quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

30 anos depois…

#Pedroto #Mestre #FCPorto #Joker

    As voltas qu’o mundo dá
Em três décadas, apenas…
Sejam grandes, pequenas…
Desse mundo já não há!

Tudo muda, evolui
Em pequenos pormenores
De cujos percursores
A ideia já nos flui!

E o mundo transparece
Na mudança quase súbita!
Que nos ressalt’a dúvida
Se tudo isto acontece!?

Ainda me sobr’a memória
Do tempo em que chorava…
Era pequeno, e sonhava
C’uma singela vitória!?

O meu clube, tão pequeno…
Desse bairro tão distante!
E eu pequeno “emigrante”
Era em Lisboa, “Tchecheno”!

Era de tal forma, insólito
Ser-se adepto desse clube
A qu’esse tempo s’alude…
Que me viam no neolítico!

Pois eterno perdedor
Nesse meu clube tripeiro…
Qu’eu Ernesto Ribeiro
Era tido por sonhador….

Como ser-se adepto
Do azul-e-branco
Em Lisboa? Espanto!!
E qu’estranho repto….

Nesse gosto exótico
Por “causas perdidas”
E sonhá-las vivas
No meu jogo “neurótico”!

E assim crescer
Nessa forte esperança
Tend’a confiança
D’assim as viver!

E mudar o mundo
Nessa nova ciência
Em qu’a consciência
Está no micro-segundo!?

E o mundo mudou…
Dum momento pr’o outro!
E o Mestre Pedroto
O que lá fez, sonhou!

Um novo paradigma
Neste país parado…
Qu’estava acostumado
A um campeão, por sina!

Do tempo d’outra Senhora
Qu’era mais compassado…
E o campeão reencontrado
A tod’a hora!

Um mundo mais previsível
C’as águas por si, paradas…
E as massas manipuladas
No irreversível!…

Um mundo mais condizente
Ao tempo qu’é controlado.
Fazendo disso um primado
O Homem ausente…

Mas nada contém o sonho
A capacidade de pensar!
E o tempo começ’a contar
Porque eu disponho!

E outro mundo se criou
No espaço da Liberdade
Qu’o tempo, em velocidade
Já duplicou!

E o tempo vai dispondo
A história que s’escreve:
Ao sol, à chuva, à neve…
O mundo é redondo!


Por: Joker
Enviar um comentário
>