quarta-feira, 13 de junho de 2012

OUTROS TEMPOS, OUTRAS VITÓRIAS, OUTROS HERÓIS: Quem foram os atletas (68!) jogadores que contribuíram para o PENTA? Os Médios

SÉRGIO CONCEIÇÃO

























Tempo útil: 4541’ - Jogos: 55 - Épocas: 96/97 e 97/98 - Golos: 8
A estrela mais cintilante do TETRA. O FC Porto jogou mais ou menos consoante o trabalho do internacional português, um extremo fantástico, com piques notáveis, remates certeiros e cruzamentos a régua e esquadro. Despertou a cobiça dos milionários do “Cálcio” e mudou-se para a Lázio no final da época transacta (97/98), numa transferência que, na altura, foi recorde nacional em termos financeiros.


ANDRÉ

















Tempo útil: 143’ - Jogos: 5 - Épocas: 94/95 - Golos: 0
Durante onze épocas deixou litros de suor espalhados pelos campos participando, de forma activa, em todas as grandes vitórias internacionais da equipa. Foi dos mais dinâmicos “carregadores de piano”que alguma vez o futebol português criou. Um trabalhador incansável, capaz de todos os sacrifícios. Ligado ao Tetra como jogador – fez parte da equipa de 1994/95, jogando cinco vezes – e como adjunto de António Oliveira nas campanhas de 1996/97 e 1997/98 e de Fernando Santos em 1998/99



SEMEDO
























Tempo útil: 138’ - Jogos: 3 - Épocas: 94/95 e 95/96 - Golos: 0
Ficará sempre ligado à história do FC Porto, já que durante doze épocas esteve ao serviço do futebol sénior Portista. Mais de 200 jogos no campeonato português e uma forma muito especial de jogar de um futebolista tecnicamente acima da média. Integrou o plantel nas épocas de Bobby Robson, mas só jogou 180 minutos.


JAIME MAGALHÃES

























Tempo útil: 22’ - Jogos: 1 - Épocas: 94/95 - Golos: 0
Na altura do PENTA, era o treinador da equipa de infantis do FC Porto, tendo dedicado toda a sua vida ao Clube. Quinze épocas como profissional, esteve na final de Basileia e ajudou a ganhar a Taça dos Campeões Europeus, a Taça Intercontinental e a Supertaça Europeia. Na época de 1994/95 jogou 22 minutos, tempo que o liga ao PENTA.


KULKOV
























Tempo útil: 2117’ - Jogos: 24 - Épocas: 94/95 - Golos: 2
Foi um trinco seguro e com passagem muito positiva pelo FC Porto na época de 1994/95, participando em 22 jogos e apontando 2 golos. Formou com Emerson, na altura, uma dupla de… betão.



BARROSO
























Tempo útil: 2785’ - Jogos: 35 - Épocas: 96/97 e 97/98 - Golos: 5
Foi boa a época de estreia nas Antas, em 1996/97, quase se eclipsando na segunda, onde jogou apenas oito vezes ( no campeonato anterior tinha feito 26 jogos), porque Paulinho esteve sempre em acção e depois chegaram Chippo e Doriva. Barroso não conseguiu aguentar a concorrência, acabando por ser preterido e, no final da temporada, dispensado à Académica.


COSTA

Tempo útil: 353’ - Jogos: 6 - Épocas: 96/97 e 97/98 - Golos: 1
Dois anos a trabalhar para o TRI e para o TETRA mas sempre com êxito reduzido. A sua passagem pelo FC Porto coincidiu com o reinado de António Oliveira, mas nem por isso o técnico lhe deu grandes hipóteses para se impor. Daí a saída, tentando no V. Guimarães o que não conseguira nas Antas: ser titular.


Por: Nirutam
Enviar um comentário
>