domingo, 18 de janeiro de 2015

Segunda Liga, 23.ª jornada: FC PORTO B 3-1 MARÍTIMO B




Sem nenhum jogador do plantel A na convocatória, o FC Porto B, este domingo, conseguiu bater a formação B do Marítimo.

Kayembe como opção para uma das alas do ataque e com Rafa castigado, foi o David Bruno o encarregado da posição de DE. Com Víctor García sendo o seu homólogo e com o alemão, Siemann e chileno, Lichnovsky a completarem o quarteto defensivo.

Pavlovski volta a ser o titular do vértice mais ofensivo do triângulo do meio campo, Chicão foi o 8 de serviço e Leandro com a função de ser o segurança do jogo portista.

Na frente de ataque, como já foi referido, Kayembe numa ala, Fréd noutra e o Gonçalo no centro do ataque.

Foi com esta equipa que começamos um jogo que se viria a revelar, no mínimo, confuso.

Até aos 20minutos, não houve muito a assinalar, ficam apenas 2 apontamentos do Ponta de Lança que o Gonçalo pode vir um dia a ser. Todavia, dos 25 minutos em diante, temos algumas situações dignas de circo. Lichnovsky consegue ser expulso com 2 faltas seguidas em que, nem uma falta conseguimos saber se o amarelo é justificado. Se a primeira falta tem a desculpa de o adversário estar de costas, a segunda, não se entende como é que um encosto, ou lá o que foi, dá um amarelo e subsequente penalty, sim, porque o lance ocorreu na nossa área. Portanto, Olim é chamado a converter e não falhou essa oportunidade.

O número de circo, pelo árbitro, ainda não tinha findado. O mesmo Olim que converteu a penalidade dos insulares, acaba por ser expulso, com um vermelho directo, quando pelo que se pôde observar, nem falta cometeu. Em menos de 10 minutos, Tiago Antunes, o árbitro, consegue matar um jogo com péssimas decisões.

À frente do número de circo, temos um golo do FC Porto. Pavlovski é chamado a bater o livre e não falha. Marca um golaço nesta oportunidade oferecida, mostrando mais um recurso de excelente técnica no seu arsenal. Até ao intervalo, o jogo disputou-se sem grandes ocasiões, ficando o resultado 1-1.

A segunda parte começou algo morna, só Fréd é que tentava espevitar aquilo. Numa tarde inspirada, foi ele o nosso desbloqueador. Aos 70 minutos recebe a bola no flanco esquerdo, flete para o seu lado direito e chuta para fora do alcance do guarda redes adversário. Sem complicar muito, aproveitou o espaço dado e fez da sua sorte o 2-1 para a sua formação. 5 minutos depois do seu golo, desta vez na ala direita, recebe a bola, com um drible deixa o lateral para trás, Diney, na dobra, comete grande penalidade sobre o extremo portista. Gonçalo foi chamado a converter e guarda redes para um lado, bola para o outro, como mandam as regras. Estava feito o 3-1 e o resultado final.

Ainda restou tempo para o Fréd continuar nas suas nuvens, para o André, que entrou pelo apagado Kayembe, tentar a sua sorte e para o Leandro permitir uma defesa apertada ao guardião insular, mas o resultado permaneceu inalterado.

Assim, o FC Porto somou mais 3 pontos e está agora em 8º com 35 pontos. 

Análise Individual

Gudiño - A única bola que passou por ele foi resultada de um penalty. Um penalty de um circo. Com apenas 18 anos, está a mostrar porque foi o FC Porto buscá-lo ao América. É deste tipo de talento que a B deve ter, talento que um dia pode chegar à A com estrondo e deixar a sua marca. Teve uma defesa, na 2ª parte, genial. Mostrou toda a sua compostura e reação face ao remate. Atrevo-me a dizer que fê-lo parecer fácil. Tem 18 anos, mostra um futuro bem delineado. Não pode estar aqui apenas emprestado.

Víctor García - Um pouco sonolento no ataque, mas na defesa não comprometeu. Está um pouco abaixo do que já vimos, mas chega lá. Precisa de competitividade, mais competitividade que esta B lhe pode dar.

Lichnovsky - Não tem muita culpa na sua expulsão, mas precisa de ganhar nervo. Penso já ser a 2ª vez que é expulso e nem reclama. No jogo, também se nota essa lacuna. É um jogador que precisa de ter mais consciência nas suas acções.

Siemann - Andou muito perdido e nada esclarecido. Quando tinha passe seguro, aliviava para o inimigo, quando não tinha passes seguros, tentava-os na mesma. Para quem vem da escola alemã e da formação do Arsenal, precisa de mostrar mais clarividência no seu futebol.

David Bruno - Foi competente, é aquilo que posso dizer do David. Não esticou muito o jogo, mas também não o afunilou e com a sua tendência para o lado direito, ainda compensou o Leandro algumas vezes.

Leandro - Esteve quase sempre perdido e mal posicionado. Não é um trinco, mas só o posso avaliar pelo jogo. Não sendo um trinco, foi o seu papel, que desempenhou pobremente.

Francisco Ramos - Cresce de jogo para jogo. É a opinião que tenho dele. Não é dos mais talentosos, mas é daqueles que faz o seu trabalho, não precisa de ajudas, nem de notas artísticas. Ajudou o Leandro vezes sem conta, empurrou o ataque outras tantas e consegue-o fazer, quase, na sombra. É um 8 clássico. O que defende, o que ataca, o que temporiza e o que espalha jogo. Um dos melhores, hoje.

Pavlovski - O talento está cá. Apenas temos mais um dado, também sabe marcar livres. Fisicamente, ainda está a crescer, ficar no banco, ou bancado, não tem ajudado, mas a verdade é que já é a 2ª titularidade seguida. Tem que melhorar defensivamente e tirar os pés de lã, se o fizer, é outro emprestado que nos faria bem em mantê-lo.

Kayembe - Jogo muito apagado. Nem a defender, nem a atacar. Se calhar, cansado do último jogo com o Chelsea, mas foi um jogador a menos e isso, é inegável.

Fréd - O melhor, hoje. Não o acho um poço de talento, mas hoje, mostrou um poço de vontade. E, na vontade, fez 1 golo e sofreu a penalidade que nos deu a segurança do resultado. Foi a todas a bolas, disputou todos os lados. Mostrou toda a vontade que tinha. Alguns lances, até os desperdiçou, mas a sua vontade deu energia à sua equipa. Também são precisos jogadores destes, por vezes.

Gonçalo - Outro poço de muito trabalho, vontade e luta. Cada vez mais, evolui a jogar de costas para o ataque, a segurar a bola, a soltá-la para as alas, a lançar um ataque organizado. Lutou muito, só conseguiu facturar de penalty, mas isso é que fica para as estatísticas, mas para o jogo jogado, fica um jogo de qualidade a pedir oportunidades no céu de cima. 


Tomás - Entrou para defesa central. Controlou bem o seu espaço, compensou bem o Siemann, não podemos pedir mais.

André Silva - Tem potencia e corpo para combater com os defesas, tem que aprender maneiras de não se distrair demasiado com eles. É um animal, mas precisa de ser mais mortífero, mais frio. Num dos lances em que o conseguiu ser, mandou a bola pouco ao lado.

Roniel - No tempo que teve em campo, pouco jogo passou por si. 

FICHA DE JOGO
FC PORTO B 3-1 MARÍTIMO B
Segunda Liga, 23.ª jornada
18 de Janeiro de 2015
Estádio de Pedroso, em Vila Nova de Gaia

Árbitro: Tiago Antunes (Coimbra)
Ássistentes: João Martins e Marco Silva
Quarto árbitro: Nuno Pereira

FC PORTO B: Raul Gudiño; Víctor García, Igor Lichnovsky, Leander Siemann e David Bruno; Leandro, Francisco Ramos e Pavlovski; Frédéric, Gonçalo Paciência (cap.) e Kayembe
Substituições: Pavlovski por Tomás Podstawski (59m), Kayembe por André Silva (71m) e Gonçalo Paciência por Roniel (85m)
Não utilizados: Kadú, Graça, Pité e Celéstin Djim
Treinador: Luís Castro

MARÍTIMO B: Rui Vieira; Armando, Cristiano (cap.), Bernardo Lopes e Luís Olim; Pana, Diney e Filipe Oliveira; Marcos Barbeiro, Fábio Abreu e Carlos Daniel
Substituições: Filipe Oliveira por Gonçalo (39m), Aldair por Pana (62m) e Carlos Daniel por Ibrahim (72m)
Não utilizados: Wellington, Touré, Kukula e Ricardo Fernandes
Treinador: Filipe Neto

Ao intervalo: 1-1
Marcadores: Luís Olim (28m, pen.), Pavlovski (37m), Frédéric (51m) e Gonçalo Paciência (77m, pen.)
Disciplina: cartão amarelo a Pana (16m), Igor Lichnovsky (25m e 26m), Leandro (56m) Gonçalo Paciência (59m), Diney (76m), Francisco Ramos (87m) e Frédéric (90m+2); cartão vermelho, por acumulação de amarelos, a Igor Lichnovsky (26m); cartão vermelho directo a Luís Olim (35m)

Por: Tozé
Enviar um comentário
>