terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Despertar a Força




O desempenho da equipa principal de futebol do FC Porto na presente época tem sido muito dececionante e está muito aquém do que seria expectável dada a qualidade do plantel. 

Quando a SAD decidiu manter Julen Lopetegui por mais uma época concordei, pois vi nessa decisão a possibilidade de consolidação do trabalho do técnico Basco, e acreditei que aprenderia com os erros cometidos, e possuiria melhor conhecimento do Clube e da realidade futebolística nacional o que contribuiria para o sucesso no fim da época. 

Assim estariam reunidas as condições para finalmente ter o FC Porto a lutar de forma assertiva pela reconquista do título nacional que escapava desde a saída do anterior técnico Vítor Pereira.

A época de 2014/2015 foi manchada e conspurcada no que respeita à verdade desportiva das competições nacionais, por um colo descarado e às claras, em favor do colo colo de Carnide. Esse colo durou o tempo que foi necessário para “tudo ficar garantido”. 

Passado todo este tempo “ninguém achou estranho o tal colo” e nada foi investigado, a não ser o “fait divers” das “caixas” e senhas para jantar oferecidas pelo colo colo de Carnide às equipas de arbitragem designadas para os seus jogos em casa.

Foi agoniante assistir a toda a “trama” e ver apenas sinais de impotência e ausência de ideias do FC Porto para reagir e mudar o curso dos acontecimentos. O FC Porto estava a construir uma nova equipa e tinha um treinador novo a todos os níveis, novo no país, no clube e estreante como treinador de um grande clube europeu. 

Foi muita novidade junta, aliada a uma certa tendência para “dar tiros nos pés” vinda dos atletas do Clube e do próprio treinador, o que sentenciou ao fracasso a época futebolista Portista. 

Como “tiros nos pés” considero os sucessivos erros defensivos intoleráveis num Clube com o FC Porto, que infelizmente repetiram-se (e repetem-se ainda nesta época!) e não foram devidamente resolvidos. 

Assim como não jogar os 90 minutos com a “intensidade” necessária e exigível a quem luta por vencer competições, assistindo-se a jogos marcados pela lentidão, bocejo, exibições cinzentíssimas e previsibilidade durante largos minutos (por vezes a totalidade das primeiras partes!). Faltou também pontaria no momento de finalizar e no futebol a velha máxima “quem não marca sofre” aplica-se como um “luva”.

O treinador promoveu uma estranha rotatividade que parecia ser “um fim em si”, em vez de ser um processo para manter o “plantel fresco” mas sem comprometer a necessidade e as possibilidades de vencer.

Da época passada fica como “saldo” uma participação muito positiva na Liga dos Campeões, em que o FC Porto caiu (com estrondo em Munique) perante o todo-poderoso gigante bávaro Bayern de Munique, clube com uma capacidade financeira, qualidade da equipa técnica e qualidade de plantel muito superior quando comparado com os nossos recursos.

A nível interno somaram-se deceções, porque no nosso íntimo todos sabemos que o FC Porto em teoria tinha tudo o que era necessário para ser campeão e até adicionar mais uma ou outra taça às conquistas em 2014/2015. Infelizmente assim não foi e tivemos uma época com “seca de títulos” no futebol sénior.

Mesmo com a grave adulteração dos resultados de jogos em favor do colo colo de Carnide e dos pontos retirados ao FC Porto por erros de arbitragem diretos, se o FC Porto estivesse ao seu nível habitual teria mesmo assim sido campeão. 

São “águas passadas” e agora não vale a pena lamentar. É necessário não esquecer contudo tudo o que aconteceu e aprender com os nossos erros. Evidentemente quando olhamos para o que já ocorreu esta época não podemos estar satisfeitos. 

O FC Porto saiu da Liga dos Campeões sem glória, ultrapassado na última jornada por uma equipa que não lhe é superior em nada, o Dínamo de Kiev. Os ucranianos foram muito eficazes e pragmáticos na abordagem que trouxeram ao jogo no estádio do Dragão, e foram felizes por apanhar uma noite claramente “não” do FC Porto que esteve irreconhecível roçando mesmo o patético!

Por culpa própria o FC Porto saiu da Liga dos Campeões e não chegou aos oitavos de final. Teve tudo para passar à fase seguinte desta prestigiada prova, e infelizmente falhou quando não podia falhar. Fica o amargo de boca de 10 pontos que para uns permitem passar à fase seguinte e para outros não.
Cada grupo tem a sua história, e a história do nosso foi, ao não “matar as hipóteses” do Dínamo de Kiev logo no jogo inaugural na Ucrânia e ao exibir-se de forma tão desastrada no Dragão frente a este adversário, o FC Porto ditou a sua “sentença de morte”. 

Ninguém esperava um Chelsea tão fraco e naturalmente era tido como o grande candidato a vencer o grupo, daí que de antemão o FC Porto já poderia prever que disputaria o segundo lugar do grupo com o Dínamo de Kiev.

 Os erros pagam-se caro e numa prova onde está a “nata do futebol europeu” isso é ainda mais incontornável. Calhou em sorteio os alemães do Borússia de Dortmund, que não era o adversário mais desejado. 

O FC Porto deve jogar para seguir em frente sem deixar-se atemorizar pelo nome deste adversário, que é possível ultrapassar, mas requer que o FC Porto seja capaz de “reinventar-se” e exibir outro tipo de ambição e futebol.

De resto têm-se observado coisas estranhas no FC Porto, relativamente à cúpula dirigente, por um lado e bem “barraram” o acesso ao Dragão Caixa ao nosso arqui-inimigo Rui Rio, que enquanto autarca tudo fez para hostilizar e prejudicar o FC Porto. 

A estação televisiva SIC convidou para o painel de comentadores de um evento que estava a organizar Rui Rio, esse evento teria lugar no Dragão Caixa. Se a SIC tivesse tido algum bom senso esta humilhação ao arrogante Sr. Rio poderia ter sido poupada. 

Por outro lado e com esta eu não contava nem nunca me passaria pela cabeça poder assistir a tal coisa, Vítor Serpa diretor do jornal desportivo A Bola foi um dos convidados da última gala Dragões de Ouro!

Jornal que foi sempre hostil ao FC Porto, e sempre que pode tenta tudo para nos desestabilizar. Só gostava de saber qual foi o critério para convidar este senhor. Os dirigentes do FC Porto lá sabem que “amizades lhes convém”, no entanto acho triste esta falta de “espinha vertebral e de memória”, pois se os dirigentes esqueceram o que este jornal e o seu diretor fizeram ao FC Porto, os adeptos não esqueceram!

Igualmente triste é a falta de respeito que tenho visto ao FC Porto, muito por culpa da “pobreza franciscana” que tem sido o futebol produzido nesta época que não inspira respeito aos adversários, e ainda pelo silêncio prolongado dos dirigentes da FC Porto SAD em momentos onde seria obrigatório sair em defesa do bom nome do Clube.

O treinador do Paços de Ferreira foi um dos últimos protagonistas desta falta de respeito, quando proferiu as seguintes declarações após o jogo FC Porto x Paços de Ferreira para o campeonato: “Qualquer equipa coloca consegue colocar em sentido o FC Porto no Dragão”. Parece um enorme insulto, mas infelizmente é a dura realidade dadas as exibições que se têm visto e a “tremedeira” do sector defensivo do FC Porto.

Por outro lado Bruno de Carvalho, personagem que não consegue passar muito tempo calado, e gosta de ser falado nem que seja por maus motivos, fez uma piada com a “passagem” da equipa de ciclismo W52 do sporting para o FC Porto, com mais ou menos algo do género “O Porto virou-se para o ciclismo porque lhe falta pedalada para o futebol”.

António Figueiredo ex-dirigente do colo colo de Carnide e na altura presidente do Estoril Praia aquando do escândalo “Estorilgate”, o caso do tal jogo arranjado para o Algarve para quem estiver esquecido, veio também queixar-se que o seu clube não tem sido tratado com justiça e como os adversários diretos pela luta pelo título. Outro desavergonhado que perdeu a oportunidade de estar calado!

Ainda teve o desplante de mencionar que o colo colo de Carnide não tem beneficiado de tantos penaltis como o FC Porto e o sporting. O FC Porto só beneficiou de um até ao momento, e bem assinalado diga-se de passagem, e pelos vistos isso provoca “azia” ao Sr. Figueiredo. Homem, você calado é um poeta como alguém disse um dia!

Ainda temos de vez em quando o João Gabriel do mesmo clube de alucinados a “dar um ar da sua graça”, talvez para justificar o seu vencimento, as diatribes do Pedro Guerra na TVI num programa cujo nível está cada vez mais baixo, e Rui Gomes da Silva com as artimanhas do costume a tentar branquear os evidentes benefícios do seu clube. Mais do mesmo, nada mudou.

A solução para estes “pigmeus do futebol português” é vencer, conquistar títulos, porque dos fracos não reza a história. Só espero que estas declarações façam refletir os responsáveis da SAD do FC Porto e percebam o que está mal no futebol profissional do Clube, e operem as mudanças necessárias para alterar este estado de coisas. 

O FC Porto deixou de ser um Clube guerreiro, aguerrido, bairrista, com capacidade de superação constante e apetite insaciável por vencer, para exibir tiques de “novo-riquismo”, aburguesamento, apatia e conformismo. Assim meus senhores não vamos lá! 

E se os dirigentes da FC Porto SAD mais não conseguem fazer do que tornar o Clube num entreposto de jogadores, ou melhor “plataforma giratória de jogadores” e olhar às comissões que entram nos seus bolsos, então façam um favor ao Clube e vão embora, deem lugar a quem tem “sangue na guelra”, ambição e energia necessária para dar a volta à situação.

E como nem tudo é negativo, destaco no “pódio de ouro” o desempenho da equipa de andebol sénior do FC Porto, que encarna na perfeição o espírito do Dragão e dá gosto ver jogar!

A equipa de hóquei prometeu muito ao vencer o poderoso e ainda campeão europeu FC Barcelona por duas vezes, uma em Portugal e outra em Espanha, e merece ser destacada também, mas infelizmente neste fim-de-semana quando estava a vencer e tinha condições para sair da casa do adversário com uma vitória, “borrou a pintura” e acabou perdendo na casa do colo colo de Carnide. Com o campeonato a complicar-se para os homens de Cabestany, talvez seja de apostar tudo numa vitória na Liga dos Campeões que nos escapa há tanto tempo.

No momento em que finalizo esta crónica os “Deuses do futebol” decidiram sorrir de novo ao FC Porto após tantas “tempestades”, e brindaram-nos com uma vitória do União da Madeira sobre o sporting e outra do FC Porto sobre a Académica, o que permite desde já ao FC Porto passar para a liderança da prova. 

A propósito do FC Porto x Académica, devo dar os parabéns aos jogadores e equipa técnica pela boa exibição neste jogo e por terem conseguido vencer e obter três importantes pontos que isolam o FC Porto na liderança. Espero que esta liderança Portista seja um “bálsamo” para a confiança da equipa e treinador e permita encarar o que resta da época com estofo de campeão. Que seja o despertar da Força do Dragão, e a hibernação acabe!

É o melhor que podia acontecer à equipa do FC Porto após tantos momentos conturbados, agora é necessário manter os pés bem assentes na terra, sem deslumbramentos e encarar cada jogo como uma final. No fim fazem-se as contas. Não há dúvidas sobre como é importante para o FC Porto vencer o campeonato nesta época.

E porque é Natal, gostava de ver no “sapatinho azul e branco” pelo menos um defesa central e um médio criativo já em Janeiro de 2015. A propósito do mercado de transferências concordo com a saída do Osvaldo (embora ache que o treinador não o soube aproveitar devidamente), e com a saída do Cissokho. Quanto ao Varela parece que foi o próprio que pediu para sair, pois quer jogar mais, acho bem que o Clube o deixe sair se houver uma boa proposta em cima da mesa.

Espero que sejam falsos os rumores de indisciplina do André André, sobre um desentendimento que terá tido com Julen Lopetegui, motivando o seu afastamento das convocatórias, “camuflado” por um boletim clínico que o classifica como lesionado.

Se foi o caso, o FC Porto não pode pactuar com indisciplina, ninguém está acima das regras e apesar do André ser muito querido pela massa adepta do FC Porto, terá de pagar o preço do seu erro. 

Haja no entanto o bom senso de o integrar o mais rapidamente possível na equipa, de forma a nenhuma das partes sair mais prejudicada do que tem de ser duma situação deste género. Reforço a ideia, espero que sejam falsos estes rumores!

Aproveito para desejar à Família Portista um Feliz Natal e um Próspero Ano Novo, que traga o que há de melhor, e naturalmente muitas alegrias desportivas.

FC Porto a vencer desde 1893!
A Chama do Dragão é Eterna!
FC Porto Sempre!

 
                         Por: BluePunisher
 

Enviar um comentário
>