segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

CLUBE DE V(E)IGARISTAS



Clube de V(e)igaristas

Têm a mesma escola,
Do alfinete na lapela!
E se vistos na farpela,
São uns gentleman de cartola!


A passagem p’la Instituição
É chancela fidedigna;
Não são larápios d’esquina!
Nem artistas d’ocasião…

Não mendigam os tostões
No travo da alta finança,
Qu’é deles a confiança
Pr’a movimentarem milhões…

Seja do banco falido,
Ou do banco já em falência,
Tudo neles é coincidência
No dinheiro já extraído…

E nisso promovem a venda
Do jogador ou do banco!
E na aparência de bando,
Tod’o larápio é lenda!

Seja-se Damásio ou Veiga,
Vale e Azevedo ou Vieira,
Na parte financeira
É só meter manteiga…

Seja na vend’ao Principado
Do jogador a granel,
Que como mosca no mel
Só o insecto é agarrado

Como se mostra à evidência
O “motorista” da luz…
Qu’em “Pinheiro da Cruz”
Nunca clama inocência!

Tod’a transação derivada
C’a chancela do benfica,
É coisa muito rica…
E ainda mais sonegada!

Qu’esta recente suspeição
Sobr’os milhões do Veiga,
É coisa pr’a mais manteiga
No final da acusação…

Que pag’a fiscalidade
Desse fuga ao imposto,
O Veiga terá o gosto
De nova credibilidade!

Que desde qu’era torneiro
Nunca a havia perdido,
Mesmo após o jogo transferido
Pr’o benfica ser primeiro!

Ele qu’então duplicava
As funções na desportiva,
Já fazia p’la vida
Jornada após jornada…

E que salto deu o moço
Desd’o torneiro mecânico!
Só o benfica é messiânico
Pr’o futuro glorioso!

E nisto Veiga não temas
Se não roubast’o benfica,
Que mais tarde lá s’explica
Qu’afinal és um mecenas!

E depois do Estorilgate
Vais merecer a águia d’ouro,
Pr’a juntares a esse tesouro
Nova onça de quilate!…

Tod’um clube de cavalheiros
Com passagem p’la escola,
Qu’isto do mundo da bola,
Faz de torneiros, banqueiros!

E com requintada linhagem
Na alta finança internacional!
Que mais queres, ó Portugal,
Depois qu’escrit’a “Mensagem”!?

Um país de vigaristas
Com passagem p’lo clube,
E a quem isto alude
Na junção de tantas pistas?

Pois ninguém vê relação
Na produção de tal prova,
E s’a prática não é nova
Tal produz acusação?

Não há critério orçamental
Pr’a s’agir contr’o país,
Qu’o benfica é a raíz
Deste enorme Portugal!

E agir pois em processo
Contr’a própria instituição?
E quem dá de comer, s’a mão,
Fica presa em tal nexo?

Por: Joker



Enviar um comentário
>