sábado, 13 de dezembro de 2014

13ª Jornada: FC Porto - benfica (Missão depenar a águia).



Domingo todas as atenções estarão viradas para o Estádio do Dragão, com o FC Porto a receber o Benfica, num encontro de grandes emoções (discussão no decorrer e depois do jogo aqui)

Decorridas 12 jornadas, a equipa orientada por Jorge Jesus ocupa a primeira posição do campeonato, contabilizando 10 vitórias, um empate e uma derrota, contando com o melhor ataque da competição até ao momento (28 golos), enquanto o FC Porto apresenta-se como a defesa menos batida do campeonato e mesmo em termos de golos marcados, está apenas a um golo dos encarnados.

Em termos pontuais, FC Porto e Benfica estão separados por três pontos, como tal, um triunfo do FC Porto permite aos comandados de Julen Lopetegui igualar o adversário no topo do campeonato. O Benfica vem de um triunfo na Liga por 3-0 diante do Belenenses, numa vitória que começou a ser construída somente a partir dos 64 minutos através do brasileiro Lima, cabendo os restantes tentos aos argentinos Enzo e Salvio.

Tal como o FC Porto, o Benfica esteve envolvido a meio da semana em deveres europeus e em virtude da sua situação estar resolvida, o técnico do Benfica optou igualmente por rodar praticamente todo o plantel, dando oportunidade a jogadores menos utilizados, para assim apresentar-se na máxima força nesta deslocação ao Dragão.

O Benfica dispensa qualquer apresentação na sua forma de jogar, apresentando dinâmicas com bola muito forte, colocando sempre inúmeros jogadores em zonas próximas de finalização, face ao posicionamento colectivo da equipa, fazendo com que grande parte dos jogos do campeonato consiga exercer um domínio forte sobre os seus adversários. No entanto, como em tudo, existem lacunas a serem devidamente exploradas pela nossa equipa e perante equipas da qualidade do FC Porto, naturalmente o Benfica terá outro rigor na profundidade que é colocada a nível ofensivo, já que proporcionando desequilíbrios na sua organização defensiva, só facilitaria a nossa equipa, que é igualmente competente nas saídas para o ataque.

Fiel ao seu 4-4-2, Jorge Jesus não deverá proceder a muitas alterações no onze (isto comparado com a equipa que iniciou o desafio com o Belenenses), existindo somente uma dúvida na frente de ataque. No jogo com o Belenenses optou pela inclusão do Talisca nas costas do Jonas, contudo, após a entrada de Lima a equipa melhorou o seu processo ofensivo e apesar de estar longe da sua melhor forma, não seria de todo estranhar uma aposta inicial na dupla Lima e Jonas, se bem que o Talisca será sempre um candidato real ao onze e atendendo às escolhas do seu treinador, o normal será manter um lugar na equipa inicial, partilhando depois o ataque com o Lima ou o Jonas.

Nas restantes posições nada de novo, incluindo a utilização do André Almeida no lado esquerdo da defesa, já que o lateral Eliseu continua a recuperar de lesão.

Mais do que nunca é imperial vencer, para desta feita regressar à liderança do campeonato e marcar uma posição de domínio em relação ao maior opositor que o FC Porto tem pela frente na Liga. Para este desafio, o médio Rúben Neves estará ausente devido a lesão – chegou-se a temer uma paragem prolongada – entrando Reyes, passando a ser alternativa ao brasileiro Casemiro, que deverá recuperar a tempo da lesão contraída recentemente.

Comparativamente ao onze lançado em Coimbra, além da saída do Rúben Neves por troca com Casemiro, a única dúvida prende-se no eixo da defesa, sobre quem irá formar dupla com o intocável Martins Indi. Atendendo que o espanhol Marcano ultimamente vem igualmente tendo maiores oportunidades não é de todo descartar essa opção, no entanto, Maicon deverá estar em vantagem na luta por um lugar na equipa inicial.

Lista de 20 convocados: Fabiano e Andrés Fernández (g.r.); Danilo, Martins Indi, Maicon, Marcano, Casemiro, Quaresma, Brahimi, Jackson Martínez, Quintero, Tello, Reyes, Evandro, Herrera, Adrián López, Ricardo Pereira, Alex Sandro, Óliver Torres e Aboubakar.


A palavra do Mister:

"Foi uma semana normal, com um jogo de Champions. Depois dessa partida, trabalhámos com a intensidade e paixão que um jogo como este merecem. Já me disseram o que representa esta partida; é um clássico, um dos grandes jogos do futebol mundial, vividos sempre com muita paixão e emoção"

"É sempre importante vencer e conquistar os três pontos. É isso que procuramos em todos os jogos, reconhecendo que este é mais importante pela paixão e intensidade. Estamos conscientes da importância deste jogo"


Acima de tudo…vencer!!!

Por: Dragão Orgulhoso
Enviar um comentário
>