quinta-feira, 22 de junho de 2017

Onde pár'a polícia?



Onde pár'a polícia?

Depois do "Apito Dourado"
Vivemos em "legalidade",
E não houve mais clandestinidade 
Em nenhum outro lado...

Não houve mais investigações
Ou escutas selecionadas,
Nem subterrâneas jogadas 
Dos novos "campeões"!

O tetra foi um balsâmico 
Pr'a verdade desportiva,
E a polícia esteve entretida 
Com um outro "Estado Islâmico"!

A conhecida corrupção 
Só se centrava na política,
Ou ainda na vida cívica 
De tanto e tanto ladrão!

Mas o futebol 
Era um oásis de pureza, 
E nunca se teve tanta certeza 
Qu'ele era da verdade um farol!

Com tantos indícios decisórios 
Sempre pr'o mesmo lado,
Não houve um outro "Apito Dourado"
Nem mais motivos acusatórios...

E agora depois do revelado
Nos mails das virgens do benfica, 
Onde pár'a polícia
Neste Estado encarnado?

Será que lá vai o Costa
De novo ali pr'a Tribuna?
Será qu'isso se coaduna 
Com o qu'o povo gosta?

Será qu'a corrupção 
E o tráfico d'influências,
Não gera outras reticências 
À governação?

E onde and'o Ministério Público
E a Super Magistrada?
Não há uma equipa coordenada 
E um processo múltiplo?

Não há meios extraordinários
De buscas e gravações?
Não há outras revelações 
De tantos gastos sectários?

Onde pár'a polícia 
Depois da última revelação?
Não há nisto confusão?
Nem uma prova de perícia?

Acha-se normal 
Qu'os dados privados dum Presidente,
Sejam lidos por esta gente 
Num registo ilegal?

Qu'um Presidente da Assembleia 
Envie esse registo de dados, 
A um dos assalariados 
Desta grande teia?

E agora o que vão dizer 
As virgens ofendidas dos "dados pessoais"?
Dos crimes ciber-espaciais?
Também se vão esquecer?

E o preço da boa fruta?
E as amantes dos ditos árbitros?
E o registo de tais hábitos 
Pr'a s'os usar na recruta?!

Isto não é coação?
Não há nada ilegal?
É todo um processo normal 
Sem réstia de corrupção?

E a descida dessa nota, 
Abrupta com'um aviso?!
O que mais será preciso 
Pr'a se vislumbrar batota?

Onde pár'a polícia?
Seria que que já isto s'arquivou?
Será qu'o Meirim nada disto usou 
Por boa notícia?

Será que vão ter coragem 
Pr'a nisto descer o benfica?
Ou o que da regulamentação s'explica 
É a sua fraca mensagem?

Há condições 
Pr'a s'iniciar nova competição,
Quand'o rasto da corrupção 
Tem novas revelações?

Brilhante,
Esta estratégia de comunicação!
Tod'a semana há uma nova revelação 
Gigante!!

E o poder instalado,
Mesmo que faça que não sabe, 
A cada semana, não lhe cabe 
Um feijão entalado!

Podem fingir
Que não querem saber,
Mas tod'a semana vão ver 
O burac'a abrir!

Isto é incontornável,
E nada será como dantes!
E os árbitros são meros farsantes 
Neste jogo "amigável"!

A APAF
Só insurge contr'o Porto!
E o presidente agora faz-se morto
Em tanta gafe!!

Estão todos de rabo preso
Na sua vida privada,
E na sua ascensão programada 
A peso!

É um esquema tão corrupto
Que ninguém acredita no tetra!
A não ser a horda lerda 
Que nada vê nisto tudo...

E nela pár'a polícia,
Pois que nunca disto ela "soube"...
E por "sorte" alguém lhe trouxe 
Um processo em tal notícia!?

E o que se fará com tal
Nos corredores do poder?
Vai o benfica descer,
Ou pr'o penta dá igual?

Vai um dos "primeiros"
Mandar um mail à Justiça,
Pedir uma nova premissa 
Pr'os batoteiros?

Vai o bom do Adão
Pedir o levantamento da nota,
Pois qu'o "nosso amigo Mota"
Tem bom coração!?

E o "menino querido"
Cabral, 
Vai pedir uma nota igual 
Pr'a um outro seu protegido?

Ou antes vai apelar 
Pr'a qu'o "homem" lhe dê cabo da nota,
Porque ele não é um "Mota"
Pr'a se pontuar?!

Nisto não há "marosca"
Que tenha tons encarnados?
Em tantos mails trocados 
Ninguém s'enrosca?

Quero ver 
Onde pár'a polícia, 
E s'isto ainda dá notícia 
Que não está a acontecer!?

A Bola já lhe dá menção
Depois tanto tempo em autismo, 
Que nem no tempo do fascismo 
Teve tanta contenção...

O país está em negação
Com tanta mafiosa evidência, 
E a celeridade quer-se a ciência 
De tanta adulteração?

O Meirim tem pressa
Pr'a resolver este assunto, 
Mas ele não se quer pronto, 
Pois qu'ainda agora começa...

Creio que mais há a revelar 
N'amostra de 2017,
E o que muito se lhe remete 
Em tal abrangência celular!

E a capa do CM
É reveladora de tal fraco, 
E o qu'eles empolam o facto 
Da insolvência do FJM!?

Como s'isso fosse criminoso,
Alguém entrar em insolvência...
É este o jornal da "inocência"
Do glorioso...

Maior cego 
É aquele que não quer ver, 
E que nisso faz escrever 
Em modo d'emprego...

Há qu'escrever 
O que mand'o chefe!
Qu'o Otávio é o magarefe 
Deste poder!

São os tentáculos 
Do polvo encarnado...
E nada disto é negado,
No resguardo dos cacos!!

E só a polícia 
Não se pronuncia, 
E quem nisto acreditaria 
Se fosse outr'a notícia?!

Joker

Enviar um comentário
>