sábado, 6 de dezembro de 2014

FC Porto vs Académica: Missão "Ensinar a tabuada aos estudantes"!

#Académica #FCPorto


Sábado há jogo em Coimbra! Depois de uma vitória expressiva diante do Rio Ave, segue-se a Académica, equipa orientada por Paulo Sérgio, que ocupa nesta altura a 16ª posição, registando uma vitória, cinco empates e cinco derrotas.

Pelo que se tem observado nestas primeiras 11 jornadas, a Académica é uma equipa que apresenta algumas lacunas na composição do seu plantel nos mais variados sectores, fazendo com que nem sempre apresentem qualidade a nível exibicional seja nos jogos em casa como fora e o facto de só terem vencido por uma vez no campeonato reflecte o actual momento do colectivo. A Académica vem de dois desaires consecutivos, saindo derrotado em casa do Rio Ave por 3-0, voltando a claudicar na ronda seguinte, cedendo em casa perante o Benfica por duas bolas a zero.


No jogo realizado frente ao Benfica, Paulo Sérgio fez estrear na equipa inicial o guarda-redes Lee e o lateral direito Oualembo. Duas estreias que não correram pelo melhor – no caso do guardião brasileiro está directamente ligado ao segundo golo do conjunto encarnado – e como tal, não será de estranhar caso o treinador da briosa volte às primeiras opções para essas posições, neste caso os regressos de Cristiano para a baliza e para o lado direito da defesa, o Aderlan.

No centro da defesa, Aníbal Capela e Iago face há pouca concorrência (João Real está lesionado) em condições normais mantém-se à frente do guarda-redes, jogando sobre a esquerda o Ricardo Nascimento – se bem que está em dúvida devido a lesão – ele que é central de origem, mas na Académica vem actuando como lateral. Caso o jogador brasileiro não recupere, Paulo Sérgio será obrigado a fazer uma adaptação, uma vez que o veterano Lino (já passou igualmente pelo FC Porto) rescindiu esta semana com o clube.

Sobre a zona intermédia, Fernando Alexandre e Obiora deverão estar no centro do terreno, dois atletas focados sobretudo no processo defensivo, procurando estar sempre bem posicionados, privilegiando um jogo mais musculado do que propriamente técnico. Já o Marcos Paulo, apesar de também possuir algumas dessas características no seu jogo, tem outra capacidade no transporte de bola, conseguindo galgar metros com outro tipo de facilidade e além do mais será um jogador a ter em conta nos esquemas tácticos ofensivos da Académica.

O facto de apresentar um trio com esse tipo de propósito, vem prejudicar o rendimento do Rui Pedro, ele que tem sido uma das figuras da equipa nesta Liga. O jogador formado no FC Porto, pode actuar em qualquer posição do ataque, no entanto, é na zona central onde se destaca e tira maior dividendos no seu rendimento.

Contudo, numa fase inicial, é colocado sobre uma das alas (com tendência para movimentos interiores) e caso o resultado não seja de todo favorável à equipa, fixa-se no meio atrás do ponta de lança, que neste desafio deverá manter Rafael Lopes como elemento mais fixo no ataque, ainda para mais quando o Schumacher está em dúvida para este jogo.

Quem também está em dúvida devido a problemas físicos é o extremo Ivanildo. Caso não recupere a tempo, o Magique deverá ser o seu substituto.


Pelo facto da equipa não estar no bom momento e necessitar urgentemente de pontuar, é de acreditar que a Académica apresente uma postura de maior contensão, linhas juntas uma das outras de forma a não proporcionar desequilíbrios ao FC Porto e sempre que possível apostar em situações de contra-ataque no momento da recuperação em zonas favoráveis do terreno. As alternativas ao onze tipo não são muitas e preferencialmente quando o técnico Paulo Sérgio mexe na estrutura, é colocado um jogador mais posicional no ataque (Schumacher) e liberta o Rui Pedro para o meio, posição essa que lhe é mais favorável.


Atendendo ao que aí vem, não será de todo surpreendente caso Julen Lopetegui opte por resguardar Martins Indi e Casemiro (excluído da convocatória por possível lesão) – o médio defensivo Campaña foi convocado – dois jogadores que já levam quatro amarelos cada na Liga, como tal, mais uma admoestação equivale a um jogo de suspensão.

Exceptuando esses dois casos (Maicon e Rúben Neves poderão entrar na equipa inicial), não será de prever mexidas comparativamente ao onze que entrou no desafio frente ao Rio Ave. Rotatividade, que certamente deverá ser implementada a meio da semana quando a equipa receber o Shakhtar para a última jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões. 

Por: Dragão Orgulhoso
Enviar um comentário
>