quinta-feira, 28 de junho de 2012

FUTEBOL: Sebá







A torcida do Cruzeiro já pede ao técnico Adilson Batista para olhar com carinho para um atacante talentoso, driblador e veloz da equipe de juniores.  O jogador em questão é Sebá, um prodigioso baiano que chegou ao clube em 2008, depois de passagens por Vitória-BA, Bahia e Associação Bancários da Bahia (ABB).

Canhoto, Sebá tem preferência por atuar pelos flancos do campo, especialmente no lado direito do ataque, onde tem a facilidade de cortar para o meio e arrematar para o gol. Apesar de ser, geralmente, o atacante de movimentação do time, Sebá tem um bom faro de gols.

Contudo, apesar do potencial demonstrado nas categorias de base, Sebá terá que esperar sua chance pacientemente. No profissional, o Cruzeiro conta com a excelente fase de sua dupla de ataque, formada por Kleber e Thiago Ribeiro, além de Wellington Paulista, Guerrón e o jovem Eliandro, que estão na sua frente.






Apesar disso, os passos de Sebá são acompanhados atentamente por Adilson Batista. Certa vez, ele disse que gosta muito do estilo do prata da casa e afirmou com todas as letras que “esse menino vai dar muito leite”.

Se confirmada a profecia do atual comandante celeste, a diretoria celeste terá mais uma jóia para negociar por um alto valor com o futebol europeu.

Início na lateral-esquerda

Sebá começou a jogar nas categorias de base do Vitória-BA, uma das mais prolíferas do país, com apenas nove anos. Aproveitando da boa técnica e da perna esquerda. Sebá iniciou sua trajetória no futebol na lateral-esquerda. No time rubro-negro baiano ele ficou por dois anos e logo se transferiu para o arquirrival Bahia, onde permaneceu por três anos, mas saiu por problemas de contrato.

Com ajuda de empresários que já vislumbram o talento de Sebá, o jogador foi levado a ABB, clube tradicional na base baiana. Nesta época, Sebá mudou de posição e passou a atuar mais próximo do gol, mais precisamente de meia-atacante.

Destaque no Campeonato baiano infantil de 2007 pela ABB com 11 gols na competição, Sebá ajudou o time a alcançar a terceira colocação do certame, um feito notável. Com a boa campanha, o jogador empresariado pela empresa Bahia Soccer foi levado para um teste no Cruzeiro.







Ao chegar ao Cruzeiro, o técnico Alexandre Grasselli percebeu as qualidades do jogador e passou a escalá-lo no ataque. Assim, Sebá viajou para a Suécia e ajudou o time a conquistar com a Gothia Cup, um torneio tradicional que reúne equipes de jovens de todo o mundo.

Nessa oportunidade, o time estrelado sagrou-se campeão da Gothia Cup e o grande destaque do time mineiro foi o armador Dudu, recentemente emprestado ao Coritiba, para a disputa do Campeonato Brasileiro da Série B.





Mas, apesar das boas referências, o baiano teve que mostrar o seu valor em outra equipe para convencer a cúpula celeste e foi emprestado para o Itaúna, time do interior mineiro que possuía convênio com a Raposa.

Atuando com vários jogadores do Cruzeiro, que foram emprestados ao Itaúna para ganhar experiência, Sebá formou uma dupla de ataque espetacular com Maranhão, atualmente reserva na equipe júnior celeste. Com os dois embalando a linha de frente, o time do interior conseguiu o vice-campeonato, atrás apenas do Cruzeiro.

Destaques do Itaúna na impressionante campanha, Sebá e Maranhão marcaram 21 vezes. Maranhão foi o artilheiro com 12 gols, seguido por Sebá, que balançou as redes adversárias em nove oportunidades.

Após a boa campanha no Itaúna, Sebá e vários de seus companheiros retornaram à Toca da Raposa I e conquistaram o título da Copa Integração e o Campeonato Mineiro. O time sub-17 ainda foi vice-campeão da Gothia Cup e Sebá, novamente, foi um dos destaques da Raposa.







O bom desempenho do time cruzeirense na Suécia fez com que Sebá e o volante Éber passagem por um período de 15 dias de treinamentos no BK Kullavägens. A viagem do jogador à Europa fez com que o Cruzeiro pedisse a liberação da jovem revelação da convocação para a Seleção Brasileira sub-17, que disputou a Copa 2 de julho na Bahia, em julho de 2009.

O sucesso da equipe juvenil do Cruzeiro e os resultados inconstante da equipe sub-20 fez a direção do clube mudar o comando técnico do júnior na fase final do Campeonato Mineiro de 2009. Êugênio Moreira deu lugar a Alexandre Grasselli, que subi Sebá imediatamente de categoria.
   
Com a confiança total de Alexandre Grasselli, Sebá foi titular do time no Campeonato Brasileiro Sub-20, quando o Cruzeiro foi eliminado na primeira fase. Apesar disso, Sebá foi titular durante toda a campanha, enquanto os badalados Fidel, Eliandro e Thiaguinho revezavam ao seu lado.



Copa São Paulo

Mas a grande competição de Sebá, com certeza, foi a Copa São Paulo de 2010. Com a base formada pelo time juvenil e com os reforços do volante Anderson Uchoa e Thiaguinho, o Cruzeiro foi uma das sensações da competição.

O time estrelado foi eliminado nas quartas-de-final pelo São Paulo, que acabaria levando o título, após perder de virada por 2 x 1. Sebá estava suspenso pelo segundo cartão amarelo e assistiu a partida na arquibancada do estádio Municipal Alfredo Chiavegato, em Jaguariúna-SP. O atacante lamenta não ter disputado aquele jogo e acredita que se estivesse em campo o placar seria outro. 

“Acho que poderia ter mudado aquela partida. Eu iria partir para cima dos caras, mas tive que ficar na arquibancada por causa da suspensão”, disse o jogador ao Olheiros.


Ficha técnica:

Nome completo: Sebastião de Freitas Couto

Data de nascimento: 06/06/1992

Local de nascimento: Salvador-BA

Clubes que defendeu: Vitória-BA, Bahia, ABB-BA, Cruzeiro, Nacional de Nova Serrana

(Fonte: www.olheiros.net 2010)








Por: Rabah Madjer
Enviar um comentário
>