quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Prenda de Natal

  
Chegou o Natal;
Vai nascer Jesus!
E ao mundo a luz
Vai chegar no tal…

Vem a sabedoria
Do saber divino;
Mas não é do menino
Que vem a mestria!

É do treinador
Qu’ainda vai à frente…
Que atrás vem gente
Num saber pior…

Mas pode vencer
Essa maior mente!
E s’assim de repente
Isso acontecer?

Pod’o salvador,
Esse génio do jogo,
Lá perder o fôlego
Como ontem, Senhor!?

Pois gast’as pilhas
Só se viu o Braga,
E de pernas, nada,
Depois de tantas milhas!?

Já ninguém corria
No prolongamento…
E há nisto sacramento
S’o Jesus nã’o queria?

E ver lá os velhos
A correr c’o olhar,
Qu’eu posso acreditar
Noutros evangelhos?

Posso ver no Lope
Esse anti-Cristo,
Que também viu isto –
Esse fraco trote!?

Podemos vencer
Lá por Alvalade,
Porque a “mocidade”
Não pode correr!?

E c’o rabo cansado
Pois até o Lope,
Lá vai de galope
Contr’o compassado!

Já não há pernil
Para dar à sola?
E jogar à bola
Sem correr a mil?

Acham qu’o Bruno
Pode resolver,
Se se não correr
Já num outro rumo?

E mesmo em graça
Contr’o bom do Lope;
S’ele faz um STOP,
E o sporting tropeça?

Vai-se inverter
Toda essa corrida,
Que ontem já tremida…
Deita tud’a perder!?

E deixar o desígnio
Da data festiva,
A qu’o Natal obriga
Por seu vaticínio!

Lá vai o leão
Nisto dar à sola,
E s’a bola rola
E não há pulmão?

Pode o Solimão
Continuar a bater,
Mesmo sem correr
Antes do ramadão?

E abrir os braços
Já pedindo a falta,
Que nisto a malta
Já lhe segu’os passos!

Ou então o bloqueio
Na jogada d’estudo,
Pois que nisto há mudo
Em tudo’o que leio…

E só o Porto ganha
No labor do árbitro!
E já se torna um hábito
Ali mesmo sem o Manha!

Mas mesmo no Natal
Há prendas de valor…
Qu’até o andor
Foi ao Nacional!

E nesse erro
Se viu a época…
Mas não há réplica!?
É só desespero…

Pois pod’o Lope
Contr’as previsões,
Ganhar aos leões
Sem ser por sorte?

É só deixar
Esbater a pressão…
Que depois o leão,
Sabe gatinhar…

Por: Joker
Enviar um comentário
>