sábado, 31 de maio de 2014

Equipa B - Balanço do ano, destaques e um olhar para o futuro

#FCPorto #FCPortoB #SegundaLiga 







Depois de uma temporada muito abaixo das expectativas com Rui Gomes no papel principal, Luis Castro assumiu este ano o comando da equipa B. 







As melhorias foram evidentes na classificação (de um 14º lugar para um 2º), mas também na qualidade do jogo colectivo e na evolução dos valores individuais da equipa.

No entanto, o caminho não foi só rosas e a equipa passou por 3 fases distintas durante a época:

 - Uma primeira fase em que foi um porto para vários jogadores da equipa principal. Herrera, Carlos Eduardo, Reys e Ricardo fizeram aparições frequentes. Ghilas, Quintero e Kelvin jogaram pontualmente. Toda esta rotação e obrigação de titularidade por parte destes jogadores dificultou o trabalho de Luis Castro em formar um conjunto coeso na equipa secundária. No entanto, vários destes jogadores aparecem mais tarde na equipa principal com outro ritmo e outra confiança.

- Uma segunda fase em que Luis Castro começou por fim a conseguir alguma estabilidade na equipa. No entanto, com um meio campo demasiado operário e um ataque sem dinâmica e criatividade. Mikel, Pedro Moreira e Leandro (ou Tomás) formavam um meio campo de betão. A ligação ao ataque não existia e Kleber era um homem só na frente, com Tozé demasiado marcado na ala.

- Uma terceira fase, de longe a melhor, quando a equipa consegue encaixar as características dos seus jogadores numa táctica tão velha como eficaz: o seu 4-3-3, que muitas vezes se transformou num 4-2-1-3. Mikel afirmou-se como o Polvo da segunda liga, Pedro Moreira como escudeiro fiel fundamental nos equilíbrios da equipa e Tozé finalmente conseguiu a liberdade para servir dois extremos bem abertos: Kayembe e Ivo. A mudança de ponta de lança também foi essencial visto que Gonçalo Paciência acrescentou mobilidade e dinâmica.

A chegada de Luis Ghilherme foi pacífica até porque a "tenda" já estava montada.

Colectivamente a história conta-se assim, mas individualmente pudemos ver confirmações e promessas para mais tarde confirmar:

Confirmações:

- Tozé, a partir da ala ou no meio, foi sempre um quebra cabeças para as defesas adversárias. Acabou o campeonato com 21 golos e um número respeitável de assistências. Alia um estilo guerreiro a uma capacidade técnica acima da média.

- Pedro Moreira, um relógio suiço. Essencial nos equilíbrios da equipa. Não tem medo de sujar o equipamento, mas é acima de tudo um jogador de classe.

- Mikel, que evolução! Começou intermitente como a equipa, recuou para central e essa mudança transformou-o para melhor. Quando voltou à sua posição parecia outro. Conseguiu ser menos agressivo e mais eficaz. Um mini-polvo.

- Gonçalo Paciência, chegou, viu e venceu. A sua qualidade é de tal forma evidente que não é possível negar. Visão de jogo fantástica, técnica fantástica e potência. Melhorou na finalização, mas ainda pode melhorar mais nesse capítulo.

- Victor Garcia, começou a época de forma fulgurante, sendo na primeira metade da época um dos melhores da equipa. Sempre num vai-vem constante. Na segunda metade baixou os indíces físicos, mas sem nunca comprometer a equipa. É acima de tudo um jogador muito competitivo. 

Promessas:

- Ivo, começou cedo a espreitar e acabou mesmo por se afirmar como titular na equipa. É um jogador tecnicamente muito dotado, com muita finta. Sendo ainda junior, conseguiu ser uma das chaves da época.

- Kayembe, mais um jogador que subiu a pulso. Começou como suplente muito pouco utilizado, mas rapidamente se tornou indiscutível. Alia a força e a potência a uma força de vontade que contagia quem o vê jogar. Precisa de melhorar as situações de definição.

- Rafa, entrou na equipa com a lesão de Quino e cumpriu, mostrando argumentos ao nível técnico. Saiu da equipa quando Quino recuperou. Porquê?

- Kadu, é sempre complicado avaliar um guarda redes tão novo. Kadu teve pontos altos e baixos na época, mas as suas características são raras. Muito ágil, quase elástico. No seu 1º ano de profissional conseguiu fazer uma época positiva. Terá de melhorar as saídas da baliza.

Estas foram as figuras de proa na época, embora jogadores como Leandro e Quinones tenham tido um papel importante em termos de aparições no onze. Zé António continuou a ser um esteio de bons costumes. Fred voltou, após um calvário de lesões, a justificar a aposta do clube e Tiago Ferreira melhorou no decorrer da época.

Futuro da equipa B:

Por esta altura são já conhecidas algumas mudanças para a próxima época. Tozé, Mikel, Kayembe, Gonçalo e Victor Garcia devem fazer a pré temporada com a equipa principal. Depois veremos se ficam na equipa principal ou se continuam a evoluir noutras paragens.

Pedro Moreira também deve sair, com muita pena minha não para a equipa principal.

Kleber, Quinones, Stefanovic e Tiago Ferreira acabam um ciclo na B e também não deverão ficar. Bruno Silva e Caio, foram fantasmas na época da B e seria surpreendente se continuassem.

No próximo ano, é expectável que jogadores como Ivo, Rafa, Fred, Leandro, Pavlovski e André Silva procurem afirmar-se de vez. Mikel, Victor Garcia e Kayembe poderão ser opções até pela idade jovem.

Em termos de reforços, dá-se como certo o central chileno Lichnovsky e o médio criativo Pité. A seu tempo terão oportunidade de mostrar o seu valor. Da equipa junior apenas os médios Graça e Francisco Ramos e o avançado Jonathan estão confirmados na equipa B.

Sejam muitas ou poucas as mexidas, Luis Castro regressa para comandar mais uma vez o barco.

Da minha parte desejo apenas que a equipa B possa ser melhor aproveitada no decorrer da época, de forma a podermos ter um plantel principal mais curto, mas com mais qualidade. Apesar da época de sucesso da equipa B, o sucesso real desta equipa está na colocação e aproveitamento destes jogadores na equipa principal.

E aí o trabalho não pareceu ser aproveitado da melhor forma. 


Por: Prodígio
Enviar um comentário
>