sábado, 3 de dezembro de 2016

Fatalidade



FATALIDADE

Olh'a novidade:
Perdeu o benfica!!?
Quem é qu'acredita
Em tal fatalidade?!

Rumo ao 36
E já embalados,
Foram derrotados
À margem das leis!!

Já que sem o Capela
A coisa pia mais fino,
E até o Marítimo
Joga mais à bola!

E agor'a Napolitana
Que não serv'o Barbas,
Pode dar-lhes favas
Mais uma semana!!

Estava tudo vencido
No reino lampião,
Mas a coroação
Está em rei tremido...

E venham os lagartos
Aqui repôr justiça,
E voto em tal premissa
De campeões já certos!

Pois c'o Nuno ao leme
Lá nos seus desenhos,
Tem o meu Porto sonhos,
Muito ao de leve...

Quero acreditar
Qu'ainda é possível,
Mas não o acho críve!
Só por s'o desenhar!?

Castelos de fábulas
Que não ouso sonhar,
De ver a bola entrar
Entre as tábuas...

Coisa já tão rara
Neste "Ser-se Porto!",
Que no meu sono curto
A bola pára!!

É tod'a uma ânsia
De ver a bola entrar,
Que cheg'a "acordar"
Na minha infância!?

Quando por favor,
Vencíamos um em vinte,
E o Porto er'o pedinte
Em tal tremor...

Mas hoje, desperto,
Nesta sensação:
O já feito campeão
Perdeu o ceptro?!

E a festa propalada
Do fim-de-semana,
Já não nos engana,
Na pretensa goleada...

Lá vai o Jesus
Fazer-lhes miséria...
E tanta, tanta léria,
Ficar ali na luz!!

E o tetra
Lá ficar par'as calendas,
E a Europa, sem as prendas,
Na mesma meta...

Joker

Enviar um comentário
>