sexta-feira, 30 de junho de 2017

Poema dos aflitos


Poema dos aflitos

A resposta da cabeça
Foi escrita pelos tentáculos, 
Qu'o polvo não mede obstáculos 
Mesmo quando tropeça!?

E a cabeça sem juízo
Lê tudo o que se lhe põe na frente,
Porque o polvo, sendo inteligente, 
Não é preciso!

Manda postas de pescada
E faz anúncios com graça,
Mas no polvo a trapaça 
Está acabada!

É impossível dar vazão
A tanto tentáculo d'escrita,
E mesmo na imprensa se dita 
A contrição!

Pois que pífio discurso
Ontem feito p'la cabeça,
Qu'o que dela se conheça,
É cabeça de recluso...

E mesmo sem efectiva
Na prisão da Boa-Hora,
A justiça não demora 
Pr'a tanto escriba!

O Galamba bem qu'escreve
O discurso par'o polvo,
Qu'o trabalho junt'ao povo 
Sempre foi leve...

É d'esquerda, intelectual,
E defend'a corrupção,
Que nisso teve educação 
Social!?

E assim se leu 
O que pensa p'la cabeça doutrem,
Pois qu'ele escreve tão bem 
Como aprendeu!

E o Orelhas já não soletra 
No seu ensaio mensal, 
Pois qu'o discurso é sempre igual, 
Em grande letra!

E o polvo, satisfeito,
Lá fez fé na sua prédica,
E nada disse em tal léxica 
No seu efeito!

Não negou a evidência 
Da existência dos escritos, 
Nem desdisse se são mitos, 
Na sua pura inocência!??

E na falange política 
Teve aplausos de velório, 
E o jantar foi inglório 
Na auto-crítica!?

Só há nisto um suicida 
Que quer matar o jogo,
Porque nisto pod'o polvo
Estar na zona de descida...

E o negócio sem o bicho 
Não tem a mesma dimensão,
E quem vai subsidiar a competição
Sem este nicho?

É a catástrofe nacional 
S'o polvo nisto descer,
Por isso ninguém se quer crer 
Na morte do animal!!

E assim de feito peito, 
Mas ainda com pífia mensagem,
O polvo falou com a coragem 
D'isto estar feito!

É só mandar o correio digital 
C'o aviso de recepção: 
Assim não há competição 
Nacional!!

Apenas campeonato regional,
Qu'o benfica é o clube do po(l)vo!
E o vencedor é do Kosovo
Ou do Transval!

Só há campeonato português 
S'o polvo integrar o lote,
E se descer não há dote,
Nem mais Marquês!!

Está tudo reservado 
Pr'o campeão da segunda Liga,
Qu'o penta também se mitiga 
Ao tetra, em futebol jogado!

Por isso é impensável 
Qu'o polvo desça de divisão,
Senão há uma revolução 
E o país fica ingovernável!

Por isso lá vai o Costa 
No beija-mão ao primeiro
Levar novo plano financeiro 
Por grande aposta!

E nisso levar alento 
Na fé que se faz "justiça",
E a verdade se faz omissa
Deste incumprimento!

O importante 
É aumentar o PIB,
E s'o polvo perde a lide 
Há o recurso governante!!

E assim no próximo ano
Teremos dois primeiros-ministros,
E dois papas Franciscos 
No mesmo ramo!!

E constrói-se uma nova Fátima
Ali junt'a Carnide,
E lava-se c'o novo TIDE
Ali na máquina!

E arranja-se três pastores
Que sejam meninos queridos,
E nisso se vejam favorecidos 
Por facilitadores!

Pode ser o Adão
O de Deus e o menino querido Cabral,
E revela-se qu'em Portugal 
Há outra aparição!!

É a nossa Senhora dos Aflitos 
Que vem trazer paz sobr'a Terra,
E até já absolveu o Guerra 
P'los mails escritos!!

E mesmo aqueles que "não leu"
Por falta de tempo e interesse,
Vai fazer nova catequese 
Ali junto ao céu!

E abre-se o paraíso
Ali junto ao Estádio da Luz,
E até Jesus cai da cruz 
Morto de riso...

E a Bola já faz capa
Juntamente c'o Record, 
E há um Requiem por acorde 
Qu'até Bissau sai no mapa!

Joker
Enviar um comentário
>