quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Natal



Mais um dia, por igual,
Na esperança deste mundo,
Com’o sporting ser segundo
Em tal véspera de Natal…

Há verdades que eternas
Nunca mudam pelas eras,
E querer em tais quimeras,
Desd’os tempos das cavernas

Em desejos por tal paz
Na harmonia e no amor,
E tod’o homem ter andor
Pr’a dizer que é capaz…

Qu’ele há leis
Na razão do universo!
Qu’a Jesus não o despeço,
Pois ungido foi por Reis!

E na graça dos presentes
Tem-s’a esperança, inaudita!
Qu’este ano não claudica
Na classe dos dirigentes…

Que na harmonia nascitura
Da sanção qu’estava ganha,
Eis que nem a Doyen desdenha
Nesta época de ternura…

E no grosso do valor
A qu’o pleito deu razão,
Só uma “operação coração”
Dá ao seu Natal mais amor…

Pois a coisa estando preta
Numa época tod’a luz,
Tem-se o menino na cruz
Antes d’o anacoreta?

Só o espírito do Natal
Pode dar outro milagre,
E a Jesus, diz quem o sabe,
A promessa d’ano igual…

No andor volve-s’a ‘sp’rança
Doutra época de oferendas,
E assim, com tais prebendas,
Tod’o Tonel ser bonança…

Mas o mundo já mão muda
Na parábola de Barrabás,
Que só Jesus não é capaz
D’acertar em tal taluda!

C’a sentença decidida
Em premissa de vingança;
Não há pr’a humanidade, ‘sp’rança
Se Jesus lá salv’a vida…

Só morrendo nesse acto
Tem o Homem salvação…
Mas o sporting campeão,
Só s’o Natal der o salto…

Pois a época é fatal
Na passagem conhecida:
É Jesus a nossa vida,
E pr’o sporting, Natal!

:-)

Por: Joker
Enviar um comentário
>