segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Segunda Liga: FC Porto B 3 - 0 V. Guimarães B

O Porto B recebeu e venceu, na tarde deste Domingo, a equipa B do Vitória de Guimarães por três bolas a zero.

Da equipa principal apenas o guarda redes Ricardo Nunes apareceu. De resto, destaque para o regresso à titularidade do lateral esquerdo Rafa e do médio criativo Pité.

O jogo esse foi muito equilibrado e o 3-0 final não reflecte o que se passou nos 90 minutos. Aliás a primeira parte até foi dominada pelo Guimarães B, com a equipa secundária do Vitória a demonstrar mais maturidade e consistência de jogo e a ter 2 oportunidades flagrantes de golo, aproveitando asneiras da defesa portista.

O Porto B ressentia-se de um meio campo inédito. Com a saída de Tiago Rodrigues para o Nacional, foi Francisco Ramos a assumir o lugar. Pité foi o jogador mais criativo do meio campo, mas pareceu ainda a meio gás depois das lesões que teve.

No entanto, apesar da falta de rotinas, o meio campo até conseguiu muitas vezes fazer a ligação ao ataque. Mas o ataque, sobretudo na primeira parte, esteve desastrado. Ivo, Fred e André Silva perdiam-se em jogadas individuais apesar de muitas vezes terem o apoio dos colegas (destaque aí para Rafa que sempre apoiou o ataque pelo lado esquerdo).

Assim, não foi estranho que a única real oportunidade de golo do Porto B na primeira parte tenha acontecido na sequência de uma bola parada, com Lichnovsky a fazer brilhar o guarda redes do Vitória.

Na segunda parte a história foi bem diferente. Os avançados do Porto deixaram as fintas e as fintinhas no balneário e regressaram dispostos a jogar colectivamente. O rendimento da equipa disparou e o Vitória pela primeira vez sentiu desconforto.

Rafa, por exemplo, esteve muito perto do golo após um bom cruzamento de Ivo.

Mas antes de o golo aparecer, o Porto foi obrigado a uma substituição forçada por lesão do central Diego Carlos. Leandro entrou para ocupar o lugar de Tomás e Tomás recuou para central.

O golo esse não tardou a chegar e foi para o jogador que mais o mereceu, Rafa. O lateral apareceu mais uma vez pela esquerda a apoiar o ataque e aproveitou um ressalto para rematar forte e marcar.

Depois do golo a tarefa do Porto tornou-se mais fácil e o segundo foi uma questão de tempo. Depois de um grande passe de Francisco Ramos, André Silva isolado só tem de finalizar.

A equipa estava no seu auge dentro do jogo, criava oportunidades e o Vitória não passava do meio campo. Foi por isso uma surpresa a substituição feita por Luis Castro ao retirar Pité para a entrada do central Siemman. Em vez de cavalgar a onda, Luis Castro preferiu arrumar as malas e perder uma oportunidade de fazer crescer a equipa.

O Porto com esta substituição perde fulgor e volta a dar cartuchos ao Vitória. A decisão de Luis Castro é ainda mais inexplicável quando aos
80 minutos tira Francisco Ramos e coloca Pavlovski, voltando ao esquema que tinha desmontado 10 minutos antes. Não teria sido mais útil trocar Pité por Pavlovski? Fica a questão.

Pavlovski esse entra e espalha toda a sua classe, adensando o mistério das suas longas ausências. Assiste mesmo André Silva para o terceiro golo dos dragões. É caso para dizer: O estranho caso de Pavlovski. Já tive oportunidade de referir o estranho que é um jogador desta qualidade andar perdido entre a bancada e o banco. Um jogador que encantou no europeu de sub 19 e que sempre que entra neste Porto B se destaca.

Se a equipa B não serve para potenciar um talento como o de Pavlovski não tenho dúvidas que o melhor é não haver equipa B.

Voltando ao jogo, este acaba com a vitória portista que acaba por se justificar pela segunda parte.
  

Análise individual:

Ricardo: Uma excelente exibição. A negar 2 golos ao Vitória, muito seguro e a jogar bem com os pés.

Victor Garcia: Continua uma sombra do Victor que conhecemos. No entanto, não comprometeu.

Lichnovsky: Foi o central mais seguro. Podia mesmo ter marcado na 1ª parte.

Diego Carlos: Esteve nervoso e cometeu mesmo um erro grave ao inventar numa saída de bola. Saiu lesionado.

Rafa: Melhor em campo. Foi incansável num vai vem constante para poder apoiar o ataque. Marcou o primeiro golo depois de já ter ameaçado.

Tomás: Algumas dificuldades na 1ª parte para travar as corridas de
Isaac. Quando baixou para central, mostrou grande maturidade.

Francisco Ramos: Algo irregular na 1ª parte, melhorou na 2ª. Grande passe no 1º golo do Porto.

Pité: Pareceu algo pesado, mas com alguns bons pormenores.

Ivo: Muito individualista. Tem uma capacidade técnica acima da média, mas não se pode esquecer que não joga sozinho.

Fred: Algo desastrado. Muitos cruzamentos falhados.

André Silva: Complicou na 1ª parte, melhorou na segunda e acaba por bisar.


Leandro: Entrou bem no jogo e fez a posição sem percalços.

Siemman: Não teve trabalho. Não comprometeu.

Pavlovski: Classe pura. Bastou 1 minuto para ver isso.



Por: Prodígio
Enviar um comentário
>