segunda-feira, 1 de maio de 2017

1º de Maio



1º de Maio

Hoje comemora-se o dia
Do Trabalhador,
Um longo processo de lágrimas, sangue e suor
Contr'a tirania!

Contr'o trabalho escravo,
Idoso e infantil, 
E que só depois de Abril
Deu cravo!

Essa flor simbólica
Da nossa liberdade,
Hoje em estado de necessidade
Nesta República...

Estamos escravizados
De forma mais subtil,
Qu'o poder tem esse ardil 
Nos votos anulados...

Estamos demissionários 
De tod'a reinvidicação, 
E a liberdade é uma ilusão 
Dos panfletários!

Insisto em dizer 
Qu'o futebol não é só um jogo;
É a manipulação e o logro 
Que serv'o poder!

É o capital a fundo perdido,
A força dos secretos grupos,
São os muitos indultos 
Num processo temido...

É esta corrupção 
Onde grass'a impunidade,
É est'a liberdade 
De meter a mão!!

E o povo alegre 
Com circo e pão!
E um benfica campeão 
Que tão bem (lhes) serve!!

Qu'o dig'o Mexia 
Na sua palavra de gestor,
Qu'a economia vai d'andor 
S'o benfica vencia...

Esta alegre combinação
De resultados, 
Dão sempre bons dados 
Pr'a governação...

Por isso é vê-los 
Ali nas bancadas,
A aplaudir as arrancadas 
E os cotovelos!

É 1º de Maio 
E há qu'o relembrar:
O mundo ainda é esse lugar 
D'ensaio!

Este é um processo 
Em curso, 
E no registo do abuso
Têm sucesso!

Esta correlação 
De tantas vontades,
Trazem-nos as liberdades 
D'adulteração!

E não vingando a ética 
Como bem supremo,
Vale o bem terreno 
Da "força atlética"!

As palavras de circunstância 
Do antigo regime,
Ainda hoje nos define 
Na militância!

Não interessam os métodos,
Apenas os resultados, 
Maquiavel deu-nos os dados 
Por séculos!

Vamos festejar
O dia do Trabalhador,
E crer qu'o investidor 
Quer trabalhar...

Esses que, por empréstimo,
Dispõem de milhões de euros
Dos meios financeiros...
Ganham-nos ao cêntimo!

Basta-lhes uma assinatura
Pr'a nos resgatarem milhões,
E serem campeões 
Da legislatura!

Não há democracia 
Nesta sociedade,
É tudo precariedade 
E burocracia!

Dizem-se representantes 
Do nosso voto, 
E qu'o poder não é ignoto 
Dos seus votantes!?

Manter o "Status Quo"
É o seu propósito, 
E deixar o povo eufórico 
Porqu'o rei vai nu!?

É esta a situação
De liberdade;
Não há prosperidade 
Na descriminação...

Na ilegalidade 
De meios e actos!
E sempr'os mesmos, "fracos",
A gritar "liberdade"...

A palavra d'ordem 
Que nos sai ferida,
E viver esta vida 
Porque eles podem!?

Podem roubar,
Podem montar processos, 
Podem fingir-se honestos 
E ainda "arbitrar"...

Rico trabalhinho!

Joker

Enviar um comentário
>