FCPorto B que finalmente conseguiu ter posse. Também as entradas de Tomás e sobretudo de Pité ao intervalo deram nova energia e foi o médio portista que assinou o segundo golo. Depois de uma arrancada pela direita de Victor Garcia, Pité conclui já dentro da área.

O mais difícil estava feito e o Penafiel voltou a ajudar. Yero também foi expulso e pouco depois o FCPorto chega ao 3-1 num livre cobrado de forma muito inteligente por Pité, que engana toda a gente e serve André Silva. O jovem ponta de lança voltava assim a marcar. Já são 7 golos em 7 jogos.

O jogo acabou pouco depois com a certeza que o FCPorto B é nesta altura líder da segunda liga. Não foi a vitória mais convincente, mas o adversário era complicado. O talento individual acabou neste caso por desbravar caminho à falta de melhor desempenho colectivo.


Análise individual:

Raul Gudino: Duas grandes defesas a sair aos pés dos visitantes e a salvar o golo.

Victor Garcia: Intermitente. Com muitas dificuldades na defesa e um erro grave logo a abrir. No ataque tentou apoiar e é seu o cruzamento para o 2º golo.

Maurício: Alguns cortes importantes, mas Yero deu-lhe uma tarde difícil que contou também com erros.

Chidozie: Fez uma exibição sem erros de maior. Importante nas bolas paradas.

Rafa: Marcou o homem mais perigoso do Penafiel, Aldair, e isso notou-se. Perdeu muitas vezes em velocidade como no lance que deu o golo aos visitantes.

Omar Govea: O jogo pouco passou por ele. Algo perdido a meio campo.

Francisco: Muito perdido em lutas a meio campo. Teve um momento de esclarecimento que originou o 1-1.

Graça: O homem mais inconformado do meio campo e o que mais perigo levou à baliza do Penafiel na 1ª parte.

Ismael: Desaparecido em combate.

Gleison: Lutou muito na 1ª parte, acabou por ser decisivo na 2ª com o golo que marcou. Sempre irreverente.

André Silva: A bola raramente lhe chegou, mas foi eficaz ao fazer o 3º golo e lutou sempre como é sua imagem.


Pité: Melhor em campo. O melhor futebol da equipa saiu dos pés deste médio. Entrou muito bem ao intervalo e trouxe energia redobrada. Marcou o 2º golo e ofereceu o 3º.

Tomás: Refrescou um meio campo que estava cansado.

Sérgio Ribeiro: Pouco tempo.




FICHA DE JOGO

FC PORTO B-PENAFIEL, 3-1
Segunda Liga, 7.ª jornada
16 de Setembro de 2015
Estádio de Pedroso, em Vila Nova de Gaia

Árbitro: João Mendes (Santarém)
Assistentes: Jorge Maia e Manuel João
Quarto árbitro: Rui Mendes

FC PORTO B: Raúl Gudiño (g.r.); Víctor García, Chidozie, Maurício e Rafa; Omar, Francisco Ramos (cap.) e Graça; Ismael, André Silva e Gleison
Substituições: Tomas Podstawski por Omar Govea (46m), Pité por Ismael (46m), Sérgio Ribeiro por Graça (89m)
Não utilizados: André Caio (g.r.), Cláudio, Ronan, Rui Moreira, Sérgio Ribeiro, Tomás
Treinador: Luís Castro

PENAFIEL: Coelho (g.r.); Luís Dias, Pedro Ribeiro, Amoreirinha, Pedro Araújo, Djibril, Mbala, Aldair, Caetano, Diogo Melo
Substituições: Ângelo Meneses por Caetano (76m), Bata por Mbala (70m) e Tiago Barros por Djibril (63m)
Não utilizados: Bruno, Bruninho, D. Martins e Tiago Ramos
Treinador: Carlos Brito

Ao intervalo: 0-1
Marcadores: Aldaír (15m), Gleison (47m), Pité (79m), André Silva (89m)
Disciplina: cartão amarelo a Omar Govea (33m) Diogo Melo (45m e 71m), Yero (58m e 83m), Djibril (59m) e Pedro Araújo (88m) e cartão vermelho por acumulação de amarelos a Diogo Melo (71m) e Yero (83m)

Por: Prodigio
Enviar um comentário
>