quinta-feira, 20 de abril de 2017

Polvo à lagareiro!


Polvo à lagareiro!

Em dois anos de "competição"
Um registo de penálti!?
Marcado pelo Ferrari
Num jogo de consagração!!

Contr'o benfica do Minho,
Quanta coincidência!?
E p'lo árbitro de referência 
D'este colinho!?

E nem uma única expulsão
Num campeonato inteiro!?
Qu'isto visto do estrangeiro 
Era caso pr'a reflexão....

Mas aqui em Portugal 
Um árbitro ser mentiroso, 
Ser racista ou "glorioso",
É um caso natural...

Por isso não há instrução,
Nem é sequer lavrado auto, 
E nisto se passeia o "árbitro"
A apitar pront'a expulsão!!

Ou então a apitar por fora 
A fazer de quatro juiz, 
Pr'a insinuar o qu'outro diz 
Como testemunha de "boa-hora"!

E nada se passa no burgo 
Por suspeitas de ilícito,
C'o Ministério tem nisto exercício 
"Licurgo"!

É tant'a "igualdade"
No acesso à justiça, 
Que dela só não sobra preguiça 
D'impunidade...

Há muito que me vejo
A viver noutro país, 
Rasgad'o que seria Portugal na matriz 
Do Tejo!

Proclamar-se a divisão 
Das fonteiras "naturais",
E fazerem-se vários portugais,
Um por cada cantão!

Apenas como experiência 
De soberania,
E ver s'isto lá acontecia 
Com tanta frequência!!

 Os "jornalistas"
Da nossa ditosa cartilha,
A dizerem que não há cabecilha 
Nas propagandas "nacionalistas"!?

E que no registo do correio-electrónico
Não há menção à APAF,
E qu'o pedido é, quante baste, 
"Platónico"!?

Uma horda de "velhinhos",
De famílias carenciadas, 
De criancinhas abandonadas,
E pobrezinhos!?

Ah, quanta beneficiência,
Na concessão do bilhete!
E a bondade do dirigente 
Na sua suficiência...

Não é na qualidade 
De presidente d'APAF,
Qu'o benfica lhes dá o RED PASS
Em gratuitidade!!?

É porque, miseráveis,
Só têm um campo de futebol, 
E todo um imenso rol
De bens imóveis...

Ah, coitadinhos,
Mas é uma associação!!
E só queriam uma promoção 
Par'os velhinhos...

O dito "encartilhado"
Que se tem por jornalista, 
Lá deu mais um golpe-de-vista 
Encarnado...

Que não foi a qualidade de presidente
Da APAF,
Que lhe deu o passe 
Imprevidente!??...

E isso é indesmentível 
Até par'a justiça,
Que diz qu'isto não interessa 
Por não facto não punível!?

Pois qu'o tráfico d'influências 
Não é crime, 
E quem assim o define 
Acusa em audiências!?

Com'o nosso célebre Meirim,
O mestre do Direito desportivo, 
Que tid'o Porto como "arguído"
Já diz que sim!?

Que sim, há punição
Por s'encostar a cabeça, 
Sem que ninguém esqueça
O Luisão!!?

E na proverbial decisão,
O acórdão de justiça
Faz a maior premissa
Na tentativa d'agressão!?

Sem que nad'o sustente
Senão a palavra do racista,
Ving'a a decisão do "jurista"
Previdente...

A "menos" de quatro jornadas
Roubados a torto e a direito, 
E vem do Conselho o Direito
Às expulsões encomendadas....

Pensam que por irem em primeiro 
Não vemos o filme todo?
Esta é a dimensão do polvo 
À lagareiro!!!

Joker

Enviar um comentário
>